Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Vitor Visintin Silva de Almeida

Ciências Agrárias

Zootecnia
  • extrato de própolis vermelha na alimentação de ovinos
  • Serão realizados dois experimentos com objetivo de avaliar adição da própolis vermelha na dieta de ruminantes. No Ensaio I será realizado um ensaio fermentação ruminal in vitro e produção de gás com intuito de estabelecer qual a melhor concentração de extrato de própolis vermelha de Alagoas para dietas com diferentes proporções de volumoso:concentrado. Serão testadas duas dietas contendo diferentes relações volumoso:concentrado (60:40 e 80:20) adicionadas com seis concentrações de extrato etanólico de própolis (0; 5; 10; 15; 20 e 25%). A Própolis Vermelha de Alagoas será proveniente de regiões produtoras de colmeias de abelhas Apis mellífera localizadas do município de Paripueira – AL. Na obtenção do extrato de própolis, serão utilizados 30 g de própolis bruta triturada para cada 100 mL de solução alcoólica (70,0%), correspondendo às técnicas da extração em etanol hidratado, por um período de 10 dias. Serão realizadas diluições da solução-estoque utilizando-se 0; 5; 10; 15; 20 e 25% da mesma. O estudo da cinética ruminal será estimada pela técnica de produção de gás in vitro. Para a obtenção do inóculo, será utilizado um ovino macho castrado, fistulados no rúmen e submetido a uma dieta a base de tifton e concentrado. Para mensuração de produção de gás, 0,2g das diferentes dietas serão colocadas em sete garrafas de vidro com capacidade para 110 ml, serão adicionados 30 ml da mistura, composta por 8 ml de inóculo ruminal e 24 ml de solução tampão, para os tratamentos com própolis serão adicionados 0,6 ml de extrato etanólico de própolis, para os tratamentos controle serão colocados 0,6 ml do álcool, do mesmo utilizado para produção do extrato. As leituras de produção de gás serão feitas nos tempos 1, 2, 3, 4, 5, 6, 9, 12, 18, 24, 30, 36, 48, 60, 72, 84, 96, 120 e 144 horas após o início da incubação, em sistema semi-automático com transdutor de pressão acoplado a um voltímetro. Para estimar os padrões da fermentação microbiana será adotado o modelo baseado na média da produção acumulada de gases de cada amostra. Os dados de produção durante as 24h de incubação e de análise bromatológica das dietas serão utilizados para os cálculos de predição dos valores energéticos. O pH e as concentrações em gás metano e CO2, e N-NH3 do material incubado foram analisados com 24 h de incubação. Os gases serão avaliados no dia da coleta, em cromatógrafo gasoso, utilizando-se como padrões gás metano e gás carbônico, após serem coletados em seringas plásticas vedadas com torneira de três vias. No Ensaio II, após estabelecido qual a melhor concentração de extrato de própolis vermelha sobre os parâmetros ruminas obtidos no ensaio I, serão utilizados 40 ovinos mestiço Santa Inês, com peso vivo médio de 20 kg, mantidos em confinamento, para avaliar o efeito da adição de extrato de própolis vermelha em dietas com diferentes proporções de volumoso:concentrado sobre o consumo, desempenho, digestibilidade dos nutrientes, parâmetros nutricionais, comportamento ingestivo, características de carcaça e avaliação econômica das dietas. Os animais serão submetidos a um período de adaptação de 14 dias e 70 dias de período experimental (totalizando 84 dias de confinamento). Os tratamentos serão distribuídos em um delineamente inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2x2 (duas relações volumoso:concentrado e a adição ou não de própolis vermelha no concentrado), com 10 repetições por tratamento. O volumoso utilizado será o feno de tifton e o concentrado será constituído basicamente de farelo de soja e milho. A adição de própolis seguirá a concentração estabelecido pelo ensaio I. Para estimar a produção fecal, no ensaio de digestibilidade, será utilizada a LIPE® como indicador, via sonda colocada diretamente no esôfago, a partir do 34º dia do período experimental, durante sete dias consecutivos. Para estimativa do consumo voluntário de volumoso, serão utilizados os indicadores internos FDN indigestível (FDNi) e FDAi. Para estimativa da produção de proteína microbiana serão utilizadas as bases purinas como indicador microbiano. Para estimar o nitrogênio uréico plasmático serão coletadas amostras de sangue no 21o dia de cada período experimental, utilizando tubos de ensaio a vácuo com gel separador. A determinação do balanço de compostos nitrogenados (BN) será obtido pela diferença entre o total de nitrogênio ingerido (N-total) e o total de nitrogênio excretado nas fezes (N-fezes) e na urina (N-urina). O comportamento animal será avaliado visualmente, por um observador para cada tratamento. As variáveis comportamentais estudadas serão: tempo de alimentação, tempo de ruminação, tempo de ócio. Para a avaliação de carcaça após o período de confinamento, os animais serão pesados e casualizados em uma ordem de abate e submetidos a jejum de sólidos por 14 horas. No momento do abate, os animais serão pesados novamente para obtenção do peso corporal ao abate (PCA),posteriormente será separada a meia carcaça esquerda onde serão avaliadas as características físicas e químicas. Serão considerados, para avaliação do custo de produção, a metodologia de custo operacional utilizada pelo IPEA e o critério de lucro e retorno sobre capital investido para análise econômica. A análise estatística referente ao Ensaio I será realizadas utilizando um delineamento inteiramente casualizado com arranjos distribuídos em parcela subdividida, com 2 dietas e 6 níveis de inclusão de extrato etanólico de própolis. Os dados referentes ao Ensaio II serão analisados utilizando um esquema fatorial 2x2 (correspondente a combinações de duas dietas e a adição ou não de extrato de própolis vermelha) em delineamento inteiramente casualizado com 10 repetições. Para os dois ensaios as médias serão comparadas utilizando o teste de Tukey adotando o nível de significância de 5 % de probabilidade, utilizando-se o Statistical Analysis System (SAS, 1999).
  • Universidade Federal de Alagoas - AL - Brasil
  • 01/06/2017-31/07/2022
Foto de perfil

