Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Yanne Katiussy Pereira Gurgel Aum

Engenharias

Engenharia Química
  • desenvolvimento de um dispositivo microfluídico impresso em 3d para detecção de derramamento de óleo em água
  • Nas últimas décadas vem se intensificando as preocupações relacionadas ao potencial de contaminação de corpos hídricos por petróleo e seus derivados em acidentes ambientais, causados por transporte de combustíveis em navios e dutos ou relacionados às atividades de exploração, produção e refino. Dispositivos portáteis para monitoramento em tempo real da poluição por óleo em ambientes aquáticos podem ser muito úteis na proteção ambiental. Isso porque, os métodos convencionais de análise de contaminantes geralmente precisam ser conduzidos em laboratório, envolvendo transporte, preparo da amostra e análise em equipamento profissional de alto custo. Neste contexto, esta proposta tem como objetivo o desenvolvimento de um sistema microfluídico para detectar automaticamente a poluição por óleo em amostra de teste. O protótipo do sistema proposto será fabricado usando tecnologia de impressão 3D e a detecção do óleo realizada em espectrômetro de fluorescência. A técnica de extração em fase sólida com bioadsorvente oriundo de resíduo regional amazônico será testada no enriquecimento do óleo em amostra padrão de mistura de óleo-água, visando aumentar a sensibilidade de detecção. Portanto, espera-se demonstrar que o dispositivo portátil desenvolvido pode ser potencialmente utilizado na detecção in-situ em tempo real na detecção de óleo em água.
  • Universidade Federal do Amazonas - AM - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Yara Cristina de Paiva Maia

Ciências da Saúde

Nutrição
  • smart prognostics: uma plataforma baseada em software integrando marcadores nutricionais, clínicos e moleculares para prognóstico de pacientes com câncer avançado
  • Os fatores prognósticos para cânceres avançados são essenciais para decisões sobre os objetivos terapêuticos e escolha do tratamento adequado. Os fatores prognósticos como achados clínicos, patológicos e biológicos são utilizados para predizer o comportamento clínico do paciente, como a possibilidade de recorrência da doença ou a sobrevida. No entanto, estes fatores clássicos parecem não ter impacto no prognóstico. Durante a prática clínica, percebe-se a necessidade de recorrer a outras estratégias, como identificação de novos marcadores prognósticos ou a criação de novos modelos prognósticos de sobrevida, uma vez que a predição da evolução é fundamental para o tratamento adequado. O objetivo deste projeto é desenvolver soluções tecnológicas inovadoras para o prognóstico de cânceres avançados que, atualmente, carecem de prognóstico efetivo, buscando a convergência entre as áreas de Nutrição, Biologia Molecular, Medicina e Computação. A solução se baseia na inclusão de marcadores nutricionais associados aos marcadores já existentes, para a criação de um modelo preditivo implementado em um sistema de software, almejando otimizar o tratamento por meio da estimativa precisa da sobrevida do paciente com tumores sólidos metastáticos. Ainda, o sistema a ser implementado, reconhecerá os diferentes perfis de marcadores e será capaz de recomendar terapias e condutas multiprofissionais que visem à melhoria da qualidade de vida do paciente. Um estudo prospectivo investigará a associação da sobrevida global de 200 pacientes com tumores sólidos metastáticos, com o consumo alimentar, composição corporal, estado nutricional, capacidade funcional, marcadores bioquímicos e inflamatórios, modelos prognósticos clássicos e marcadores moleculares. As avaliações serão trimestrais e o seguimento clínico até o óbito ou até a última avaliação após 6 meses da inclusão. O empacotamento da solução em um sistema de software representará um grande avanço tecnológico e de alto impacto social.
  • Universidade Federal de Uberlândia - MG - Brasil
  • 06/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Yara Teresinha Correa Silva Sousa

