Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Yule Roberta Ferreira Nunes

Ciências Biológicas

Ecologia
  • colapso das veredas no sertão mineiro (fase ii): efeitos sobre a biodiversidade, serviços ecossistêmicos e saúde única
  • As veredas são um tipo fitofisionômico do Cerrado que apresentam comunidades hidrófilas associadas à palmeira Mauritia flexuosa L.f. (buriti). São ambientes que desempenham um papel fundamental no equilíbrio hidrológico dos cursos d’água e possuem grande importância ecológicae papel social ímpar. Apesar das veredas serem reconhecidas como Áreas de Proteção Ambiental, a ocupação antrópica de suas áreas naturaistem levado à exaustão destes ambientes. As veredas no norte de Minas estão secando. Na perspectiva de monitor e entender o processo de secamento das veredas sobre a biodiversidade, em 2016 foi aprovado o sítio PELD-VERE. A proposta aqui apresentada baseia-se na continuidade do sítio de pesquisa, que tem monitorado as variações climáticas e hídricas, a vegetação e seus processos ecológicos. Nesta perspectiva, a principal questão norteadora do PELD-VERE Fase II é: quais as consequências do secamento das veredas para biodiversidade, serviços ecossistêmicos e saúde única? Neste sentido, seguindo o desenvolvimento de diferentes sub-projetos que integram essa questão, várias questões foram endereçadas para o sítio PELD-VERE, nesta segunda fase: (1) qual limiar de tolerância da vegetação ao rebaixamento do lençol freático?; (2) qual o efeito da mudança do regime hidrológico na dinâmica espaço-temporal em termos de biomassa da vegetação?; (3) quais as linhas de tendência dos cenários bioclimáticos das veredas? (4) existe diferença na dinâmica do carbono do solo entre veredas em diferentes condições hídricas?; (5) quais mudanças estruturais e demográficas da comunidade vegetal ao longo do tempo?; (6) existem diferenças nas métricas de diversidade taxonômica (beta), funcional e filogenética em veredas sob diferentes condições hídricas?; (7) o comportamento fenológico reprodutivo nas diferentes veredas se manterá divergente, como resposta a mudanças na composição florística?; (8) o secamento das veredas influencia na época e intensidade das fenofases vegetativas e reprodutivas do buriti (Mauritia flexuosa L.f.) e do xiriri (Mauritiella armata Mart.), espécies-chave deste sistema?; (9) a deposição da serapilheira, decomposição e ciclagem de nutrientes responde as variações hídricas das veredas estudadas?; (10) qual é a contribuição do buriti e xiriri para o acúmulo de carbono e qual o impacto da diminuição da população destas espécies para o sequestro de carbono?; (11) aspectos da semente e germinação podem explicar a distribuição das espécies nos diferentes microambientes de veredas?; (12) como os fatores ambientais interferem na dinâmica do banco de sementes e como diásporos e plântulas das palmeiras-chave respondem ao estresse?; (13) quais são os efeitos do estresse hídrico imposto pelo processo de secamento na expressão de atributos estruturais e funcionais de galhas e sua relação com o ataque pelos inimigos naturais; (14) quais são os efeitos da mudança no regime hidrológico sobre a comunidade de insetos terrestres bioindicadores?; (15) existem efeitos da mudança no regime hidrológico sobre as interações ecológicas e no funcionamento dos processos ecossistêmicos?; e (16) a mudança no regime hidrológico das veredas promove o aumento do contato entre homens, animais silvestres e vetores de doenças? Em síntese, a proposta aqui apresentada mantém a coleta de dados iniciado na implantação do sítio e inicia uma abordagem ecossistêmica e de saúde ambiental, identificando as respostas da biodiversidade, serviços ecossistêmicos e saúde única frente as mudanças ambientais, causadas pelo secamento das veredas. Vários aspectos aqui abordados são essenciais para ações de gestão ambiental e na adoção de programas de conservação e restauração deste ecossistema, além de fornecer subsídios para políticas públicas que garantam a saúde única. Neste sentido, o PELD-VERE (Fase II) traz a perspectiva de mostrar a relação do impacto do secamento nos serviços ecossistêmicos e saúde única. Assim, o colapso das veredas não somente impacta a conservação da biodiversidade, mas afeta diretamente e as pessoas, pela perda dos serviços ecossistêmicos e pelo aumento da potencial ameaça de doenças zoonóticas.
  • Universidade Estadual de Montes Claros - MG - Brasil
  • 03/12/2020-31/12/2024
Foto de perfil

Zélia Soares Macedo

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • feira estadual de ciências, tecnologia e artes de sergipe (cienart)
  • A CIENART (www.cienart-se.com.br) é um projeto implantado no início de 2012, com culminância durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Consideramos que este evento já entrou definitivamente para o calendário da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) no estado. A equipe executora reúne pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento (Física, Educação, Matemática, Química, Letras, Geografia, Jornalismo, Administração e Audiovisual) e que já atuam em diversas atividades de divulgação e popularização da Ciência. O projeto prevê atividades ao longo de todo ano, concentradas principalmente na ampla divulgação do evento, na sensibilização e orientação técnica das comunidades escolares, através de Mini-Cursos, e na realização da Feira durante a SNCT. A abrangência do projeto é estadual e está previsto um número de pelo menos 300 trabalhos inscritos, com a plena adesão das escolas públicas e particulares do estado, além da participação dos bolsistas de Iniciação Científica Júnior (PIBICJr). A Feira deverá acontecer no Centro de Vivência da Universidade Federal de Sergipe.
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 28/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Zélia Soares Macedo

