Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Vanessa de Oliveira Martins-Reis

Ciências da Saúde

Fonoaudiologia
  • proposta e análise de eficácia de dois programas para o modelo de resposta à intervenção (rti) em escolares do ensino fundamental no contexto pós pandemia e fatores associados
  • De acordo com a UNESCO, os efeitos da pandemia da COVID-19 na vida das crianças não são limitados à saúde e bem-estar, mas estendem-se a muitas dimensões da vida da criança como educação, segurança e pobreza. Estudo americano aponta que o ganho em leitura de crianças no início da alfabetização se reduzirá pelo menos 66% com o fechamento das escolas durante a pandemia. Sendo a leitura fundamental para o desenvolvimento do indivíduo, as alterações de leitura podem configurar uma iniquidade em saúde. Dessa forma, o presente estudo tem como objetivo verificar a associação entre leitura, processamento auditivo, respiração oral, higiene do sono, qualidade de vida, nível socioeconômico, saúde geral, saúde mental e recursos do ambiente familiar em crianças em processo de alfabetização. Além disso, pretende-se propor dois programas para a 1ª camada do Modelo de Resposta à Intervenção (RTI), um em processamento fonológico e o outro em processamento auditivo, e verificar qual dos dois traz mais ganhos para o desempenho em leitura das crianças. Acredita-se que o RTI é fundamental para recuperação do aprendizado das crianças nessa fase de reabertura das escolas. O RTI já se consagrou nos EUA e Europa como política de educação, tendo disponível muitos programas para serem usados pelas equipes de saúde e educação. No Brasil ainda existem poucos estudos com o RTI e apenas três programas para a 1ª camada, todos com foco na consciência fonológica e correspondência fonema-grafema, sem estimulação das outras habilidades do processamento fonológico (nomeação rápida e memória operacional fonológica) e do processamento auditivo. Serão selecionadas 100 crianças matriculadas no 2º ano do Ensino Fundamental, 50 crianças participarão da intervenção em processamento fonológico e 50 em processamento auditivo. Antes e ao final da intervenção as crianças serão avaliadas quanto à leitura, processamento auditivo e aplicação de questionários para levantamento das demais variáveis do estudo.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 07/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Vanessa de Souza Mello

Ciências da Saúde

Nutrição
  • determinantes da obesidade e aspectos relacionados ao seu tratamento: abordagens epidemiológica e experimental
  • A obesidade é uma doença de caráter pandêmico e etiologia multifatorial, representando um problema de saúde pública e atuando como fator agravante de outras doenças, como a COVID-19. Fatores ambientais e uso de medicamentos participam da gênese da obesidade. Alterações na microbiota intestinal (disbiose) precedem a obesidade, sendo alvo para o seu tratamento. O presente projeto consiste em três subprojetos, tendo como objetivos: avaliar o papel da gordura Interesterificada (presente em alimentos ultraprocessados) na gênese da obesidade em modelo experimental (subprojeto 1), avaliar a associação entre e obesidade e coocorrência de utilização de medicamentos para tratamento de comorbidades associadas usando dados da Pesquisa Nacional de Saúde 2019 (subprojeto 2), e avaliar o controle da obesidade a partir da modulação filogenética da microbiota intestinal pela ativação dos receptores ativados por proliferadores de peroxissoma (PPARs) em modelo experimental (subprojeto 3). Sendo assim, a hipótese do subprojeto 1 é de que o consumo de gordura interesterificada promova alterações metabólicas levando ao desenvolvimento da obesidade; a hipótese do subprojeto 2 é que a obesidade está relacionada a um padrão de utilização de medicamentos diferente daquele observado entre indivíduos com eutrofia; A hipótese do subprojeto 3 é de que a ativação dos PPARs atenue a obesidade pela melhora da disbiose intestinal, com redução da esteatose hepática, inflamação, e aumento da termogênese. Os subprojetos integram diferentes nuances da obesidade (gênese, epidemiologia e tratamento) e enquadram-se em linhas de pesquisa bem estabelecidas pelos pesquisadores envolvidos. A metodologia envolve técnicas já desempenhadas pela equipe e a participação de todos os membros, cada um utilizando suas expertises na análise dos dados epidemiológicos secundários ou na condução do estudo experimental e técnicas de biologia molecular, microscopia de luz, eletrônica, confocal e análises bioquímicas.
  • Universidade do Estado do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025