Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Thais Suzane Milessi Esteves

Engenharias

Engenharia Química
  • valorização de subprodutos do processamento da cana-de-açúcar utilizando tecnologia enzimática e bioprocessamento consolidado integrados aos processos de downstream para a produção de xilooligossacarídeos, coquetel enzimático e bioetanol.
  • O desenvolvimento de biorrefinarias integradas e a utilização total da biomassa vegetal, como a palha e o bagaço de cana-de-açúcar, são cruciais para o estabelecimento de uma matriz energética global baseada em fontes renováveis. A viabilidade econômica das biorrefinarias depende tanto do aprimoramento de tecnologias emergentes, como o Bioprocessamento Consolidado (BPC), quanto da obtenção de um portfólio de produtos de maior valor agregado, além de commodities (como bioetanol). No BPC, a produção de enzimas, hidrólise da biomassa e fermentação dos açúcares ocorrem em um único reator, tendo a transposição dessa tecnologia para a escala industrial como principal desafio. Já na obtenção de produtos de maior valor agregado, o desafio reside no desenvolvimento de processos de upstream e downstream ambientalmente corretos e acessíveis. Neste sentido, a utilização de enzimas imobilizadas em suportes magnéticos se destaca, pois viabiliza a aplicação destes biocatalisadores em processos industriais devido à facilidade de reutilização. Já as etapas de recuperação de bioprodutos podem ter o custo reduzido pela incorporação de tecnologias inovadoras. Neste projeto propõe-se o desenvolvimento de processo integrado para o aproveitamento de subprodutos do processamento da cana visando à produção de xilooligossarídeos (XOS), utilizando xilanases imobilizadas em micropartículas magnéticas, além de bioetanol 2G e coquetel enzimático por BPC, a partir de cepas recombinantes de Saccharomyces cerevisiae capazes de secretar 7 enzimas hidrolíticas. Além dos estudos abordando a produção de XOS e o BPC, tecnologias inovadoras para a purificação dos XOS e a recuperação do coquetel enzimático utilizando partículas magnéticas serão desenvolvidas, empregando abordagem que combinará a aquisição de dados experimentais com ferramentas computacionais para modelagem, simulação e intensificação desses processos. Será ainda realizada análise técnico-econômica-ambiental dos processos desenvolvidos.
  • Universidade Federal de Itajubá - MG - Brasil
  • 16/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Thaisa Cristina Bueno

Ciências Sociais Aplicadas

Comunicação
  • assédio a professoras no ensino superior: um estudo sobre a realidade nos programas de p ós-graduação no nordeste
  • O projeto “assédio a professoras no ensino superior brasileiro” tem como principal objetivo “Analisar os aspectos da experiência do assédio sexual e moral vivenciadas por docentes de pós-graduação stricto sensu em Comunicação no Nordeste”. Ao buscar mapear a realidade de trabalho das pesquisadoras mulheres, dos programas de pós-graduação em Comunicação, no Nordeste brasileiro no que tange o assédio moral e sexual, identificaremos como a condição de ser mulher impacta na carreira das pesquisadoras. Nesse sentido, temos a intenção de entender as condições de trabalho das pesquisadoras e como as questões de gênero, mais pontualmente de assédio, interferem no seu desenvolvimento a acadêmico é contribuir não apenas para diagnosticar uma realidade, mas para pensar estratégias de ação no combate à desigualdade e o respeito dentro da academia, um lugar que, em tese, reúne pessoas que pela própria formação estão mais esclarecidas sobre a temática e seus direitos, mas não estão imunes das barreiras estruturais da sociedade em que estão inseridas. Os procedimentos metodológicos da pesquisa serão: aplicação de questionários e realização de entrevistas em profundidade. Atualmente, dos nove estados do Nordeste, apenas Alagoas não oferece curso de pós-graduação neste nível. Os oito demais, juntos, incluindo cursos públicos e privados, somam 12 programas – Sergipe (1), Piauí (1), Rio Grande do Norte (1), Pernambuco (2), Bahia (2), Maranhão (2), Paraíba (2), Ceará (1). Embora não saibamos qual a porcentagem de docentes é mulher nesse universo e essa seja, inclusive, uma pergunta a ser respondida nesta pesquisa, sabe-se, por meio de outros estudos, que as pesquisadoras brasileiras têm ocupado um papel de destaque nas suas áreas de atuação.
  • Universidade Federal do Maranhão - MA - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Thales Nicolau Prímola Gomes

