Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Sirius Oliveira Souza

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • mudanças climáticas, desertificação e suas implicações na redução da biodiversidade e de áreas produtivas: análise de cenários sustentáveis no semiárido baiano.
  • O Brasil possui a zona semiárida mais populosa do mundo, com a maior parte incluída no estado da Bahia, onde residem cerca de 48% da população baiana e se produz 28% do PIB estadual. Neste contexto, as zonas semiáridas são susceptíveis a desertificação, problema que afeta ecossistemas gerando perda de biodiversidade e consequências socioeconômicas severas. Frente aos fatores históricos de uso inadequado da terra que em cenários de mudanças climáticas tendem a intersecionar fenômenos como a superexploração da terra, maior pobreza, insegurança alimentar e insegurança hídrica, denota-se a necessidade de estudos sobre a gravidade e complexidade dos processos de desertificação destes ambientes. Portanto, o objetivo deste projeto é compreender a dinâmica ambiental das áreas susceptíveis a desertificação no contexto das ações antrópicas e cenários de mudanças climáticas, tendo em vista a proposição de um zoneamento que contribua para o planejamento territorial e fundamente políticas de desenvolvimento sustentável. Assim, a partir da determinação de setores do semiárido baiano pretende-se aplicar o Índice de Áreas Ambientalmente Sensíveis, desenvolvido para identificar áreas vulneráveis à ameaça de desertificação no modelo MEDALUS (KOSMAS et al., 1999), que faz uso de variáveis e indicadores temáticos relacionados a clima, uso da terra, cobertura vegetal, qualidade do solo e aspectos socioeconômicos, para ao final gerar um mapa de zonas susceptíveis à desertificação. Em seguida, com o uso destes dados, realizar-se-á a modelagem de cenários futuros com uso de algoritmos de aprendizado de máquina e modelos climáticos projetados pelo IPCC, que consideram concentrações anuais de gases de efeito estufa e as emissões antropogênicas até 2100. Ao final, zoneamentos para cenários de desertificação serão realizados, privilegiando a manutenção da biodiversidade. Tais resultados, subsidiarão a efetivação dos instrumentos da Política Nacional de Combate à Desertificação (BRASIL,2015).
  • Universidade Federal do Vale do São Francisco - PE - Brasil
  • 07/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Sirlei Lemes

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • impacto da covid-19 na relação entre a corrupção e a divulgação de informações ambientais, sociais e de governança
  • Investidores consideram cada vez mais a conjunção da responsabilidade ambiental, social e de governança com indicadores financeiros na tomada de decisões. Muito embora as empresas reconheçam a necessidade de impactar positivamente o meio-ambiente, colaboradores e a comunidade, as métricas para a divulgação destes impactos não estão bem desenvolvidas, com reflexos na assimetria de informação entre empresas e investidores. O objetivo deste estudo é examinar a relação entre os níveis de corrupção dos países e os níveis de evidenciação de informações ambientais, sociais e de governança (ESG), notadamente no âmbito da pandemia da COVID-19, período cujas emergências sanitárias criaram a “tempestade perfeita” para as práticas de corrupção. Na discussão de uma agenda de sustentabilidade, a hipótese testada será se a transparência de informações ESG é mais perceptível em países com menores níveis de corrupção e se essa percepção foi impactada pela pandemia da COVID-19.O arcabouço teórico está fundamentado na Teoria Institucional, que sinaliza que os gestores de empresas de países com frágeis políticas anticorrupção tendem a evidenciar menos informações e na Teoria de Agência, que indica que os gestores podem desfrutar de benefícios privados, ou sacrificar projetos rentáveis, ao investir no ESG à custa do valor do acionista. Por meio de modelos econométricos, será analisado o comportamento de 180 países, durante os anos de 2010 a 2023, considerando as variáveis correlatas da literatura a respeito dos temas. Espera-se contribuir com a literatura, gestores e investidores por meio de uma melhor compreensão da relação entre a corrupção e a divulgação de informações ESG, em períodos de incertezas. Os resultados também têm implicações nas políticas públicas ao sinalizar estratégias centradas no combate à corrupção, na melhoria da transparência e na geração de valor para as comunidades inseridas no entorno dos ambientes empresariais.
  • Universidade Federal de Uberlândia - MG - Brasil
  • 07/02/2022-28/02/2025