Vivaldo Moura Neto

Ciências Biológicas

Morfologia
  • controle da proliferação tumoral: edição genômica por crispr das proteínas mdr frente à temozolomida, busca de biomarcadores tumorais por biópsia líquida e controle imunoterapêutico de tumores na presença de agonistas d tlr
  • O sistema CRISPR sabidamente possibilita a edição do genoma e o estudo da função de variados genes em diferentes doenças. Além disso, fármacos podem ser avaliados em linhagens celulares modificadas por CRISPR, permitindo determinar a contribuição de genes nos processos de resistência à tratamentos antitumorais. Neste estudo, a testagem de fármacos capazes de diminuir o “fitness” ou a viabilidade cellular in vitro será realizada conjuntamente à modificação do gene de proteínas MDRs usando o sistema CRISPR. Além disso, avaliaremos por biópsia líquida, possíveis alterações de DNA tumorais no sangue de pacientes acometidos por distintos tumores tais como pâncreas, intestino, fígado, próstata e gliomas, previamente diagnosticados por biópsia de tecido e imagem. Embora as biópsias sólidas sejam o padrão ouro no diagnóstico de neoplasias constituem um procedimento invasivo passive de eventuais equívocos. Em contrapartida, a biópsia líquida veio para superar tais limitações. Efetivamente surgida nos últimos anos, é baseada na análise de DNA circulante proveniente de tumores (ctDNA) que é liberado no sangue podendo fornecer as mesmas informações genéticas que a biópsia de tecido ou até informações extras no caso de tumores metastáticos e heterogêneos. Mais ainda, o sangue permitirá a busca de biomarcadores tais como miRNA e citocinas, expressando a tumorigênese nos pacientes e seu índice de malignidade. Vamos analisar mutações em genes já descritos, através da metodologia de PCR digital seguida, eventualmente, de sequenciamento como contraprova. Como terceira etapa vamos ensaiar o controle imunoterapêutico de tumores na presença de agonistas do receptor TLR. A instituição proponente, e sede executora, será o Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer (IECPN), com seus neurocirurgiões e pesquisadores, assim como colegas da UFRJ.
  • Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 29/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Vivian Alonso Goulart

