Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Vanessa Salete de Paula

Ciências da Saúde

Medicina
  • o impacto pós-covid-19 em pacientes cirróticos e portadores de hepatite
  • A síndrome pós-COVID-19 inclue o aumento das enzimas hepáticas e manifestações neuropsicológicas, principalmente em pacientes cirróticos e/ou com carcinoma hepatocelular (CHC) e infectados pelos vírus da hepatite B (HBV) e hepatite C (HCV). A infecção pelos vírus das hepatites está emergindo como causa de distúrbios do sistema nervoso central e periférico. Como causas principais (i) a tempestade de citocinas, interleucina (IL) -2, IL-6, IL-7, IL-10 e fator de necrose tumoral α (TNFα), (ii) a infecção dos hepatócitos, colangiócitos e células do sistema nervoso central, (iii) medicamentos, (iv) hipóxia. Polimorfismos nos genes ABCB1 e ABCB11 que codificam a glicoproteína P (Pgp) e a bomba exportadora de sais biliares (BSEP) estão relacionados com resistência e com a hepatotoxicidade a medicamentos. Hipótese: portadores de hepatite B ou C com o polimorfismo genético no transportador ABCB1 e ABCB11 desenvolvem da síndrome pós-COVID-19 e tem alterações nos níveis de citocinas e enzimas hepáticas. Para confirmar a hipótese pretendemos (1) realizar o monitoramento clínico hepáticas e neurológico de portadores de hepatite virais que tiveram COVID-19 (2) verificar a associação da gravidade pós-COVID- 19 e mutações nos genes ABCB1 e ABCB11, com o perfil de citocinas e com as variantes de SARS CoV-2. Coortes de pacientes do ambulatório de doenças do fígado Hospital Universitário Gaffrée Guinle (HUGG/UNIRIO) e do ambulatório de referência nacional de hepatites virais da Fundação Oswaldo Cruz (IOC/FIOCRUZ) serão monitoradas clinicamente e laboratorialmente por análises bioquímicas, hemograma, enzimas hepáticas, citocinas (IL-2, IL-6, IL-7, IL-10 e TNFα), mutações (ABCB1 e ABCB11). Espera-se verificar se a variabilidade genética viral e as mutações genéticas podem influenciar na síndrome pós-COVID- 19, dado útil para o monitoramento e prognostico dos pacientes.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 23/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Vanessa Sena Tomaz

Ciências Humanas

Educação
  • educação intercultural: investigando metodologias para pesquisas e formação de professores com e por povos tradicionais e campesinos.
  • O projeto analisa práticas de pesquisa e de formação docente armazenadas no Banco de Dados do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Escolar Intercultural Indígena (GEPEEI) que desenvolve pesquisas nas temáticas educação escolar indígena, Educação do Campo e Educação Escolar Quilombola. Neste grupo investiga-se práticas educativas que envolvem aspectos quantitativos, relacionais e espaciais das respectivas comunidades e como elas se articulam no currículo das escolas. Parte-se do problema que a presença de indígenas, campesinos e quilombolas introduz um novo perfil de licenciandos e pesquisadores nas universidades, o que requer metodologias de pesquisa e de ensino interculturais, desenvolvidas em diálogo com seus modos de produção de conhecimentos. Fundamenta-se a análise das práticas educativas nos estudos decoloniais e na multiplicidade epistemológica que caracteriza as formas de produção de conhecimento desses povos. Busca-se o protagonismo deles atuando como orientadores de metodologias para análises e discussões de suas práticas educativas. Para tanto, além dos não-indígenas, conta com a participação de pesquisadores indígenas dos povos Xakriabá (MG), Maxakali (MG) e Pataxó (BA) e campesinos, egressos da licenciatura do Campo da UFMG. Considerando as experiências individuais e coletivas dos participantes do grupo de pesquisa, os encontros periódicos terão o formato de oficinas de contação de histórias para a discussão das práticas. Ainda em atenção a diversidade linguística, o material empírico é formatado em diferentes meios comunicacionais (vídeo, notas de diário de campo, fotografias, gestos, imagens, etc), configurando um conjunto de dados multimodais, que serão analisados segundo essa perspectiva. Espera-se com análise das práticas escolares desses diferentes povos, desenvolver ferramentas teóricas e metodológicas que fundamentem o ‘fazer juntos’ na pesquisa intercultural, em especial as práticas que caracterizam como matemáticas.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Vanessa Silveira Barreto Carvalho

Engenharias

Engenharia Mecânica
  • proposta de apoio à formação de doutores para o fortalecimento de áreas estratégicas dos programas de pós-graduação da unifei
  • Vide projeto anexo
  • Universidade Federal de Itajubá - MG - Brasil
  • 03/04/2020-02/04/2025