Ciências da Saúde

Odontologia
  • avaliação da degradação de cimentos obturadores biocerâmicos, em longo prazo, e seu impacto nas propriedades físico químicas, resistência de união à dentina radicular e atividade antimicrobiana
  • O avanço da ciência nos últimos anos tem proporcionado o desenvolvimento de novos materiais para favorecer o sucesso do tratamento endodontico. Os cimentos biocerâmicos apresentam alta liberação de íons cálcio, que, em contato com fluidos biológicos, propiciam o processo de bioatividade e favorecem a atividade antimicrobiana e o selamento pela deposição de rede de hidrato de silicato de cálcio misturado com hidroxiapatita. A bioatividade favorece a interação com a dentina, que resulta em maior penetração do cimento obturador nos túbulos, possibilitando maior resistência de união do material à dentina. Entretanto, não há estudos sobre o comportamento do material em longo prazo. O objetivo neste estudo será avaliar o efeito da degradação dos cimentos biocerâmicos Sealer Plus BC, Bio-C Sealer e Endosequence BC sobre suas propriedades físico químicas e atividade antimicrobiana em biofilmes de E faecalis. Ainda avaliar o impacto na interface de união material obturador/dentina, por microscopia confocal a laser (MCL) e microscopia eletrônica de varredura (MEV), na hidroxiapatita formada por difração de raios-x (DRX) e resistência de união pelo teste de push out. Corpos de prova de cada cimento serão distribuídos em grupos de acordo com a degradação (simulada por termociclagem): 28 dias (controle), 12 e 24 meses, e submetidos à analise da radiopacidade, alteração dimensional, solubilidade e pH, de acordo com a norma n57 da ANSI-ADA, e na atividade antimicrobiana por unidade formadora de colônia. Pré molares inferiores (n=90) serão preparados e obturados com os cimentos testados e distribuídos em 3 grupos, de acordo com a degradação (ciclagem termomecânica) nos mesmos períodos. Os dentes serão seccionados em 3 slices por terço (1,5 mm), que serão submetidos à MCL e push out, MEV e DRX. As análises qualitativas serão realizadas por examinadores calibrados e os dados quantitativos submetidos a análise estatística com significância de 5%.
  • Universidade de Ribeirão Preto - SP - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Yris Maria Fonseca Bazzo

Ciências da Saúde

Farmácia
  • desenvolvimento de chá fitoterápico solúvel de mangaba (hancornia speciosa gomes) pelos métodos de secagem por liofilização (freeze drying) e por atomização (spray drying)
  • As bebidas à base de plantas, como os chás, têm sido utilizadas como parte da cultura alimentar em diversos países. Os chás medicinais à base de plantas são fontes de compostos bioativos naturais, e esses compostos têm mostrado uma série de efeitos biológicos benéficos a saúde. A mangaba (Hancornia speciosa Gomes) é uma planta nativa brasileira com ocorrência confirmada em toda a extensão do bioma Cerrado e da Restinga. Os frutos constituem a parte da planta com maior valor comercial. De natureza essencialmente extrativista, a produção nacional de mangaba tem crescido ao longo dos últimos anos e atingiu 1.749 toneladas em 2019, com destaque para os estados da Paraíba, Sergipe e Bahia. Ao mesmo tempo em que a mangaba vem se valorizando no mercado nacional, a degradação das áreas de ocorrência natural da espécie na restinga tem crescido significativamente, devido à pressão exercida por produtores de cana-de-açúcar e grãos, silvicultores, criadores de camarão e especuladores imobiliários. Além do risco de perda do material genético e dos danos ambientais, o desmatamento também afeta diretamente a economia das comunidades tradicionais dependentes do extrativismo da mangaba feito majoritariamente por mulheres. As Catadoras de Mangaba atualmente se organizam em associações municipais, que não apenas coletam os frutos, mas também processam e comercializam produtos elaborados a partir da polpa e participam ativamente de ações de preservação das áreas de extrativismo de mangaba. Considerando o crescente mercado e aceitabilidade de produtos à base de plantas medicinais, espera-se, ao final deste projeto, obter formulação de chá solúvel do fruto de mangaba, contribuindo com a formação de recursos humanos e para o conhecimento da flora do bioma Cerrado, com a preservação de espécies nativas, com a economia das comunidades tradicionais dependentes do extrativismo da mangaba, diversificando os usos desta planta.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Yule Roberta Ferreira Nunes