Ciências Biológicas

Biotecnologia
  • desenvolvimento de uma plataforma diagnóstica diferencial para sars-cov-2 e outras síndromes respiratórias baseada em rt-pcr multiplex e sistema capilar de detecção
  • As síndromes respiratórias são onipresentes na história da humanidade, acarretando constantes prejuízos sociais, econômicos, culturais e políticos. A atual pandemia causada pelo SARS-COV-2 evidenciou tanto a extrema necessidade de detecção e controle das cepas virais envolvidas nos surtos infecciosos, quanto a urgência por investimentos nacionais em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação nesta área. Visto que as síndromes respiratórias compartilham diversos sintomas em comum dificultando a investigação clínica, se torna imprescindível a utilização de metodologias diagnósticas que permitam a detecção diferencial de cepas com potencial pandêmico, como SARS-COV-2, frente a outros agentes causadores de síndromes respiratórias. Diante desse problema, o presente projeto pretende desenvolver uma plataforma diagnóstica diferencial padrão ouro baseada na detecção de material genético por biologia molecular, com alta sensibilidade e especificidade. Para isso a técnica RT-PCR multiplex será otimizada para conter diferentes fluoróforos e tamanhos distintos de alvos, cujas sequências estão disponíveis no NCBI/GenBank, permitindo o desenvolvimento de um kit diagnóstico “one-tube” que distinga 22 síndromes gripais (HAdV, HBoV, Cor229, HKU, Cor63, Cor43, nCov-2, EV, HMPVA, HMPVB, Mpneu, HPeV, RV, FLUA, FLUB, H1N1, HPIV(1,2,3 e 4), HRSVA e HRSVB). Os laboratórios envolvidos na proposta possuem toda a infraestrutura, equipamentos e corpo técnico necessários para a realização dos experimentos propostos. Os membros da equipe integram o INCT-TERANANO, permitindo ampla colaboração da UFU com diversos pesquisadores. A metodologia a ser desenvolvida é inovadora e mais eficaz, não estando disponível nos protocolos hospitalares atuais e sua implementação poderá impactar diretamente na vigilância epidemiológica de nosso país. Além dos artigos científicos, dissertações e teses, a execução do presente projeto poderá gerar depósitos de patentes importantes para uma nova estratégia diagnóstica.
  • Universidade Federal de Uberlândia - MG - Brasil
  • 17/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Vivian Chagas da Silveira

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • remoção de metais pesados utilizando resíduos agroindustriais como biossorventes
  • Os despejos de resíduos industriais são as principais fontes de metais pesados. Esses elementos quando lançados como resíduos industriais, na água, no solo ou no ar, podem ser absorvidos pelos vegetais e animais das proximidades, provocando graves intoxicações ao longo da cadeia alimentar e, por não possuir nenhuma função dentro dos organismos, sua acumulação pode provocar graves doenças, sobretudo nos mamíferos, como câncer e outras doenças graves. Dentre as várias tecnologias usadas atualmente para a remoção de metais pesados em águas, a adsorção é a mais versátil e a mais utilizada. A adsorção é um dos mais efetivos no tratamento de remoção de metais pesados devido à baixa geração de resíduos, fácil recuperação dos metais pesados e a possibilidade de reutilização do adsorvente. Nos últimos anos o processo de adsorção tem aparecido como uma técnica de grande potencial para o tratamento de efluentes industriais como remoção de agentes contaminantes da água, principalmente devido à utilização de adsorventes naturais obtidos de subprodutos da indústria e da agricultura que são de baixo custo. O crescimento da utilização da técnica gera a necessidade de estudos que objetivam no aperfeiçoamento do adsorvente. Portanto, o objetivo deste trabalho é analisar e avaliar a cinética de remoção do cobre, zinco e níquel utilizando a técnica de biossorção, utilizando vários tipos de resíduos agroindustriais, tais como fibra de coco, casca de mandioca, palha de milho, etc como biossorventes para determinar o tempo adequado para uma remoção eficiente dos metais pesados e consequentemente será feito uma contextualização dessa técnica de adsorção com os conteúdos da Química, tendo como público alvo as alunas do Ensino Médio.
  • Universidade Federal do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 16/03/2021-30/09/2022
Foto de perfil

