Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Simone Mainieri Paulon

Ciências Humanas

Psicologia
  • sofrimento psíquico, estratégias de produção de saúde e invenção do bem viver por mulheres imigrantes e refugiadas em tempos pandêmicos
  • Este projeto parte do reconhecimento acerca da complexidade que envolve o intenso fluxo de migrações forçadas no mundo, dentro do qual ocorre um recente e crescente fenômeno de feminização. Dentre a população migrante, recaem fatores de vulnerabilização ainda maiores sobre as mulheres já que, além das dificuldades inerentes aos processos de desterritorialização, somam-se as sobrecargas das atividades domésticas, dos cuidados com filhos, da precarização dos vínculos de trabalho, entre outras violências de gênero operadas pelas culturas patriarcais, coloniais e racistas dos países a que se destinam. Para abordar a complexidade da questão, este estudo toma a questão da Saúde e Bem Viver como foco, estruturando-se sob o objetivo geral de compreender o sofrimento psíquico de mulheres imigrantes e refugiadas nas cidades de Porto Alegre/RS e Boa Vista/RR, desde um paradigma decolonial, de modo a identificar as estratégias de produção de saúde e resistência às opressões de gênero, raça e classe, intensificadas com as restrições impostas pela pandemia do covid-19. A relevância de tal investigação relaciona-se às significativas transformações dos processos migratórios e seus efeitos diretos sobre as políticas públicas de saúde e acolhimento às populações envolvidas, bem como sobre os países que as acolhem. Desse modo, este estudo será norteado pela seguinte questão de pesquisa: Quais estratégias as mulheres migrantes e refugiadas em Porto Alegre e Roraima constroem para produzir saúde e bem viver de forma a enfrentar o sofrimento psíquico e vulnerabilidades decorrentes das violências oriundas nas marcas coloniais da sociedade brasileira e intensificadas durante a pandemia de covid-19? E como as políticas públicas podem aprender com elas? A fim de alcançá-lo, a metodologia de pesquisa-intervenção será sustentada por tecnologias de grupo, tais como Oficinas e Rodas de Conversa, que se utilizarão de diários de campo e narrativas visuais e textuais como ferramentas de trabalho.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 11/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Simone Pereira Taguchi Borges

Outra

Multidisciplinar
  • materiais: uma ciência para todos
  • O município de Seropédica é historicamente caracterizado pelos piores indicadores do Estado do Rio de Janeiro, no que se refere à violência, escolaridade, economia, taxa de homicídio, desenvolvimento humano, geração de emprego e renda. Um dos ODS refere-se à formação dos indivíduos de modo a permitir uma qualificação adequada para o mundo profissional. Entretanto, há um descompasso entre os diferentes níveis do sistema de ensino brasileiro, principalmente comparando os cursos superiores em engenharias com o Ensino Médio (EM). Essa discrepância tem desmotivado jovens a realizar graduação, e mais intensamente nas áreas mencionadas, que por muitas vezes são consideradas intangíveis, e por esse motivo, existe uma forte necessidade de políticas públicas para reverter essa realidade. Esta proposta visa realizar uma feira de ciências e oficinas, durante a SNCT-UFRRJ em 2022, com a participação de alunos do EM das escolas de Seropédica. Acredita-se que a realização do projeto pode promover o ensino por investigação voltado à solução de problemas “aprender-fazendo”; aprimorar qualificação de professores do EM por meio de formação continuada; estimular o interesse dos alunos do EM pelas carreiras científicas; promover maior interação da comunidade acadêmica com as causas sócio-ambientais, contribuindo para a formação de cidadãos e o fortalecimento das atividades de extensão universitária. É sabido que o despertar pela ciência muitas vezes vem das coisas simples e lúdicas, e por isso novas técnicas de ensino têm sido amplamente discutidas, estando as feiras de ciências e oficinas como pontos efetivos do aprendizado. No evento será enfatizado as áreas de atuação do engenheiro de materiais, trazendo o uso de metais, cerâmicas e polímeros para o cotidiano, e mostrando processamentos práticos de alguns produtos. A premiação dos trabalhos na feira e a realização de ICJunior incentivará à formação profissional universitária, colaborando para a minimização das desigualdades sociais.
  • Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 08/12/2021-31/12/2023
Foto de perfil