Ciências Biológicas

Ecologia
  • colapso das veredas no sertão mineiro (fase ii): efeitos sobre a biodiversidade, serviços ecossistêmicos e saúde única
  • As veredas são um tipo fitofisionômico do Cerrado que apresentam comunidades hidrófilas associadas à palmeira Mauritia flexuosa L.f. (buriti). São ambientes que desempenham um papel fundamental no equilíbrio hidrológico dos cursos d’água e possuem grande importância ecológicae papel social ímpar. Apesar das veredas serem reconhecidas como Áreas de Proteção Ambiental, a ocupação antrópica de suas áreas naturaistem levado à exaustão destes ambientes. As veredas no norte de Minas estão secando. Na perspectiva de monitor e entender o processo de secamento das veredas sobre a biodiversidade, em 2016 foi aprovado o sítio PELD-VERE. A proposta aqui apresentada baseia-se na continuidade do sítio de pesquisa, que tem monitorado as variações climáticas e hídricas, a vegetação e seus processos ecológicos. Nesta perspectiva, a principal questão norteadora do PELD-VERE Fase II é: quais as consequências do secamento das veredas para biodiversidade, serviços ecossistêmicos e saúde única? Neste sentido, seguindo o desenvolvimento de diferentes sub-projetos que integram essa questão, várias questões foram endereçadas para o sítio PELD-VERE, nesta segunda fase: (1) qual limiar de tolerância da vegetação ao rebaixamento do lençol freático?; (2) qual o efeito da mudança do regime hidrológico na dinâmica espaço-temporal em termos de biomassa da vegetação?; (3) quais as linhas de tendência dos cenários bioclimáticos das veredas? (4) existe diferença na dinâmica do carbono do solo entre veredas em diferentes condições hídricas?; (5) quais mudanças estruturais e demográficas da comunidade vegetal ao longo do tempo?; (6) existem diferenças nas métricas de diversidade taxonômica (beta), funcional e filogenética em veredas sob diferentes condições hídricas?; (7) o comportamento fenológico reprodutivo nas diferentes veredas se manterá divergente, como resposta a mudanças na composição florística?; (8) o secamento das veredas influencia na época e intensidade das fenofases vegetativas e reprodutivas do buriti (Mauritia flexuosa L.f.) e do xiriri (Mauritiella armata Mart.), espécies-chave deste sistema?; (9) a deposição da serapilheira, decomposição e ciclagem de nutrientes responde as variações hídricas das veredas estudadas?; (10) qual é a contribuição do buriti e xiriri para o acúmulo de carbono e qual o impacto da diminuição da população destas espécies para o sequestro de carbono?; (11) aspectos da semente e germinação podem explicar a distribuição das espécies nos diferentes microambientes de veredas?; (12) como os fatores ambientais interferem na dinâmica do banco de sementes e como diásporos e plântulas das palmeiras-chave respondem ao estresse?; (13) quais são os efeitos do estresse hídrico imposto pelo processo de secamento na expressão de atributos estruturais e funcionais de galhas e sua relação com o ataque pelos inimigos naturais; (14) quais são os efeitos da mudança no regime hidrológico sobre a comunidade de insetos terrestres bioindicadores?; (15) existem efeitos da mudança no regime hidrológico sobre as interações ecológicas e no funcionamento dos processos ecossistêmicos?; e (16) a mudança no regime hidrológico das veredas promove o aumento do contato entre homens, animais silvestres e vetores de doenças? Em síntese, a proposta aqui apresentada mantém a coleta de dados iniciado na implantação do sítio e inicia uma abordagem ecossistêmica e de saúde ambiental, identificando as respostas da biodiversidade, serviços ecossistêmicos e saúde única frente as mudanças ambientais, causadas pelo secamento das veredas. Vários aspectos aqui abordados são essenciais para ações de gestão ambiental e na adoção de programas de conservação e restauração deste ecossistema, além de fornecer subsídios para políticas públicas que garantam a saúde única. Neste sentido, o PELD-VERE (Fase II) traz a perspectiva de mostrar a relação do impacto do secamento nos serviços ecossistêmicos e saúde única. Assim, o colapso das veredas não somente impacta a conservação da biodiversidade, mas afeta diretamente e as pessoas, pela perda dos serviços ecossistêmicos e pelo aumento da potencial ameaça de doenças zoonóticas.
  • Universidade Estadual de Montes Claros - MG - Brasil
  • 03/12/2020-31/12/2024
Foto de perfil