Ciências da Saúde

Educação Física
  • termorregulação comportamental durante o exercício físico em ambientes temperado e quente: efeitos do envelhecimento.
  • Vide projeto anexoO aquecimento global e as frequentes ondas de calor desafiam a sobrevivência e a prática de exercício físico em ambientes cada vez mais quentes, o que tem ganhado atenção da ciência. Dentre as populações expostas às mudanças climáticas, aquelas com idades mais avançadas estão entre as de maior vulnerabilidade às doenças pelo calor, principalmente indivíduos com comorbidades cardiovasculares. Assim, entender como o organismo em processo de envelhecimento adapta-se à realização de exercícios físicos no calor é fundamental para a prática segura e a prevenção de acidentes pelo calor, haja vista as relatadas milhares de mortes durante as ondas de calor nas duas últimas décadas, principalmente relacionadas a complicações cardiovasculares. Esta questão tem importância especial no Brasil, país localizado numa zona climática diretamente afetada pelo aquecimento global e com uma população cada vez maior de indivíduos idosos. Paradoxalmente, esta população está sob ameaça das temperaturas extremas e estimulada a praticar exercícios físicos em função dos benefícios à saúde. Assim, o presente estudo busca compreender os limites entre prescrever exercícios físicos para a saúde e não os prescrever para prevenir das doenças pelo calor os indivíduos idosos. Especificamente, serão verificados os efeitos do envelhecimento na termorregulação comportamental durante o exercício físico em ambientes temperado e quente. Esta questão é plausível, uma vez que o aquecimento global e as ondas de calor veem sendo cada vez mais estudados pela comunidade científica. Serão comparados dois grupos fisicamente ativos: adultos jovens (n=6 homens e 6 mulheres; 18-30 anos) e idosos (n=6 homens e 6 mulheres; 65-70 anos). Será aplicado um exercício autorregulado de 30min em cicloergômetro, em 2 ambientes térmicos (25ºC e 35ºC). Serão mensuradas hidratação; temperaturas; taxa de sudorese; conforto e sensação térmica; frequência cardíaca, pressão arterial e biomarcadores sanguíneos.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 25/05/2022-31/05/2025
Foto de perfil

Thales Renato Ochotorena de Freitas

Ciências Biológicas

Biologia Geral
  • estudo de longa duração dos golfinhos nariz-de-garrafa, tursiops truncatus, do arquipélago de são pedro e são paulo, e avaliação da biodiversidade das águas do entorno através de uma abordagem ecossistêmica (dna ambiental e monitoramento acústico passivo)
  • Mais de 20 anos de pesquisa sendo desenvolvidas no Arquipélago de São Pedro e São Paulo (ASPSP) viabilizou não apenas descobertas sobre a biodiversidade local, mas também informações acerca de suas relações biológicas e do grau de vulnerabilidade de algumas espécies. Uma dessas descobertas, no início do PROARQUIPÉLAGO, foi a existência de uma população de golfinhos nariz-de-garrafa, Tursiops truncatus, nas águas de São Pedro e São Paulo, que desde 2005, e ao longo de três edições do Programa (Editais MCT/CNPq nº 56/2005, 26/2009, 39/2012), vem sendo monitorada pela nossa equipe. Os dados obtidos até o momento são surpreendentes e intrigantes, mas, sobretudo preocupantes. Através do monitoramento inicial dos animais por foto-identificação, descobrimos que a população é residente, composta por indivíduos com altos índices de fidelidade ao local. Mas, ao contrário do esperado para uma população tão pequena e geograficamente isolada, ao analisarmos os dados de biologia molecular, constatamos que essa população não apresentava evidências de endocruzamento e tampouco de ser geneticamente fechada, apresentando haplótipos compartilhados com populações do Atlântico Norte. Já os estudos de bioacústica revelaram o uso de sinais de comunicação específicos, provavelmente devido a adaptações às características do ambiente oceânico e distanciamento geográfico de outros grupos. Todas essas informações são inéditas, instigantes e despertam o interesse em aprofundar as pesquisas. Recentemente, análises de contaminantes trouxeram também uma apreensão – estes animais, apesar da considerável distância da ação direta de atividades antrópicas, exibem altos índices de poluentes orgânicos persistentes. As relações da cadeia trófica, dinâmica dos processos de bioacumulação e biomagnificação, a influência das correntes atmosféricas e oceânicas na dispersão destes compostos, assim como o impacto destes contaminantes a médio e longo prazo na reprodução, sobrevivência e viabilidade dessa população, ainda precisam ser estabelecidas. Com isto, torna-se imperativo o monitoramento dessa população, bem como a reavaliação e aprofundamento dessas informações. Pretendemos, assim, ampliar o número de amostras coletadas para análises genéticas e de contaminantes. O sequenciamento de nova geração, a ser usado pela primeira vez nessa população, é uma análise que permite investigar os parâmetros populacionais, sócio-genéticos e reprodutivos, superando muitas limitações do sequenciamento tradicional. Como possuímos dados prévios dessa população, essa análise ainda permitirá traçar uma comparação demográfica ao longo dos anos. Como complemento às análises de contaminantes serão avaliadas as lesões no DNA através da medida do comprimento telomérico, uma abordagem inovadora que acessa o status de saúde da população. Também será mantido o monitoramento visual, atualizando-se o catálogo de fotoidentificação e ampliando-se a área de estudo ao redor do ASPSP para reavaliar o tamanho e composição da população, o desaparecimento ou surgimento de novos indivíduos e, principalmente, o nascimento de filhotes. Do mesmo modo, dar-se-á sequência ao estudo de monitoramento acústico, determinado padrões de ocupação diária e sazonal e uso do habitat pela população. Mamíferos marinhos são animais de vida longa, e muitos problemas decorrentes das ações antrópicas, como um eventual declínio populacional devido à redução na fertilidade causada por contaminantes, são revelados somente após anos de monitoramento. Apesar disto, podem ser considerados organismos bioindicadores para o ambiente onde se encontram, sinalizando problemas que passariam despercebidos. Salientamos que a presente proposta parte de uma base de dados prévia, com informações coletadas em 18 expedições anteriores, o que permite reavaliá-las, refiná-las e compará-las, expandindo o conhecimento atual sobre essa população. Este é o primeiro estudo de longa-duração de uma população oceânica de golfinhos dessa espécie no Oceano Atlântico Equatorial, e o PROARQUIPÉLAGO, através de um esforço constante de aporte de recursos e capacitação de pesquisadores, vêm permitindo que estudos com tal viés sejam desenvolvidos nas regiões da ZEE Brasileira. Esta é uma oportunidade única para a comunidade científica estudar a ecologia da espécie em ambiente pelágico, contribuindo para seu conhecimento a um nível global. Outras espécies podem revelar preocupações similares quanto ao seu status de conservação. Assim, o presente projeto propõe-se a avaliar a biodiversidade e os níveis de contaminação de cetáceos e peixes nas águas do ASPSP, valendo-se da inovadora e não-invasiva técnica de DNA ambiental. Organismos-chave na cadeia trófica serão avaliados a fim de se estimar os níveis de bioacumulação de poluentes. Será também iniciado o monitoramento acústico passivo, registrando a diversidade das espécies de cetáceos nas adjacências do ASPSP. Com isto, espera-se gerar um quadro representativo da região, permitindo a comparação da biodiversidade e qualidade ambiental com outros ecossistemas, e servindo como banco de dados de referência para trabalhos futuros. Além de tecnologias robustas, reuniu-se uma equipe multidisciplinar, com pesquisadores de diversas áreas do conhecimento, como zoologia, genética, ecologia, oceanologia e bioacústica. O projeto compromete-se ainda com alguns dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU, como o que se refere à conservação dos oceanos, mares e recursos marinhos. As ilhas oceânicas abrangem cerca de 3% da superfície do planeta, e devido ao seu isolamento geográfico são ambientes que abrigam uma biodiversidade única, sendo conhecidos como viveiros da vida marinha. Pesquisas desenvolvidas no âmbito do ASPSP, principalmente as que visam desvendar a complexidade dos ecossistemas, levando em consideração animais sentinelas e processos oceânicos, podem oferecer informações capazes de contribuir substancialmente em tomadas de decisão relativas à conservação.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 28/11/2019-30/11/2022
Foto de perfil

