Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Susana de Araujo Gastal

Ciências Sociais Aplicadas

Turismo
  • turismo e gastronomia: diálogos rural-urbano em cidades pequenas e médias no brasil e méxico
  • O projeto propõe criar ambiente de reflexão, a partir da gastronomia, acerca da questão urbana-rural envolvendo cidades pequenas e médias, que se coloquem como destinos turismo, no Brasil (Gramado e Nova Petrópolis, ambas do RS) e no México (Oaxaca e Malinalco, ambas no centro do país). Consideram-se localidades onde a gastronomia é item importante para atratividade turística, confrontado os aspectos: (a) desenvolvimento da atividade turística no contexto atual, em suas múltiplas relações e representações no urbano; (b) reorganização do rural na contemporaneidade, envolvendo as cidades nele inseridas, agora marcado por pluriatividades, o que inclui a gastronomia e o turismo, e não apenas atividades agropecuárias. Questiona-se, no âmbito da pesquisa, para melhor compreensão das localidades arroladas, as relações locais entre o turismo e hospitalidade, em união nem sempre harmônica: quais as especificidades dos processos e possíveis forças em conflito na dialética local (heranças culturais) versus global (industrialização, mundialização da distribuição de alimentos). Considera-se, a priori, como propõe Graziano da Silva desde de seus estudos introdutórios em 1997, que na atualidade a expansão do urbano perpassa o rural, mas que, sobre muitos aspectos, as cidades médias e pequenas ainda se apresentam ruralizadas. Thomé (2018, 2019, 2020, 2021a, 2021b), César (2019, 2020a, 2020b) e Gastal/Beber (2000, 2019, 2014) tem pesquisado tais aportes mostrando, entre outros, que a revolução verde, a industrialização dos alimentos, a tecnologização da produção agrícola, a enorme presença midiática da gastronomia, e o turismo como nova demanda associada à economia criativa, afetam o espaço rural assim como ocasionam impactos sobre o urbano. Caberia questionar, agora, como os cenários descritos pelos autores podem afetar esse(s) cenário(s) em presença da pandemia Covid19.
  • Universidade de Caxias do Sul - RS - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Susana Margarida Gomes Moreira

Ciências Biológicas

Genética
  • avaliação do risco versus benefício do uso de polissacarídeos sulfatados de algas marinhas verdes na medicina regenerativa
  • Os polissacarídeos sulfatados (PSs) derivados de algas marinhas se têm mostrado excelente compostos bioativos com numerosas atividades biológicas benéficas como anticoagulantes, anticâncer, anti-inflamatórias, antioxidantes, antibacterianas, etc. Em estudos anteriores mostramos o efeito dos PSs de algas verdes do gênero Caulerpa na diferenciação osteogênica e anti-adipogênica em células-tronco, indicando que estes podem ter aplicação no desenvolvimento de terapias alternativas para tratamento de obesidade e patologias relacionadas a perdas de massa óssea, dois dos problemas de saúde mundial mais prevalentes. Adicionalmente, mostramos que diferentes frações obtidas de um extrato apresentam diferentes atividades, confirmando que a heterogeneidade dos PSs de algas verdes pode ser explorada para diferentes aplicações. Assim, propomos estudar o potencial osteogênico e anti-adipogênico, bem como o mecanismo de ação, de PSs das espécies C. cupressoides, C. sertulariodes, C. racemosa usando como modelos células-tronco estromais e células progenitoras de osteoblastos e adipócitos. Para isso, serão realizados ensaios de diferenciação avaliando marcadores osteogênicos (atividade da fosfatase alcalina, mineralização da matriz extracelular), adipogênicos e lipogênicos, incluindo expressão de genes envolvidos nos processos de diferenciação celular. Tendo em vista as possíveis aplicações desses PSs, o risco será avaliado por meio de ensaios de genotoxicidade como: testes de reversão bacteriana, cometa e micronúcleo em células de mamíferos. Também será avaliado o efeito das amostras na senescência das células tronco por quantificação de expressão de genes marcadores. Assim, a análise do benefício (atividades e modo de ação) e do risco (ensaios de genotoxicidade e avaliação da senescência) trazem inovação à esta proposta, além de ser um requisito das agências regulamentadoras para a translação dos PSs para aplicações biomédicas ou clínicas.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Suzana de Oliveira Mangueira

