Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Wanessa Algarte Ramsdorf

Outra

Ciências Ambientais
  • avaliação ecotoxicológica de nanopertículas de zno dopadas com terras raras
  • O avanço da nanotecnologia desencadeou a produção de diversos materiais em nanoescala, dentre eles as nanopartículas de óxido de zinco (NPs ZnO), com aplicações biomédicas e utilizadas em produtos de higiene e protetores solares, e como agentes antimicrobianos e antifúngicos. Devido às suas propriedades óticas, elétricas e físico-químicas, são uma opção confiável para bioimagem, biossensores e células solares. A dopagem das NPs ZnO é empregada a fim de otimizar sua aplicação, e as terras raras apresentam grande potencial devido às suas propriedades luminescentes e por melhorarem as propriedades de condução do material da matriz. No entanto, além de muitas vantagens, esses nanomateriais apresentam muitos desafios. Por serem considerados materiais inteiramente novos, sua influência no organismo humano e no ambiente ainda é pouco conhecida. Estudos ecotoxicológicos são ferramentas cujos resultados permitem auxiliar nas políticas públicas, possibilitando análises de impactos ambientais acerca de novos produtos e auxiliando na preservação dos recursos naturais. Dessa forma, o objetivo deste estudo é avaliar a toxicidade das NPs ZnO sem dopagem e dopadas com as terras raras Cério (Ce) e Érbio (Er), em diferentes modelos biológicos (Allium cepa, Daphnia magna, Rhamdia quelen e em cultivo celular - RTG2), além de investigar o possível efeito biocida (antimicrobiano e antifúngico) das NPs ZnO. Tendo em vista a necessidade de uma produção ambientalmente segura destas NPs, os modelos biológicos e a análise de diferentes biomarcadores (genéticos e bioquímicos e morfológicos) serão utilizados para avaliar os impactos potenciais destes produtos nos compartimentos ambientais. Através dos estudos ecotoxicológicos laboratoriais poderemos inferir se estas NPs liberadas no mercado e ao ambiente, poderão ou não provocar possíveis danos aos ecossistemas.
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 08/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Wânia dos Santos Neves

Ciências Agrárias

Agronomia
  • popularização de tecnologias para uma produção agrícola sustentável como forma de promover o desenvolvimento rural, a segurança alimentar e a melhoria da qualidade de vida da população.
  • As atividades propostas neste projeto serão desenvolvidas durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia de 2021, no mês de outubro, e no período de doze meses a partir do início de vigência do projeto. Este projeto tem como objetivo principal a divulgação da ciência e de tecnologias a alunos dos ensinos fundamental, médio, técnico e superior, a produtores rurais, a grupos atendidos por instituições de apoio social, a moradores de comunidades rurais, a membros de associações, a agricultores familiares e a população de uma maneira geral. Para isso a Epamig Sudeste e a Epamig Norte, junto com demais parceiros constituintes da equipe do projeto, realizarão diversas atividades na área do conhecimento científico para público de pelo oito municípios, localizados na região Norte de Minas e Vale das Vertentes no Estado de Minas Gerais. Dentre as atividades previstas estão: Epamig de portas abertas; Epamig nas escolas, seminário “Tecnologias pra uma Agricultura Sustentável”; atendimentos a crianças e ao público geral de feiras e exposições com a participação da Epamig em tais eventos; visitas técnicas a campo, cursos, palestras, práticas laboratoriais e a ciência interativa com apresentação de vídeos técnico-científicos em escolas públicas do ensino fundamental. Em tais atividades serão abordados o controle biológico de pragas e doenças; a importância do melhoramento genético para a agricultura, como forma de redução no uso de agrotóxicos; práticas agroecológicas, tendo como foco a biodiversidade e seus ecossistemas; a produção agrícola sustentável e a preservação do meio ambiente. Em algumas atividades serão distribuídos materiais informativos, como apostilas e circulares técnicas, sobre o tema abordado. Todas essas atividades têm como objetivo despertar no público o interesse pelos diversos ramos das ciências tendo como tema base a sustentabilidade. Além disso, o projeto visa divulgar para a população trabalhos científicos e tecnologias geradas nas duas regiões de abrangência. A realização das atividades propostas visa causar uma proximidade entre pesquisadores, alunos, professores, técnicos, produtores rurais e a população, estabelecendo contato, promovendo debates e fazendo questionamentos. Dessa forma é que conseguiremos fazer com fique claro a importância da ciência no cotidiano de cada um e levar ao conhecimento do público informações técnico-científicas importantes sobre a sustentabilidade como forma de garantir a segurança alimentar, a melhoria do meio ambiente e qualidade de vida de produtores rurais e da população em geral.
  • Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 06/10/2021-31/10/2023
Foto de perfil