Outra

Divulgação Científica
  • feira científica de sergipe (cienart)
  • O objetivo deste projeto é a execução da Feira Científica de Sergipe (CIENART), que já teve 10 edições desde 2012 e deverá se realizar em 2022 e nos anos subsequentes. Atualmente, este é o evento com maior número de participantes na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) no estado. A equipe executora reúne pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento (Física, Letras, Química, Biologia, Educação, Psicologia) e que já atuam em diversas atividades de divulgação e popularização da Ciência. O projeto prevê atividades ao longo de todo ano, concentradas principalmente na ampla divulgação do evento, na sensibilização e orientação técnica das comunidades escolares, com mini-cursos e workshops, e na realização da Feira durante a SNCT. A abrangência do projeto é estadual, atualmente já conseguimos envolver 70% das cidades do estado. Para o próximo ano, está previsto um número de 300 trabalhos inscritos e 250 selecionados, com a plena adesão das escolas públicas e particulares, além da participação dos bolsistas de Iniciação Científica Júnior (PIBIC Jr). A Feira deverá acontecer no Centro de Vivência da Universidade Federal de Sergipe.
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 08/12/2021-31/12/2023
Foto de perfil

Zélia Soares Macedo

Outra

Divulgação Científica
  • ciência para todos: oficinas virtuais de experimentos
  • O presente projeto tem por objetivo realizar atividades de popularização de temas da Física, Química, Robótica, Matemática, e das atividades de pesquisa realizadas na Universidade Federal de Sergipe (UFS). Nosso público-alvo serão alunos e professores do ensino fundamental e médio. As atividades envolverão experimentos interativos nas áreas citadas, para demonstrar conceitos básicos de Ciências e usos atuais da tecnologia. Esta atividade tem apoio da Secretaria Estadual da Educação, da Associação Sergipana de Ciência e será realizada conjuntamente por professores da UFS e do IFS, e por alunos de Iniciação Científica e Pós-Graduação devidamente treinados. O grupo já possui um acervo de experimentos, que será renovado e ampliado, sendo que o grupo possui expertise para construção desses experimentos. Alguns aparatos simples serão construídos pelos participantes, durante Oficinas, e ao final serão entregues aos participantes. As atividades acontecerão durante todo o ano, mas serão intensificadas durante a Semana de Ciência e Tecnologia 2021. Dada a necessidade enfrentar os problemas de pobreza, educação, e participar da maneira mais plena em um mundo cada vez mais integrado, é importante que os cidadãos tenham acesso ao conhecimento básico sobre ciência e tecnologia, para conhecer suas possibilidades e melhor usufruir seus benefícios. A Ciência incorporada à cultura e integrada como instrumento tecnológico é indispensável à formação da cidadania contemporânea. A proponente deste projeto é docente do Departamento de Física da Universidade Federal de Sergipe (UFS) com ampla experiência em popularização da Ciência e divulgação científica. A equipe executora é multi-institucional, envolvendo professores da UFS, do IFS, da Secretaria Estadual da Educação e da EMBRAPA, atuantes em diversas áreas. A abrangência do projeto é intermunicipal (Linha B), envolvendo potencialmente todas as cidades do estado, mas priorizando 7 cidades que têm baixo IDHM e são aquelas que ainda têm pouca adesão aos outros eventos da SNCT. Assim, pretendemos ampliar a ação conjunta e levar a Ciência a 100 % das cidades do nosso estado.
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 05/10/2021-31/10/2023
Foto de perfil

Zélia Soares Macedo

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • desenvolvimento de nanomateriais para sensores luminescentes: produção, caracterização e aplicação
  • O objetivo principal deste projeto é a produção de nanopartículas de óxidos e fluoretos, estudo das propriedades básicas e desenvolvimento de aplicações de telas cintiladoras híbridas, nano-sondas para imagens biológicas, nanotermômetros e nanopigmentos para aproveitamento eficiente de energia solar. A execução combinará as expertises dos pesquisadores da UFS, IFSE e UFRB em diversas áreas de especialidades e obter dessa forma produtos que possam trazer avanços reais para a tecnologia nacional. A produção dos materiais é explorada via utilização de rotas de síntese de baixo custo eco-amigáveis, que possibilitem ainda um controle fino de tamanho, morfologia e estabilidade das micro e nanopartículas. Rotas de síntese hidrotermal assistida por microondas, rota sonoquímica e rota sol-gel modificada, usando substâncias húmicas de água de rio, são as propostas nesse trabalho. As propriedades dos sensores produzidos continuarão sendo exploradas, com bases em trabalhos anteriores, visando as aplicações desejadas. Etapas do trabalho já concluídas abriram novo conjunto de perguntas científicas a serem respondidas nas próximas etapas, principalmente visando o desenvolvimento de produtos e dispositivos de uso prático. Além dos pesquisadores das 3 instituições, a start-up, “ZEUS”, criada dentro do programa CENTELHA (MCTI/FINEP/FAPITEC-SE de 2019) a partir de ex-alunos da UFS, participará na avaliação do potencial de aplicação de produtos finais. A viabilidade técnica do projeto foi demonstrada nos últimos anos através de publicações do grupo e de teste preliminares de possíveis dispositivos, como no caso da tela cintiladora híbrida testada na linha IMX do LNLS apresentando desempenho similar ao cintilador comercial com redução 92% dos custos com tecnologia totalmente nacional. Publicações recentes do grupo demonstraram também a viabilidade de nanotermômetros, nanoapartículas funcionalizadas para bioimagens e nanopigmentos com melhor eficiência no aproveitamento de energia solar.
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 18/03/2022-31/03/2025