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • validação do diagnóstico de enfermagem resiliência prejudicada no contexto da oncologia
  • Na perspectiva psicossocial, a palavra resiliência traduz a capacidade de um indivíduo em responder de forma mais sólida a situações que envolvam dificuldades e desafios, bem como a capacidade de recuperar-se frente a diversas ocasiões desfavoráveis, de modo positivo e otimista, com equilíbrio e autoconfiança, seja de forma individual ou em grupo. Na área da oncologia, o conceito de resiliência torna-se ainda mais relevante, visto que o câncer é uma doença crônica e degenerativa, que atinge milhões de pessoas pelo mundo e é considerado um problema de saúde pública. O câncer é um processo com diversos significados, tanto para o paciente e sua família, quanto para os profissionais de saúde. Estes significados se misturam em emoções e incertezas, as quais o paciente vivencia desde o momento do diagnóstico e durante todo o tratamento, que requer uma assistência de enfermagem sistematizada e especializada. Em sua maioria, esses sentimentos estão relacionados a questões negativas, como o pessimismo, medo, angústia, vergonha e a sensação de morte iminente. Assim, esse estudo tem como questão de pesquisa: Qual a validade do diagnóstico de Enfermagem Resiliência Prejudicada no contexto da oncologia? E como objetivo geral validar o diagnóstico de enfermagem Resiliência Prejudicada no contexto da oncologia. Trata-se de um estudo metodológico a ser desenvolvido em três etapas. A primeira será a construção de uma Teoria de Médio Alcance, fundamentada no Modelo da Adaptação de Roy. A segunda etapa será a validação de conteúdo do diagnóstico por juízes e a terceira etapa, validação clínica, consistirá num estudo transversal para análise da acurácia dos fatores etiológicos e indicadores clínicos do referido diagnóstico. Espera-se que os resultados possam aumentar o nível de evidência do diagnóstico na Taxonomia da NANDA Internacional e, por consequência, facilitar a sua identificação na prática clínica.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Suzana Maria Ratusznei

Engenharias

Engenharia Sanitária
  • produção de hidrogênio e metano pelo tratamento de melaço de soja em condições mesofílica e termofílica
  • A soja tem alcance global devido a sua alta relevância na indústria de alimentos e biocombustíveis, e sua produção tem aumentado nos últimos anos. Com isso, observa-se um crescimento na geração de subprodutos, dentre os quais destacam se o melaço de soja, gerado na produção de proteínas concentradas de soja, e a okara, gerada durante a produção de leite de soja, os quais têm ganhado notoriedade devido à sua composição rica em carboidratos e fibras, respectivamente. O descarte inadequado desses subprodutos pode causar diversos problemas ambientais. Uma estratégia para evitar esse cenário seria a digestão anaeróbia desses subprodutos visando a produção de biogás (hidrogênio e/ou metano). Nesse contexto, esse trabalho visa o estudo da viabilidade biotecnológica da aplicação de um reator anaeróbio operado em bateladas sequenciais com biomassa imobilizada e recirculação da fase líquida (AnSBBR), em condições mesofílica e termofílica, no tratamento de melaço de soja e no coprocessamento do melaço de soja/okara. Serão avaliadas as condições operacionais que permitam a melhoria de indicadores de desempenho referentes à conversão de substrato, produtividade/composição de hidrogênio ou metano e rendimento entre hidrogênio ou metano produzido e substrato consumido, além do coprocessamento melaço/okara. A okara contém mais de 20 % de sólidos totais, dificultando sua utilização como substrato único sem prévia diluição. Assim, o coprocessamento melaço de soja/okara é promissor, uma vez que ambos são gerados no mesmo local, evitando custos de transporte, e que a okara possui baixo valor de mercado. Quanto à operação em condições termofílicas, a digestão a altas temperaturas pode diminuir o tempo de reação e aumentar a eficiência da degradação de materiais orgânicos, resultando em maior produção total de biogás e uma digestão mais completa. As informações de escopo científico e tecnológico, obtidas nesse estudo, fornecerão importantes subsídios para projetos em escala plena.
  • Instituto Mauá de Tecnologia - SP - Brasil
  • 07/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Suzana Oliveira Barbosa

Ciências Sociais Aplicadas

Comunicação
  • #acessejor: protocolo de inovação social para o jornalismo digital
  • Análises e previsões para o jornalismo mostram um cenário de múltiplas crises: econômica, de credibilidade e de valorização; com demissões nas redações, raros modelos de negócio sustentáveis, redução do interesse por notícias ou indiferença do público. Por um lado, o jornalismo tem dificuldades de conquistar a atenção; por outro, falta acessibilidade para que Tecnologias Assistivas (TAs) decodifiquem o conteúdo jornalístico, impossibilitando ou dificultando o consumo de notícias por um público em potencial. Em um ambiente multimidiático, isso contrapõe a ideia de acessibilidade web, derivada do conceito de design universal, de possibilitar o alcance de produtos e serviços para um maior número de usuários com diversas características. Observamos como caminho ideal estratégias baseadas na inovação - processo interativo que gera algo novo em determinado contexto e sistema. Há várias abordagens possíveis, desde produtos e novas tecnologias até modelos de negócio e estruturas. Este projeto parte da perspectiva da inovação social para buscar soluções sobre como o jornalismo digital pode lidar com o complexo problema da atenção do público neste contexto de abundância de informação e de múltiplas necessidades de acesso à informação capaz de melhorar a qualidade de vida. Portanto, questionamos: como promover um jornalismo digital mais acessível, inclusivo e inovador para manter, renovar e ampliar o seu público? Sem contemplar os vários públicos, o jornalismo, um dos pilares da democracia, torna-se empobrecido e frágil. Assim, desenvolveremos o #AcesseJor - um protocolo de práticas e produtos jornalísticos digitais acessíveis, inclusivos e inovadores. Trata-se de uma pesquisa aplicada, quali-quantitativa, que engloba estudos de caso, entrevistas com informantes de meios jornalísticos, questionário e entrevistas com o público considerando as populações negra e branca, os povos tradicionais; e a diversidade socioeconômica, de região, idade, gênero, escolaridade e deficiências.
  • Universidade Federal da Bahia - BA - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025