Vívian Vanessa França Henn

Ciências Exatas e da Terra

Química
  • explorando fases quânticas em nanomateriais: desenvolvimento de funcionais da densidade e aplicações via dft
  • O grande desafio de descrever a matéria completamente, ou seja, compreender todas as suas propriedades e características, é o tratamento quântico dos sistemas interagentes de muitos corpos. A tarefa se torna ainda mais difícil ao lidar com sistemas quânticos complexos na presença de heterogeneidades espaciais, como bordas, impurezas localizadas, potenciais confinantes, desordem. No entanto, essas heterogeneidades não são apenas comuns, mas muitas vezes inevitáveis em nanomateriais realistas. Portanto, é crucial estudar modelos teóricos heterogêneos para que as simulações numéricas sejam suscetíveis de aplicação a dispositivos reais. A Teoria do Funcional da Densidade (DFT) é uma ferramenta poderosa para investigar tais nanoestruturas interagentes e espacialmente heterogêneas. No entanto, o sucesso dos cálculos de DFT está intrinsecamente relacionado à qualidade e performance dos funcionais de densidade adotados. Neste projeto, propomos construir, otimizar e aplicar funcionais da densidade em cálculos de DFT para investigar emaranhamento quântico e transições de fase quânticas em nanomateriais heterogêneos. Exploraremos fenômenos críticos em metais, isolantes, supercondutores convencionais e superfluidos exóticos, bem como sua relação com o grau de emaranhamento dos nanomateriais. Estudos envolvendo estados emaranhados são oportunos para o desenvolvimento de tecnologias quânticas. Nosso objetivo é duplo: usar o emaranhamento como uma possível testemunha das transições de fase quânticas e entender a relação das fases com o graus de emaranhamento, visando a aplicação desses materiais em tecnologias quânticas. Iremos também investigar como todos esses fenômenos são afetados pela temperatura e pela dimensionalidade do modelo. Assim, as linhas de pesquisa propostas neste projeto vão desde a pesquisa fundamental, passando pelo desenvolvimento metodológico, até aplicações nas propriedades dos nanomateriais.
  • Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - SP - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Viviana Borges Corte