Zélia Soares Macedo

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • feira estadual de ciências, tecnologia e artes de sergipe (cienart)
  • A CIENART (www.cienart-se.com.br) é um projeto implantado no início de 2012, com culminância durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Consideramos que este evento já entrou definitivamente para o calendário da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) no estado. A equipe executora reúne pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento (Física, Educação, Matemática, Química, Letras, Geografia, Jornalismo, Administração e Audiovisual) e que já atuam em diversas atividades de divulgação e popularização da Ciência. O projeto prevê atividades ao longo de todo ano, concentradas principalmente na ampla divulgação do evento, na sensibilização e orientação técnica das comunidades escolares, através de Mini-Cursos, e na realização da Feira durante a SNCT. A abrangência do projeto é estadual e está previsto um número de pelo menos 300 trabalhos inscritos, com a plena adesão das escolas públicas e particulares do estado, além da participação dos bolsistas de Iniciação Científica Júnior (PIBICJr). A Feira deverá acontecer no Centro de Vivência da Universidade Federal de Sergipe.
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 28/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Zélia Soares Macedo

Outra

Divulgação Científica
  • feira científica de sergipe (cienart)
  • O objetivo deste projeto é a execução da Feira Científica de Sergipe (CIENART), que já teve 10 edições desde 2012 e deverá se realizar em 2022 e nos anos subsequentes. Atualmente, este é o evento com maior número de participantes na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) no estado. A equipe executora reúne pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento (Física, Letras, Química, Biologia, Educação, Psicologia) e que já atuam em diversas atividades de divulgação e popularização da Ciência. O projeto prevê atividades ao longo de todo ano, concentradas principalmente na ampla divulgação do evento, na sensibilização e orientação técnica das comunidades escolares, com mini-cursos e workshops, e na realização da Feira durante a SNCT. A abrangência do projeto é estadual, atualmente já conseguimos envolver 70% das cidades do estado. Para o próximo ano, está previsto um número de 300 trabalhos inscritos e 250 selecionados, com a plena adesão das escolas públicas e particulares, além da participação dos bolsistas de Iniciação Científica Júnior (PIBIC Jr). A Feira deverá acontecer no Centro de Vivência da Universidade Federal de Sergipe.
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 08/12/2021-31/12/2023
Foto de perfil

Zélia Soares Macedo

Outra

Divulgação Científica
  • ciência para todos: oficinas virtuais de experimentos
  • O presente projeto tem por objetivo realizar atividades de popularização de temas da Física, Química, Robótica, Matemática, e das atividades de pesquisa realizadas na Universidade Federal de Sergipe (UFS). Nosso público-alvo serão alunos e professores do ensino fundamental e médio. As atividades envolverão experimentos interativos nas áreas citadas, para demonstrar conceitos básicos de Ciências e usos atuais da tecnologia. Esta atividade tem apoio da Secretaria Estadual da Educação, da Associação Sergipana de Ciência e será realizada conjuntamente por professores da UFS e do IFS, e por alunos de Iniciação Científica e Pós-Graduação devidamente treinados. O grupo já possui um acervo de experimentos, que será renovado e ampliado, sendo que o grupo possui expertise para construção desses experimentos. Alguns aparatos simples serão construídos pelos participantes, durante Oficinas, e ao final serão entregues aos participantes. As atividades acontecerão durante todo o ano, mas serão intensificadas durante a Semana de Ciência e Tecnologia 2021. Dada a necessidade enfrentar os problemas de pobreza, educação, e participar da maneira mais plena em um mundo cada vez mais integrado, é importante que os cidadãos tenham acesso ao conhecimento básico sobre ciência e tecnologia, para conhecer suas possibilidades e melhor usufruir seus benefícios. A Ciência incorporada à cultura e integrada como instrumento tecnológico é indispensável à formação da cidadania contemporânea. A proponente deste projeto é docente do Departamento de Física da Universidade Federal de Sergipe (UFS) com ampla experiência em popularização da Ciência e divulgação científica. A equipe executora é multi-institucional, envolvendo professores da UFS, do IFS, da Secretaria Estadual da Educação e da EMBRAPA, atuantes em diversas áreas. A abrangência do projeto é intermunicipal (Linha B), envolvendo potencialmente todas as cidades do estado, mas priorizando 7 cidades que têm baixo IDHM e são aquelas que ainda têm pouca adesão aos outros eventos da SNCT. Assim, pretendemos ampliar a ação conjunta e levar a Ciência a 100 % das cidades do nosso estado.
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 05/10/2021-31/10/2023
Foto de perfil