Thárcylla Rebecca Negreiros Clemente

Engenharias

Engenharia de Produção
  • modelo de apoio ao diagnóstico de eficiência operacional das pequenas e médias empresas (pme) do polo industrial do interior de pernambuco
  • No Brasil, o papel que empresas de pequeno e médio portes (PME) assumem é relevante para o progresso econômico e social do país, em especial, por apresentarem uma contribuição significativa na geração de novos empregos para os setores de agropecuária, comércio, construção civil, indústrias e de serviços. De acordo com o Sebrae (2020), 30% do valor adicionado ao PIB do país é representado pelas atividades desses tipos de empresas, que totalizam cerca de 89,94% das empresas brasileiras registradas. Deste percentual, cerca de 55% indicam empresas atuantes nos setores industriais e de serviços, que apresentam sistemas operacionais de impacto socioeconômico para diferentes regiões do país. Em Pernambuco, as PME dos setores industriais e de serviços representam aproximadamente 40% dos empreendimentos registrados e distribuídos no polo industrial e Arranjos Produtivos Locais (APL) do interior do Estado (SEBRAE, 2020). Apesar dessa contribuição econômica, as gestões estratégicas das PME, muitas vezes, apresentam indicadores pouco estruturados e deficientes, o que impacta na eficiência operacional de seus sistemas produtivos. Observações apontam algumas dificuldades enfrentadas pelas PME, tais como falta de conhecimento técnico, falta de recurso financeiro, mão-de-obra qualificada, etc., no processo de implantação de métodos e ferramentas de gestão que ofereçam melhorias para os indicadores operacionais. Por esta perspectiva, este projeto tem o propósito de apresentar um modelo de apoio ao diagnóstico crítico e às metodologias de gestão viáveis ao contexto das PME. Para tanto, a metodologia consiste do mapeamento dos sistemas produtivos locais, coleta de dados, proposição do modelo, validação com estudos de casos e indicação das melhores práticas de gestão. Portanto, a proposta visa contribuir para o fortalecimento do polo industrial do interior de Pernambuco e elaborando produções científicas e tecnológicas para o alcance de melhorias na eficiência de sistemas produtivos.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 08/04/2022-30/04/2025