Ciências Humanas

Educação
  • iv mostra de biologia: a ciência está em tudo!
  • Em um contexto de pandemia, agravada por correntes de desinformação, o mundo passa por grandes mudanças em todos os setores da atividade humana. A sociedade hoje conectada está cada vez mais diversa e globalizada. Estamos vivendo a quarta revolução industrial que transformará fundamentalmente a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos (UNESCO, 2018). Não somente o setor industrial, mas como quase todos os setores da economia sofreram mudanças ocasionadas pela automatização, digitalização e desenvolvimento da internet. Além de mudanças econômicas e sociais, a era da digitalização também provocou mudanças profundas na comunicação. Redes sociais e plataformas de divulgação de conteúdo, como YOUTUBE®, blogs, entre outros, provocaram uma revolução na comunicação humana, diminuindo distâncias e democratizando a informação (COUTINHO & LISBÔA, 2011). Nos últimos anos, avanços incríveis aconteceram na ciência, tecnologia e inovações, levando a soluções rápidas para problemas reais, que pensávamos outrora que jamais seriam possíveis. Há, portanto, uma ruptura de paradigma entre as sociedades analógica e digital que mais do que conduzir-nos à Quarta Revolução Industrial, o avanço na ciência, tecnologia e inovações está provocando uma transformação cultural. Estas mudanças na sociedade, afetaram também a educação, desde a escola básica até o ensino universitário, que precisam ressignificar-se para atender às necessidades de crianças, jovens e adultos em um mundo cada vez mais diversificado, digitalizado e globalizado. Além da educação formal, essa realidade também se apresenta em transformação nas diversas formas de veiculação da informação entre as pessoas das diversas classes sociais ou culturais. Há de se pensar em uma forma nova de comunicar ciência à sociedade. Daí podemos refletir sobre ‘como e o que ensinar para nossos jovens e adultos em um mundo onde as mudanças tecnológicas são tão rápidas?’ ‘Como preparar os jovens para um mercado de trabalho e para uma sociedade cada vez mais digitalizada, diversificada, globalizada e altamente conectada?’ As crianças de hoje já nasceram num mundo digital, por isso o uso de celulares, tablets e outras tecnologias está cada vez mais comum em seu cotidiano e consequentemente no espaço escolar. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística de 2018 apontam que 79,1% dos lares brasileiros estão conectados a uma rede de internet, ou seja, 126,9 milhões de pessoas. A facilidade de acesso à informação popularizou-se, nunca houve, na história da humanidade, as mesmas facilidades de propagação de notícias como há agora! Se antes existia uma disputa entre professores e celulares, hoje muitos educadores já criaram formas de unir educação com tecnologia para potencializar a aprendizagem. Pensar em escolas usando recursos como realidade aumentada ou até inteligência artificial, para muitos, já não parece uma cena futurista. Freire (2019) destaca que a situação de aprendizagem deve considerar um problema real do mundo, pois “ensinar exige compreender que a educação é uma forma de intervenção no mundo”, ou seja, a educação deve ser transformadora (FREIRE, 2019, p.96). Apesar de reconhecer que a educação é capaz de intervir no mundo, Paulo Freire destaca que a educação por si não muda o mundo. Ela muda as pessoas, e estas sim, mudam o mundo (FREIRE, 1989). Deste modo, o olhar do professor não deve ser apenas para o conteúdo ou projeto pedagógico, mas sim um olhar mais atento ao desenvolvimento pessoal e integral do aluno. Dessa forma, a IV Mostra de Biologia: ‘A ciência está em tudo!’ visa abordar a transversalidade da ciência, tecnologia e inovações para o futuro do planeta, integrando o mundo natural (real) e o mundo tecnológico (virtual) como forma de despertar nas crianças e jovens a curiosidade em explorar e aprender cada vez mais. Tendo o conhecimento científico e o avanço tecnológico como referência estratégica, a IV Mostra de Biologia, focada na “transversalidade da ciência, tecnologia e inovações para o planeta”, caracteriza-se pela promoção de atividades de educação não formal e de divulgação científica que tem como objetivo principal estimular o aprendizado e a percepção do papel da ciência na sociedade e como instrumento de fortalecimento da educação formal (Ensino Fundamental I e II, Ensino Médio e Educação Tecnológica), não-formal e informal, visando à divulgação do conhecimento científico e tecnológico. Para isso, a Mostra trará um tema que desperta a curiosidade dos públicos de todas as idades: “Tem ciência aqui?” A partir dessa reflexão, queremos aprimorar a formação dos estudantes, unindo as capacidades de “produzir conhecimentos com uma cidadania que sabe pensar” (DEMO, 2010, p. 10) e com isso encontrar soluções que integram natureza e tecnologia para os problemas do dia-a-dia. As atividades serão desenvolvidas por estudantes dos cursos de Ciências Biológicas, Química, Engenharias, Oceanografia, Geografia, Pedagogia, Línguas e Letras e Psicologia. Participam ainda, mestrandos do Programa de Mestrado Profissional em Ensino de Biologia - PROFBio e alunos de Ensino Fundamental e Médio atendidos pelo Núcleo de Atendimento a alunos com Altas Habilidades e Superdotação (NAAHS) da Secretaria de Estado da Educação (SEDU). Em sua quarta edição, a Mostra de Biologia exibirá a ciência, tecnologia e inovações em perspectiva transversal, permeando diversas áreas do conhecimento por diferentes formas - expositivas, interativas, nas modalidades presencial e/ou virtual. As atividades propostas foram pensadas visando estimular a criatividade, o senso crítico, a curiosidade e o espírito científico por meio de Exposição de CT&I, Seminário ou Ciclo de Palestras, Conjunto de Oficinas de CT&I, Mostra de Vídeos.
  • Universidade Federal do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 05/10/2021-31/10/2023
Foto de perfil