Simone Petraglia Kropf

Ciências Humanas

História
  • o tempo presente na fiocruz: ciência e saúde no enfrentamento da pandemia de covid-19
  • Desde as primeiras notícias sobre o novo coronavírus em fins de 2019, a Fiocruz organizou-se, num esforço ampliado e integrado, para enfrentar a doença que viria a ser declarada pela OMS, em março de 2020, uma emergência sanitária global, que apresentaria desafios sem precedentes à sociedade brasileira e ao Sistema Único de Saúde. Desde então, a instituição vem dando respostas à pandemia em diversas frentes: conhecimentos sobre o Sars-Cov-2 e a Covid-19 (em distintos campos do conhecimento); produção de métodos e tecnologias de diagnóstico (bem como sua distribuição aos serviços e organismos do Ministério da Saúde); capacitação de profissionais do país e da América Latina que atuam na vigilância; assistência médica; realização de pesquisas clínicas em busca de terapêuticas; elaboração, sistematização e disponibilização de dados epidemiológicos; implementação de ações voltadas a populações vulneráveis e de ações de comunicação destinadas a informar e sensibilizar a população sobre medidas de prevenção da Covid-19; promoção de cursos e atividades educativas voltadas a profissionais de saúde e diversos públicos; produção da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford/AstraZeneca mediante contrato de transferência de tecnologia; estudos de farmacovigilância deste imunizante e desenvolvimento de outras vacinas contra a Covid-19. Trata-se sem dúvida de um marco na trajetória da instituição, que ao longo de seus 121 anos enfrentou várias outras crises e emergências sanitárias. O objetivo principal deste projeto diz respeito à análise da Fiocruz, a partir dos significados conferidos a sua atuação no presente, como caso emblemático para se pensar a historicidade e a dimensão social da ciência e da saúde e, ao mesmo tempo, como balizadores para uma visão de futuro a se construir no enfrentamento dos desafios contemporâneos da sociedade brasileira. Sob tal perspectiva, a rede dos grupos, áreas e ações de enfrentamento da Covid-19 pela instituição ganha sentido sob a conjuntura específica da emergência, mas também a partir das distintas tradições pelas quais a Fiocruz se organizou como instituição de ciência, tecnologia e inovação em saúde para o SUS. Num contexto marcado por dissensos e incertezas, examinar como os diversos atores relacionados à instituição se movem na produção dos acordos e consensos básicos em torno da Covid-19 pode fornecer lentes para a análise da instituição como espaço de ciência e de saúde dotado de grande legitimidade social e reconhecimento público e, ao mesmo tempo, para o debate mais amplo (central no campo da história e dos estudos sociais da ciência e da tecnologia) sobre a expertise científica e sua autoridade epistêmica e social em contextos marcados por negacionismos e ataques à ciência. Trata-se, em suma, de um caso particularmente rico para se pensar as relações entre ciência, saúde e democracia. Um segundo eixo do projeto diz respeito à constituição de um acervo de depoimentos orais coletados junto a um amplo e diversificado conjunto de profissionais da Fiocruz, em suas diversas frentes e áreas de atuação, e de grupos com os quais ela se relaciona na sociedade. Além de proverem o acesso aos sentidos conferidos à atuação institucional, objeto central da pesquisa, tais entrevistas serão de grande importância para ampliar o vasto acervo arquivístico da Fiocruz, sob a guarda da Casa de Oswaldo Cruz, estimulando assim novos caminhos de investigação sobre a pandemia e sobre a história da Fiocruz e das ciências e da saúde no país. A proposta de pesquisa aqui apresentada pretende contribuir igualmente para as reflexões e desafios teórico-metodológicos próprios à história do tempo presente e à história institucional. As parcerias com o Departamento de Arquivo e Documentação da Casa de Oswaldo Cruz e o Laboratório de Pesquisa em Comunicação e Saúde do ICICT, e a interlocução com pesquisadores de outras unidades da instituição, conferem ao projeto uma dimensão transdisciplinar fundamental não somente à análise do tema das emergências sanitárias, mas ao exercício de reflexividade necessário a um empreendimento que busca apreender a complexidade e as múltiplas dimensões das instituições científicas a partir de sujeitos situados na própria instituição que se pretende examinar. Por fim, o terceiro eixo do projeto diz respeito à articulação das ações de pesquisa em história das ciências e da saúde e de acervo e patrimônio cultural das ciências e da saúde com atividades no âmbito da divulgação científica. Num momento em que a pandemia intensifica as expectativas e ao mesmo tempo as incertezas quanto ao papel e ao lugar da ciência na sociedade, incertezas essas amplificadas por discursos negacionistas, o projeto pretende contribuir para que o público possa compreender (e valorizar) as ações da Fiocruz no presente como parte de uma tradição da ciência brasileira que se constituiu no tempo, em contextos distintos e em processos coletivos que envolvem acordos mas também tensões e dissensos. A visibilidade pública alcançada pela Fiocruz será, desse modo, um meio para se promover reflexões sobre os muitos desafios enfrentados pela ciência e pela saúde brasileiras no passado e no presente. Além de propor atividades para as Semanas Nacionais de Ciência e Tecnologia, o projeto pretende desenvolver um conjunto de podcasts que apresentem as principais frentes de atuação da Fiocruz na pandemia de modo articulado à história da instituição em cada uma dessas frentes, valendo-se de trechos de entrevistas realizadas nesta ocasião e também de depoimentos que já compõem o acervo de história oral da COC. A perspectiva dessa articulação, requisito do próprio Programa ao qual a presente proposta está submetida, constitui um dos desafios contemporâneos da sociedade brasileira, na medida em que o fortalecimento da credibilidade da ciência e dos espaços institucionais de produção de conhecimento se faz imprescindível à própria defesa da democracia.
  • Fundação Oswaldo Cruz - RJ - Brasil
  • 05/11/2021-30/11/2024
Foto de perfil