Warley Marcos Nascimento

Engenharias

Engenharia Elétrica
  • iii horta & escola: feira de ciência e tecnologia da embrapa hortaliças
  • Nos últimos anos, a escola vem sendo questionada acerca do seu papel na sociedade, a qual vem exigindo um novo tipo de profissional, mais flexível e polivalente, capaz de pensar e aprender constantemente. A escola deve também saber trabalhar, nos jovens, o desenvolvimento de uma consciência científica indagativa, uma vez que a Ciência e a Tecnologia têm tido intensa interferência na sociedade atual. Dessa forma, emerge a necessidade de uma maior difusão de conceitos científicos, para que todos possam ter uma postura crítica diante do que a ciência e tecnologia apresentam à sociedade, permitindo a promoção da cultura científica entre os cidadãos, tornando-os capazes de participar ativamente de uma sociedade democrática. O projeto tem como objetivo geral a popularização da ciência como agente de redução de desigualdades, buscando reduzir a distância entre o conhecimento produzido pela ciência e sua aplicação para melhoria da qualidade de vida, contribuindo para o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação do País. Busca despertar nos alunos, dos ensinos fundamental, médio e técnico, o interesse pela área científica e tecnológica, contribuindo para estimular o pensamento crítico e o desenvolvimento social e humano do País. A proposta se justifica por oportunizar a popularização e a divulgação de ações desenvolvidas pelas instituições de ensino e por instituições de pesquisa, como a Embrapa e parceiros, que possuem o propósito de reduzir as desigualdades, empoderar segmentos da população e despertar o interesse de jovens pela ciência, e assim, contribuir para o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação do País. Para atender aos objetivos do projeto, o mesmo acontecerá durante a data limite publicada no calendário oficial da Feira de ciência - III Horta & Escola, onde estudantes matriculados nos ensinos fundamental, médio e técnico no ano de 2021, em escolas do Distrito Federal e entorno, poderão submeter seus projetos para avaliação do Comitê de avaliação. A apresentação dos projetos selecionados ocorrerá no segundo semestre de 2021 durante a Semana da Ciência e Tecnologia. III Horta & Escola: Feira de Ciência e Tecnologia da Embrapa Hortaliças, que terá duração de três dias.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 28/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

Warley Marcos Nascimento

Outra

Multidisciplinar
  • iv feira - “pesquisadores do futuro: inclusão de crianças e jovens do df e entorno no mundo da ciência
  • A incorporação da Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) constitui uma força-chave para o desenvolvimento, crescimento econômico, geração de emprego e renda e democratização de oportunidades de um país. Assim, é de grande valia trabalhar, na pratica educativa, nas crianças e jovens uma visão mais adequada e abrangente da importância e aplicabilidade no dia a dia da CT&I, contribuindo para o desenvolvimento de uma sociedade com mais consciência social e científica. Formando assim, cidadãos que sejam capazes de sobressair-se no jogo competitivo e na divisão global do trabalho, o que constitui o traço distintivo da nova economia do conhecimento. Neste cenário, o tema “A transversalidade da ciência, tecnologia e inovações para o planeta” é de grande importância, porque o desenvolvimento de um país está diretamente relacionado à aplicação de capital nestes setores. Afinal, é impossível o combate à pobreza, a redução da desigualdade e o fortalecimento da governabilidade democrática sem uma melhoria da educação, o uso de ciência, a aplicação das tecnologias mais eficientes e a introdução da cultura da inovação na sociedade. Desta forma, emerge a necessidade de uma maior difusão de conceitos científicos, para que todos tenham uma maior disseminação do pensar científico e da postura crítica e indagativa diante do que a CT&I apresenta à sociedade, permitindo a promoção da cultura científica entre cidadãos, tornando-os capazes de participar ativamente de uma sociedade democrática. Dessa forma, buscando contribuir com esse aprendizado, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa vem nos últimos anos contribuindo com a formação de crianças e jovens através de parcerias com as instituições de ensino, aproximando cientistas, estudantes e professores visando o estímulo nas crianças e jovens o interesse pelo conhecimento científico. Tudo isso, através de atividades que demonstram como a ciência está presente na vida de cada um destacando a contribuição da pesquisa agropecuária para o desenvolvimento nacional. Com o “mote” de reduzir a distância entre o ensino e a pesquisa na educação, a Embrapa Hortaliças vem através desse projeto, dentro da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia - SNCT 2021, disseminar e popularizar soluções de pesquisa, desenvolvimento e inovação que podem impactar positivamente para a redução das desigualdades que existem em nosso país e mostrar a importância do tema “A transversalidade da ciência, tecnologia e inovações para o planeta”. Assim, essa proposta se justifica por oportunizar a popularização e a divulgação de ações desenvolvidas pelas empresas de pesquisa, relacionados ao tema CT&I, que possuem o propósito de reduzir as desigualdades, empoderar segmentos mais vulneráveis da população e despertar o interesse dos jovens pela ciência.
  • Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - DF - Brasil
  • 05/10/2021-16/07/2022
Foto de perfil