Viviane Capoane

Ciências Exatas e da Terra

Geociências
  • mapeamento das áreas em processo de arenização na bacia hidrográfica do rio pardo – mato grosso do sul – brasil
  • Solos arenosos são ecologicamente frágeis, altamente suscetíveis à erosão e de baixa aptidão agrícola. Quando convertidos para agroecossistemas desconsiderando as limitações naturais ocorrem graves consequências ambientais como erosão, sedimentação e degradação da qualidade das águas superficiais e subterrâneas, e econômicas em decorrência da diminuição da produtividade. Na bacia hidrográfica do rio Pardo, área de estudo do presente projeto, solos de textura arenosa correspondem a 37,6% da área, e a atividade agrícola predominante é a pecuária, com extensas áreas de pastagens em vários estágios de degradação com focos em processo de arenização. Considerando que o conhecimento das condições ambientais é fundamental para o entendimento de sua dinâmica, bem como para um manejo adequado dos recursos naturais, este projeto visa mapear as áreas em processo de arenização nesta bacia hidrográfica, bem como fazer uma caracterização geoambiental. A escolha da área foi motivada pela aprovação para implantação de sete Pequenas Centrais Hidrelétricas, no rio Pardo e sub-bacias, além da presença de uma Usina Hidrelétrica e duas Centrais Geradoras de Eletricidade já em operação, e pela importância desta bacia no abastecimento público de Campo Grande (50%) e demais municípios inseridos na bacia. Para a caracterização geoambiental serão utilizados dados geográficos de diferentes fontes, escalas, resolução espacial e resolução temporal. Para o mapeamento das áreas em processo de arenização serão derivados índices radiométricos de solo, água e vegetação, de imagens multiespectrais do Satélite Sentinel-2. A validação será feita a partir de índices espectrais de imagens interanuais. Para os focos de arenização de menor dimensão, serão feitos trabalhos de campo. Uma vez mapeados os areais, serão efetuadas coletas de amostras de solo para caracterização geoquímica. Espera-se que os dados gerados sejam utilizados pelos gestores na definição das áreas prioritárias para recuperação ambiental
  • Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - MS - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Viviane de Melo Resende

Lingüística, Letras e Artes

Lingüística
  • “rede de pesquisa em discurso e gênero: cartografia para integração brasil e américa latina”
  • Neste projeto, do Núcleo de Estudos de Linguagem e Sociedade, do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares (NELiS/CEAM/UnB), fundado em 1988, do Laboratório de Estudos Críticos do Discurso (LabEC/IL/UnB), fundado em 2012,e da Associação Latino-americana de Estudos do Discurso (ALED), fundada em 1993. Com equipe formada por pesquisadoras docentes das cinco regiões do Brasil, a que se somam pesquisadoras docentes estrangeiras e estudantes de pós-graduação, propomos pesquisa para articulação de uma Rede de Pesquisa em Discurso e Gênero. O objetivo é integrar os grupos de pesquisa de gênero em estudos críticos do discurso das cinco regiões do Brasil e dos países latino-americanos que compõem a estrutura da ALED. Para isso, reunimos uma equipe consolidada de pesquisadoras de estudos críticos do discurso e gênero e atuantes na ALED-Brasil, com o objetivo de levantar e analisar dados sobre os grupos e as pesquisas em discurso e gênero realizadas no continente, e com a meta final de articulação de uma rede na ALED internacional. Serão realizadas missões de trabalho para pesquisas sobre o tema nas universidades parceiras, mapeamentos de grupos de pesquisa em discurso e gênero nas regiões Nordeste, Sul, Norte, Sudeste, Centro-Oeste do Brasil, e em países do Cone Sul, região Andina e Caribe. Serão produzidas Cartografias com base no mapeamento dos grupos, suas temáticas, abordagens teóricas e metodológicas. O produto final será a consolidação da rede latino-americana de estudos de discurso e gênero. Com essa rede, possibilitaremos internacionalização para vários grupos de pesquisa das cinco regiões do Brasil. Nossa principal motivação é o desejo de conhecer, mapear e articular grupos de pesquisa em discurso e gênero que poderiam beneficiar-se do mútuo contato. Em uma país continental como o Brasil, acreditamos que nossa cartografia será produtiva para a ciência produzida em estudos do discurso e em estudos de gênero no País e sua internacionalização
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Viviane Gomes Teixeira

