Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Ana Rosa Quidute

Ciências da Saúde

Medicina
  • pesquisa de mutações associadas ao câncer de mama em pacientes portadores de neoplasia endócrina múltipla
  • câncer de mama constitui-se problema de saúde pública, por ser neoplasia maligna de maior incidência em mulheres no mundo e a quinta causa de morte por câncer em geral. No Brasil, excluindo o câncer de pele não-melanoma, o câncer de mama é o mais incidente em mulheres de todas as regiões do país. A alta taxa de mortalidade pode estar relacionada ao diagnóstico tardio e, principalmente, à falha e resistência ao tratamento, que levam a um pior prognóstico das pacientes. O câncer de mama é uma doença que se desenvolve por causas e fatores diversos, dentre eles os genéticos/hereditários. Estudos mostram que pacientes com Neoplasia Endócrina Múltipla-1 (NEM-1) têm risco aumentado para desenvolvimento de câncer de mama em idade mais precoce. NEM-1 é uma doença tumoral, de ocorrência familiar ou esporádica, complexa e multissistêmica, caracterizada pela perda do gene supressor tumoral MEN1, envolvido no controle da sinalização celular e expressão gênica. A perda do gene aumenta substancialmente o risco de tumores, já que sua inativação pode conduzir à instabilidade genômica e, consequentemente, favorecer mutações adicionais em outros genes que estão envolvidos com o processo de multiplicação e diferenciação celular. O objetivo é determinar o perfil genético em pacientes portadoras de NEM-1 para o câncer de mama. Uma vez descobertos os genes responsáveis, pode ser possível traçar condutas terapêuticas precoces e individualizadas. Metodologia: Amostra do estudo será de conveniência, composta por mulheres a partir de 25 anos com diagnóstico clínico de NEM-1 já em seguimento pela equipe de pesquisadores. Após diagnóstico clinico (THAKKER RV, et. al.,2012), serão submetidas a questionário clinico epidemiológico para câncer de mama, rastreio com exame clinico, mamografia e ultrassonografia e realização do perfil genético por sequenciamento de Sanger para NEM-1 e genes envolvidos no câncer de mama BRCA1,BRCA2, BARD1, PALB2, ATM, CHEK2,RAD5,TP53 conforme diretriz do NCCN
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Ruth Moresco Miranda

Lingüística, Letras e Artes

Lingüística
  • da natureza dos erros (orto)gráficos: um estudo experimental e repercussões para o ensino
  • A proposta tem como tema a natureza dos erros ortográficos produzidos por alunos do ensino fundamental a partir da análise de dados extraídos de instrumentos construídos para a pesquisa. Miranda (2020) sustenta que os erros de escrita resultam da ancoragem da criança em diferentes tipos de conhecimento: fonológico, ortográfico e fonográfico. Pretende-se com esta pesquisa dar início a uma nova etapa nas investigações do GEALE: coleta, descrição e análise de dados controlados, os quais possibilitarão não somente aprofundamento da discussão sobre a natureza dos erros, a partir da testagem das hipóteses da pesquisa pelo desenho metodológico experimental, mas também subsídios para a proposição de atividades de ensino da ortografia (ensino presencial e remoto). Serão criados três grupos de instrumentos para coleta de dados específicos para a análise de fenômenos já observados nos estudos anteriores com o intuito de validar as categorias propostas referentes à natureza dos erros. As tarefas referentes à categoria fonográfica incluem avaliações sobre a memória de trabalho, o conhecimento das letras e capacidades de realizar atividades que envolvem aspectos segmentais e silábicos. Quanto à categoria fonológica, serão desenvolvidos dois grupos de instrumentos, o primeiro para produção escrita de segmentos, com foco nas vogais, nas consoantes e nas semivogais; e o segundo para a produção de grafias que envolvam sílabas complexas com ataque ramificado e com rima ramificada. Os instrumentos para análise da categoria ortográfica propiciarão escritas reguladas por regras contextuais e arbitrárias do sistema ortográfico. Após a confecção dos instrumentos, será feita a aplicação a turmas de 1º ao 5º ano de escolas públicas, totalizando 500 sujeitos. Os dados após tratados serão analisados e serão estabelecidas implicações, em dimensões teóricas e aplicadas, relativamente aos estudos linguísticos e à prática educacional.
  • Universidade Federal de Pelotas - RS - Brasil
  • 21/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Ana Sara Ribeiro Parente Cortez Irffi

Ciências Humanas

História
  • a fabricação de um interior para o brasil: o alto sertão e as lutas de independência
  • O processo de independência brasileiro foi marcado também pelo esforço para estabelecer o território da nação, com a manutenção dos limites da antiga América Portuguesa, num processo inverso à fragmentação experimentada pela vizinha América Espanhola. Internamente, a definição do espaço político e administrativo, bem como suas fronteiras, foi controversa. Trata-se da tentativa de domínio de um espaço que ficou conhecido como Alto Sertão, distante do centro administrativo da nova nação, e que desafiava o poder e alcance da Corte do Rio de Janeiro, bem como os limites geopolíticos das províncias do Norte. Importa entender a tensão entre uma delimitação territorial alheia aos projetos de integração e a consolidação do território e do Império do Brasil nos moldes da Corte. Para isso, é necessário superar uma discussão que restringe o período da independência como passivo e pacífico e evidenciar como esse processo foi demorado, tendo efeitos até 1825, e não imediatista, como marcado pela historiografia tradicional do evento ‘independência ou morte’. E compreender quão ameaçadora pode ter sido a ocorrência de revoltas para os projetos de integração e manutenção do território brasileiro em toda a sua extensão; analisar em que medida a Revolução Pernambucana (1817) e a Confederação do Equador (1824) se constituem, junto à revolta de Pinto Madeira (1831), no Ceará, três momentos de um mesmo conflito em torno do território e suas bases de poder (que contribuíam para uma centralização administrativa e a formação da nação); e, nesse processo, estudar as tensões entre proprietários de terras e políticos do Alto Sertão, com relação à produção do território da nação. A documentação arrolada para a pesquisa é em parte inédita e constituída por fontes cartoriais, cartográficas, correspondências oficiais, documentos militares e processos-crimes relacionados às questões de terra e marcos espaciais do chamado Alto Sertão.
  • Universidade Federal do Ceará - CE - Brasil
  • 24/08/2022-31/08/2025