Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Vania Celina Dezoti Micheletti

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • estratégias de intervenção intersetoriais na prevenção e controle de diabetes mellitus, hipertensão arterial sistêmica e obesidade na atenção primária à saúde, em um município do rio grande do sul
  • As Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) afetam com maior frequência populações de baixa renda, por estarem mais expostas aos fatores de risco e terem menor acesso à informação e aos serviços de saúde. O impacto das DCNT na população economicamente ativa leva à incapacidade laboral, a mortes prematuras, a redução de produtividade e de renda familiar, impactando, negativamente, na qualidade de vida e na economia. No Brasil, os custos para tratar diabetes Mellitus (DM), Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) e a obesidade, pelo Sistema Único de Saúde (SUS), somaram R$ 3,45 bilhões em 2018, sendo 72% deste valor gasto com pessoas de 30 a 69 anos. Em 2018, 73,9% das mortes no Brasil foram por DCNT. Estas doenças englobam um conjunto de fatores de risco comportamentais, como tabagismo, aumento do consumo de alimentos ultraprocessados, inatividade física e consumo excessivo de bebidas alcoólicas. O enfrentamento das DCNT requer educação em saúde, sistema de diagnóstico, vigilância, controle e monitoramento para prevenir os agravos decorrentes destas doenças. A educação em saúde, realizada conjuntamente por equipes multiprofissionais, visa compartilhar informações, empoderar as pessoas para o autocuidado seguro, minimizar o desconhecimento sobre as DCNT, propiciar maior adesão aos tratamentos e melhorar a qualidade de vida. O objetivo deste estudo será identificar, avaliar, desenvolver e divulgar as ações intersetoriais na prevenção e controle de DM, HAS e obesidade na Atenção Primária à Saúde (APS). O referencial metodológico será o da pesquisa-ação com as etapas do desenvolvimento, focadas na ação de transformar a realidade ou elucidar os problemas da situação observada, envolvendo a participação dos sujeitos investigados. O cenário do estudo será o Município de São Leopoldo/RS com população estimada em 230.914 pessoas, com maior afluência na área urbana. A APS do município inclui 22 Unidades Básicas de Saúde (UBS), uma Unidade de Saúde Volante e uma Equipe do Núcleo de Apoio a Saúde da Família, que se articulam com demais áreas do âmbito municipal. O estudo será realizado nas 22 UBS e em seus respectivos territórios, de forma intersetorial, com as Secretarias de Educação, Cultura, Assistência Social, Meio Ambiente, Esporte e Lazer, Políticas para as Mulheres e Associações de Moradores. Será desenvolvido em três etapas: 1) Fase Exploratória: diagnóstico situacional; 2) Desenvolvimento, potencialização e implantação das ações inovadoras; 3) Divulgação da produção do conhecimento e socialização das ações produzidas para a comunidade científica e sociedade. A etapa exploratória será constituída pelo diagnóstico situacional das necessidades do município, com levantamento intersetorial, sobre usuários com DM, HAS e obesos. A coleta de dados será realizada nos prontuários, no sistema de informação disponível nas UBS e na Assistência Farmacêutica, no período de 2017-2019. Também serão utilizados os sistemas DATASUS e BI. Serão realizadas entrevistas, rodas de conversa, seminários, e oficinas com as lideranças comunitárias, no territórios das 22 UBS e estudo documental, que buscarão identificar: condições de vida, organização comunitária, redes de apoio, acesso ao serviço de saúde, lazer e atividade física. Também serão identificadas as ações intersetoriais inovadoras desenvolvidas no município, que visam prevenção e controle de DM, HAS e obesidade. Os participantes serão os usuários, profissionais de saúde e gestores da rede intersetorial. Os resultados do Diagnóstico Situacional, irão subsidiar a Etapa 2 de pesquisa, que será constituída para o desenvolvimento, implantação e potencialização das ações inovadoras, visando desenvolver as ações apontadas pelos participantes como prioridades para a prevenção e controle de DM, HAS e obesidade. Dentre as ações desenvolvidas serão realizados, seis seminários com os profissionais da rede intersetorial, sobre o tema da prevenção e controle de DM, HAS e obesidade, buscando subsídios para propor novas ações e potencializar as existentes, tais como: a Farmácia Viva e Telemonitoramento de Agravos. Nesta etapa serão desenvolvidas Tecnologia Educativas (TE), considerando os conteúdos das rodas de conversa, seminários, oficinas e entrevistas realizadas na etapa anterior. As TEs irão auxiliar na prevenção e controle de DM, HAS e obesidade. Os produtos gerados serão: materiais didáticos instrucionais; aplicativos para monitorar e prevenir os agravos em estudo; conteúdos digitais; guias; manuais; infográficos; entre outras TEs, relacionadas à prevenção e controle de DM, HAS e obesidade. A validação das tecnologias será feita por experts no tema em estudo a partir de instrumentos de validação de conteúdo do material desenvolvido. Na Etapa 3 será realizada a divulgação e socialização das ações produzidas para a comunidade cientifica e sociedade. incluirá a apresentação de um plano para a aplicabilidade das ações e TEs construídas e validadas na Etapa 2. Será realizada divulgação do conjunto de ações intersetoriais e das TEs propostas e implantadas na APS, desenvolvidas para a prevenção e controle de DM, HAS e obesidade. Dentre as estratégias para potencializar a divulgação das produções e as ações planejadas, será utilizada a Tradução do Conhecimento (TC), que possibilita, principalmente, por meio de processo interativo, disseminar e aplicar conhecimento científico, para oferecer serviço de saúde e produtos mais efetivos fortalecendo as políticas públicas de saúde.
  • Universidade do Vale do Rio dos Sinos - RS - Brasil
  • 07/01/2021-31/01/2023
Foto de perfil