Ciências Humanas

Educação
  • o ensino de ciências na construção da identidade científica feminina
  • A ciência construída pela diversidade é essencial já que oportuniza a produção de conhecimento por/para diferentes identidades sociais. Porém, o cenário de acesso de meninas ao conhecimento científico não é satisfatório, e se torna ainda pior com o recorte racial. A escola deve democratizar o conhecimento científico, porém, Bourdieu a aponta como reprodutora da violência hegemônica. Portanto, é fundamental compreender os mecanismos do Ensino de Ciências que promovem o distanciamento de meninas, especialmente as negras, do conhecimento científico. Em Bourdieu, a identidade de gênero resulta da ação e assimilação de um habitus incorporado às identidades individuais e coletivas. A forma como as relações de poder é interiorizada ocasiona a naturalização das práticas escolares. O habitus de gênero dos sujeitos revela, assim, a contribuição da instituição escolar na naturalização de divisões de gênero. O conceito de habitus é uma forma de enxergar a ordem social e está associado à compreensão de uma héxis corporal ligada à apreensão de maneiras de ser dos agentes no espaço social. O habitus seria um instrumento que examina a coerência de características comuns dos grupos sociais de mesmas condições, os princípios que estruturam suas ações. Ao indivíduo, esses princípios não são nítidos e são naturalizados e assimilados como formas de ver, apreciar e julgar. Portanto, é fundamental compreender como as práticas escolares do Ensino de Ciências contribuem para a construção de um habitus de meninas, principalmente pobres e negras, que as afasta do interesse pelo conhecimento científico. O conceito de habitus permite compreender como as estruturas e os condicionamentos sociais atravessam o comportamento dos agentes e, assim, propor estratégias de interferência. Propomos reconhecer como as escolas percebem a relação das alunas com o ensino de ciências e a elaborar um projeto de ensino visando o discurso científico como promotor de novas práticas escolares em relação às meninas.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 20/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Viviane Moraes de Oliveira

Ciências Exatas e da Terra

Física
  • estudo experimental e modelagem da dinâmica de indivíduos interagentes
  • A dinâmica de sistemas onde os indivíduos interagem entre si e com o meio se revela uma rica e complexa tarefa. Os detalhes desse processo exigem um estudo cuidadoso tanto teórico quanto experimental. Dependendo das interações, os sistemas físicos podem formar padrões característicos, bem como apresentar características estatísticas universais. Desta forma, neste projeto propomos o desenvolvimento de experimentos envolvendo interações de múltiplos corpos, como enxames de robôs e cardume de peixes. Os robôs são extremamente versáteis e podem ser programados de forma a imitar a interação entre partículas, bem como seres vivos, o que possibilita uma vasta aplicação de problemas em Física Estatística. Da mesma maneira, o estudo experimental de cardume possibilita uma plataforma experimental simples e dinamicamente rica. Estes experimentos serão desenvolvidos no Laboratório de Sistemas Complexos e Universalidades vinculado ao PPG em Física Aplicada do Departamento de Física da UFRPE. A dinâmica destes sistemas físicos será registrada por câmeras de alta definição em 2 ou 3 dimensões. O processamento das imagens e obtenção dos dados exige o emprego de algoritmos de rastreamento e identificação de imagens personalizados, os quais serão desenvolvidos por este projeto. Para este fim o projeto conta com dois laboratórios computacionais, Laboratório de Computação Remota e Laboratório de Física Teórica e Computacional, com 35 Workstation para processamento de imagens, bem como cálculo numérico e simulações computacionais para modelar os sistemas físicos em questão. Desta forma, realizando experimentos e modelagens estaremos desenvolvendo pesquisas com publicações em periódicos de alto impacto, de maneira duradoura e eficiente. Outra grande contribuição é a formação de recursos humanos com habilidades tanto na modelagem computacional quanto na execução de experimentos, contribuindo para suprir a demanda de pesquisadores neste tema, possibilitando a geração de patentes.
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco - PE - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025