Washington Jose de Sousa

Ciências Humanas

História
  • inteligência artificial, agroecologia e economia solidária na educação do campo: aplicando estratégias integradas de intervivência universitária e pesquisa-ação na popularização da ciência (pureza/rn, 2020/2021)
  • Progride em ações da Organização de Aprendizagem e Saberes em Iniciativas Solidárias e Estudos no Terceiro Setor (Oasis) no sistema público de educação básica sob a forma de intervivência universitária. Objetiva contribuir para a formação de jovens rurais em ciência, tecnologia e inovação a partir da extensão universitária centrada na cooperação com a educação básica para estimular a pesquisa e o conhecimento de indicadores sociodemográficos municipais e regionais e de sistema produtivos sustentáveis. A Oasis/PPGA/UFRN é grupo de ensino, pesquisa e extensão vinculado à linha Gestão Social e Políticas Públicas do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Desde 2009, a Oasis/PPGA/UFRN desenvolve o Projeto de Intervivência Universitária em vários municípios potiguares. Um dos 15 municípios participantes, Pureza, foi escolhido pela equipe para a realização da mostra científica aqui programada. Trata-se de ação a ocorrer na Escola Municipal Maria do Livramento, localizada na comunidade rural de Bebida Velha, onde a equipe está estimulando atividades de educação contextualizada focada na agricultura familiar, no cooperativismo e na economia solidária inclusive via recursos de inteligência artificial. O projeto integra 200 jovens da educação básica, 40 trabalhadores do programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA) e 60 sócios da Cooperativa Mista da Agricultura Familiar e Economia Solidaria de Bebida Velha (COOPABEV). As ações ocorrerão por meio de intercâmbios entre escola/comunidade, áreas de produção e Universidade, com ampla participação de estudantes da UFRN e da equipe pedagógica da escola na definição de critérios e etapas, na execução, no acompanhamento e na avaliação. A apresentação dos trabalhos na I Mostra de Ciências de Bebida Velha ocorrerá mediante instalações pedagógicas. Na instalação pedagógica, as turmas poderão utilizar recursos estéticos como músicas, poesias, repentes e dramatização banners, cartazes, maquetes, experimentos de iniciação científica júnior, e protótipos de projetos sociais aliados a resultados de trabalhos investigativos, além de produtos locais da agricultura familiar. Trata-se de estratégia didático-pedagógica de construção de cenários que guardam aspectos da instalação artística no que se refere à dimensão estética, exigindo o uso de múltiplos suportes e artifícios estéticos e a espacialização flexível, que permite montagens e desmontagens de contextos. Os participantes mobilizarão outras escolas do município e agricultores familiares de modo a gerar, como produto, número superior a 50 trabalhos, com foco em inteligência artificial, matemática, estatística e políticas públicas, com naturezas econômica, social, ambiental e demográfica mediados por temas correlacionados à agricultura familiar, ao cooperativismo e à economia solidária.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 29/12/2020-31/12/2022