Simone Sehnem

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • análise de aspectos ligados ao esg (environmental, social and governance) da produção de aves e suínos no sistema de integração do oeste catarinense, líder mundial de produção de proteína animal
  • Esta proposta de estudo parte do pressuposto de que a competitividade das empresas, especialmente aquelas atuantes no sistema de integração, tem relação direta com a estrutura de governança articulada pela empresa focal da cadeia de produção. Acredita-se que a agroindústria é responsável pela promoção de estímulos e articulações para o engajamento de todos os atores, especialmente no sistema de integração. Assim, o sistema de integração é visto como sendo altamente dependente das agroindústrias, sendo responsáveis pela proposição da estrutura de governança, internalização e estímulo a adesão de boas práticas ambientais e sociais. Baseado nesse pressuposto, este estudo tem como objetivo analisar aspectos ligados ao ESG (Environmental Social and Governance) da produção de aves e suínos no sistema de integração do oeste catarinense, líder mundial de produção de proteína animal. Será realizada uma survey, com produtores integrados a agroindústrias do extremo oeste catarinense, que é reconhecido como sendo um líder global de produção de carne. A proposta consiste na realização de uma pesquisa em 3 associações e municípios, totalizando uma cobertura de 62 municípios, onde atuam 3 dos grandes players nacional de produção de proteína animal. A coleta de dados será viabilizada por meio de parcerias com as prefeituras municipais, e os questionários serão aplicados por agentes comunitárias de saúde na oportunidade em que realizarem as visitas periódicas as famílias. Será efetuado o treinamento das mesmas utilizando uma ferramenta online e também acompanhamento do processo de aplicação dos questionários. Espera-se como resultado, a obtenção de um diagnóstico completo, detalhado e capaz de gerar dados que possam embasar políticas públicas locais que fomente o desenvolvimento local.
  • Universidade do Oeste de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025