Zélia Soares Macedo

Engenharias

Engenharia de Materiais e Metalúrgica
  • desenvolvimento de nanomateriais para sensores luminescentes: produção, caracterização e aplicação
  • O objetivo principal deste projeto é a produção de nanopartículas de óxidos e fluoretos, estudo das propriedades básicas e desenvolvimento de aplicações de telas cintiladoras híbridas, nano-sondas para imagens biológicas, nanotermômetros e nanopigmentos para aproveitamento eficiente de energia solar. A execução combinará as expertises dos pesquisadores da UFS, IFSE e UFRB em diversas áreas de especialidades e obter dessa forma produtos que possam trazer avanços reais para a tecnologia nacional. A produção dos materiais é explorada via utilização de rotas de síntese de baixo custo eco-amigáveis, que possibilitem ainda um controle fino de tamanho, morfologia e estabilidade das micro e nanopartículas. Rotas de síntese hidrotermal assistida por microondas, rota sonoquímica e rota sol-gel modificada, usando substâncias húmicas de água de rio, são as propostas nesse trabalho. As propriedades dos sensores produzidos continuarão sendo exploradas, com bases em trabalhos anteriores, visando as aplicações desejadas. Etapas do trabalho já concluídas abriram novo conjunto de perguntas científicas a serem respondidas nas próximas etapas, principalmente visando o desenvolvimento de produtos e dispositivos de uso prático. Além dos pesquisadores das 3 instituições, a start-up, “ZEUS”, criada dentro do programa CENTELHA (MCTI/FINEP/FAPITEC-SE de 2019) a partir de ex-alunos da UFS, participará na avaliação do potencial de aplicação de produtos finais. A viabilidade técnica do projeto foi demonstrada nos últimos anos através de publicações do grupo e de teste preliminares de possíveis dispositivos, como no caso da tela cintiladora híbrida testada na linha IMX do LNLS apresentando desempenho similar ao cintilador comercial com redução 92% dos custos com tecnologia totalmente nacional. Publicações recentes do grupo demonstraram também a viabilidade de nanotermômetros, nanoapartículas funcionalizadas para bioimagens e nanopigmentos com melhor eficiência no aproveitamento de energia solar.
  • Universidade Federal de Sergipe - SE - Brasil
  • 18/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Zenewton André da Silva Gama

Ciências da Saúde

Saúde Coletiva
  • estudo multicêntrico sobre a implementação de uma estratégia multifacetada centrada na lista de verificação para o parto seguro da organização mundial de saúde para melhoria da qualidade e segurança no parto.
  • No Brasil as altas taxas de mortalidade materna e neonatal sinalizam problemas na implementação de práticas baseadas em evidências, colocam mulheres e crianças em risco e dificultam o progresso em metas estratégicas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável até 2030. A ciência da implementação é um meio de produção de conhecimento pouco utilizado no Sistema Único de Saúde que pode melhorar a qualidade da assistência ao parto. Há a necessidade de customizar intervenções que considerem métodos de diferentes áreas do conhecimento para a gestão dos processos de trabalho e uso de estratégias multifacetadas baseadas em evidência. A Organização Mundial de Saúde estimula o uso da Lista de Verificação para Partos Seguros para reduzir as lacunas entre o conhecimento científico e as práticas essenciais para o parto, mas ainda não dispomos de modelos escaláveis baseados em princípios da ciência de implementação. Questiona-se se uma estratégia multifacetada baseada na ciência da implementação e na Lista de Verificação para Partos Seguros (LVPS) da OMS é capaz de melhorar boas práticas e reduzir eventos adversos relacionados ao parto em larga escala no Brasil. Objetiva-se avaliar a implementação de estratégia multifacetada que inclui a LVPS da OMS e seus efeitos sobre a qualidade na assistência materno-infantil em seis maternidades no Brasil. Se propõe analisar o efeito da estratégia multifacetada baseada na LVPS na adesão às boas práticas e na ocorrência de eventos adversos relacionados à assistência ao parto e analisar a associação entre a cultura de segurança do paciente das instituições e a implementação da estratégia multifacetada baseada na LVPS e validar o conteúdo de um modelo de implementação de práticas efetivas e seguras com base na LVPS para escalar em maternidades brasileiras. Estudos anteriores do grupo de pesquisa QualiSaúde/UFRN e do Ariadne Labs de Harvard têm produzido meios e sinalizado que é possível obter resultados promissores e escaláveis neste tema.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Zhou Detang