Vania dos Santos Nunes Nogueira

Ciências da Saúde

Medicina
  • efetividade e segurança do bortezomibe no tratamento do mieloma múltiplo e avaliação do impacto orçamentário de sua incorporação no sus
  • Objetivo: avaliar os efeitos do bortezomibe na sobrevida geral, sobrevida livre de progressão, qualidade de vida, adesão, eventos adversos e mortalidade relacionada ao tratamento em pacientes com mieloma múltiplo, tanto na primeira linha quanto na recidiva. Introdução: O mieloma múltiplo (MM) é uma neoplasia maligna incurável caracterizada pela proliferação clonal de plasmócitos que representa cerca de 1% de todas as neoplasias e 10% das hematológicas. O bortezomibe é um dos medicamentos mais utilizados no tratamento de primeira linha e recidivas subsequentes, e foi recentemente incorporado ao sistema público de saúde brasileiro, resultando em um acréscimo importante ao limitado arsenal terapêutico para portadores de MM neste cenário e, consequentemente, há expectativa do ganho de sobrevida global em pacientes que anteriormente não tinham acesso a novos medicamentos, população predominante no Brasil. Critérios de inclusão: Esta revisão considerará desenhos de estudos experimentais e quase-experimentais, incluindo estudos controlados randomizados, estudos controlados não randomizados, antes e depois dos estudos e estudos de séries temporais interrompidos. Além disso, estudos observacionais analíticos, incluindo estudos de coorte prospectivos e retrospectivos, serão usados. Métodos: pesquisaremos Embase, Medline, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde e Ensaios Clínicos Controlados da Colaboração Cochrane e incluiremos estudos que compararam: 1) regimes de tratamento semelhantes, com combinação de bortezomibe (intervenção) e sem associação de bortezomibe (1); 2) regimes de tratamento diferentes contendo bortezomibe (intervenção) e não contendo bortezomibe (1). Dois revisores extrairão independentemente os dados dos resultados e o risco avaliado de viés. Realizaremos uma avaliação do impacto orçamentário da sua incorporação no SUS, perspectiva do SUS, horizonte temporal de 5 anos.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 04/12/2021-30/11/2023