Ciências Exatas e da Terra

Matemática
  • os modelos de singularidades dos fluxos geométricos e teorias relacionadas
  • A análise geométrica é uma disciplina matemática na qual ferramentas de equações diferenciais, especialmente equações diferenciais parciais elípticas , são usadas para estabelecer novos resultados em geometria diferencial e topologia diferencial. Os uxos geométricos, uns dos tópicos importantes, têm atraído um grande interesse nos últimos anos. Uma grande parte desse interesse se deve as soluções de problemas importantes utilizando esses uxos, como por exemplo, a Conjectura de Poincaré resolvida através do programa criado por Hamilton e Perelman, e o Problema da Esfera Diferenciável resolvido por Brendle e Schoen. Técnicas analíticas e geométricas são utilizadas para resolver problemas puros e aplicados em diversos campos que incluem geometria global, física matemática, geometria algébrica, ciência de materiais, processamento e otimização de imagens. Esses uxos são caracterizados pela deformação de objetos geométricos, como métricas, mapeamentos e subvariedades, por grandezas geométricas, como a curvatura, e consistem em equações diferenciais parciais do tipo parabólicas. O presente projeto visa investigar ferramentas em Análise Geométrica para classificar e caracterizar singularidades que surgem a partir de uxos de Ricci e da curvatura média. Esse estudo está diretamente relacionado aos espaços métricos de medida suave e tam- bém as subvariedades f-mínimas. Mais precisamente, o projeto pretende obter ferramentas matemáticas que permitam classificar os solitons de Ricci gradiente de dimensão 4. Além disso, pretende obter estimativas de curvatura para solitons de Ricci gradiente de dimensão 4. O projeto também tem como objetivo obter estimativas de crescimento de volume ótimas para as bolas geodésicas de variedades quasi-Einstein completas e não-compactas, que estão diretamente relacionadas ao estudo de espaços métricos de medida suave. Adicionalmente, o projeto visa classificar superfícies de Weingarten e subvariedades f-mínimas em espaços métricos de medida suave.
  • Universidade Federal Fluminense - RJ - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Zoraide Souza Pessoa

Ciências Sociais Aplicadas

Planejamento Urbano e Regional
  • gestão de riscos, vulnerabilidades socioambientais, sustentabilidade e capacidade adaptativa climática em cidades do semiárido do nordeste
  • A atualidade, é marcada por cenário de incertezas múltiplas e de riscos inéditos a manutenção da vida humana e não-humana estão relacionadas a complexidade da problemática ambiental e que tem na efetividade das mudanças climática, prognósticos de cenários também de incertezas e que podem contribuir para contextos inéditos de reprodução social, ampliando a vulnerabilidade em todas dimensões e resultando em situações de desastres naturais em escalas e frequências maiores, com maior exposição a ameaças e perigos naturais. Neste sentido, as cidades têm papel fundamental, com a inserção destas questões em seus modelos de gestão dos territórios. Com base, neste pressuposto e o fato do Brasil apresentar alto índice de vulnerabilidade às mudanças climáticas, atingindo suas grandes regiões, biomas e territórios. Nesse viés, possivelmente o Nordeste do Brasil (NEB) seja intensamente atingido em função de ser um território cujos níveis de vulnerabilidade socioambiental persistentes podem ampliar as potencialidades dos riscos das ameaças mudanças climáticas com a sobreposição de outras dimensões de vulnerabilidade (CUNHA et al., 2019; TORRES; MARENGO, 2014; DARELA FILHO et al., 2016). Assim,considerando os níveis de desenvolvimento e as diferenciações regionais existentes Brasil, para efeito desta proposta temos como recorte de análise o Nordeste do Brasil, em especial a região Semiárida brasileira, marcada pela vulnerabilidade social, cuja população é inserida em contextos de pobreza e de desigualdade.Todavia, como análise empírica de caso, a área semiárida aplicada será a bacia hidrográfica do rio Piancó-Piranha-Açu, que abrange um território de 42.900 km² distribuído entre os Estados da Paraíba e Rio Grande do Norte, onde vivem aproximadamente 1.280.000 mil habitantes e abrangem 147 municípios (ADESE, 2020; ANA, 2018). Trazer a perspectiva de pensar os cenários climáticos para o contexto de municípios do semiárido do Nordeste é essencial, pois os estudos já realizados no Brasil têm-se centrado nas grandes cidades (DI GIULIO et al., 2019; TEIXEIRA; PESSOA; DI GIULIO, 2020; TEIXEIRA; PESSOA, 2020). Nesta proposta, será enfocado o contexto de pequenas e médias cidades, muitas inseridas no contexto empírico desta proposta são enclaves econômicos regionais importantes e que contribuem para a manutenção de setores estratégicos nacionais, com o energético e o alimentar, entre outros. Ademais, a sua proposição envolve setores estratégicos à estruturação da governança climática no Brasil, voltada para o monitoramento e observação dos impactos das mudanças, conforme a Portaria MCTI nº 7217, de 27 de dezembro de 2019. Nesta perspectiva, a presente proposta incorpora, também, os marcos normativos nacionais para a fundamentação e o aprofundamento teórico-conceitual e aplicados dispostos na Lei no 12.187, de 29 de dezembro de 2009 (BRASIL,2009), que institui a Política Nacional sobre Mudança do Clima (PNMC) e do Plano Nacional de Adaptação à Mudança do Clima (PNA), Portaria nº 150, de 10 de maio de 2016 (BRASIL, 2016), que podem favorecer a inovação nos processos e modelos de gestão das cidades com a incorporação destas temáticas; que possa repercutir na redução da emissão de Gases do Efeito Estufa (GEE), contribuindo para o alcance das metas globais do clima assumidos pelo o país com o Acordo de Paris de 2015; potencializando setores estratégicos para adaptação climática. Levando em consideração as discussões supracitadas, temos enquanto questões deste projeto de pesquisa: gestões, cujo planejamento urbano leva em consideração a gestão de riscos (as questões do clima), têm maior capacidade de construção de uma agenda de adaptação climática? Quais as possíveis respostas a esta questão? Como hipótese, acreditamos que a construção de uma agenda de adaptação climática depende que governos locais (estaduais e municipais) priorizem as questões do clima em suas agendas urbanas e como essas agendas podem repercutir para reduzir as ameaças climáticas ligadas à questão hídrica. Na perspectiva de testar esta hipótese, a presente proposta pretende investigar o setor estratégico de percepção de risco: semiárido, e como os municípios inseridos na bacia hidrográfica do rio Piancó-Piranhas-Açu estão incorporando o tema da adaptação climática e da sustentabilidade em seus planejamentos e agendas urbanas locais.Desse modo, o objetivo geral da proposta, é analisar como os municípios do semiárido do Nordeste do Brasil (NEB) lidam com as questões do ambiente e do clima e constroem uma agenda de sustentabilidade climática adaptativa e resiliente, voltada para gestão de riscos socioambientais e de resposta às ameaças de desastres socioambientais e climáticos. Devido às ameaças climáticas terem uma origem difusa, a metodologia da presente proposta parte de uma orientação na interdisciplinaridade, pois trata-se de um objeto de estudo discutido por diferentes abordagens disciplinares (LEIS, 2005), carecendo, pois, de metodologias ancoradas em abordagens de natureza qualitativa e quantitativa. Ressaltamos que todo desenho metodológico desta proposta tem como setor estratégico de percepção de risco o semiárido do Nordeste do Brasil (Quadro 1), recortado para o território da bacia hidrográfica do Rio Piancó-Piranhas-Açu (RN e PB) e dos 147 municípios que estão inseridos na bacia. Nesse sentido, é fundamental entender como capacidades adaptativas podem ser ensejadas em cenários que já são mitigados em função do histórico de convivências com estiagens prolongadas. Com base nestes aspectos, em relação a ameaça climática, analisaremos os reflexões para as condições de segurança hídrica, energética, alimentar, bem-estar e qualidade de vida neste contexto e que podem se explicitar na problematização de estiagens, escassez hídrica, seca, saúde, população, deslocamentos humanos, desenvolvimento e na desertificação. Vide projeto anexo
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 18/12/2020-31/12/2023