Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Thais Nivia de Lima e Fonseca

Ciências Humanas

Educação
  • educação e instrução na américa portuguesa na perspectiva de histórias compartilhadas e conectadas: dinâmicas internas e conexões (século xviii e primeiras décadas do século xix)
  • Pesquisas recentes sobre a educação na América portuguesa no século XVIII e primeiras décadas do XIX tem demonstrado as diferentes práticas na educação do súdito cristão, na instrução das primeiras letras e da gramática latina, em estudos focados em localidades específicas, sejam capitanias, vilas ou comarcas. Essa proposta trata da investigação sobre as dinâmicas educacionais existentes na América portuguesa naquele período, escolares ou não, ocorridas em diferentes espaços geográficos daquele território, mas conectadas por dinâmicas econômicas, políticas, religiosas, culturais. Entendemos as dinâmicas educacionais como os processos relacionados à atuação dos mestres particulares, à criação e funcionamento do ensino régio após as reformas pombalinas da instrução, ao aprendizado das artes e dos ofícios, todos mediados pela circulação de saberes, de pessoas, de normas jurídicas e administrativas. O problema central é avançar o estudo da educação e da instrução numa vasta área geográfica, no período de mais de um século, em perspectiva comparada e conectada, para além da ilusão da unidade trazida pela atuação centralizada da Coroa portuguesa ao dar as diretrizes e normas a serem seguidas em todo o seu império. Nossa principal hipótese é que as condições específicas, a atuação dos poderes locais, e os interesses das populações nas diferentes partes da América portuguesa, foram variantes determinantes nas relações dessas instâncias entre si e com a administração central em Portugal, não sem conflitos e disputas, e na percepção da instrução pública como elemento simbólico e instrumento de distinção social, prestígio político e indicador de civilização. Os documentos disponíveis no Brasil e em Portugal permitem a constatação dessas evidências, analisados segundo as conexões pretendidas. Utilizaremos os métodos da micro-história, por meio da análise densa das fontes e da confrontação de escalas, além dos suportes teórico-metodológicos comparados e conectados.
  • Universidade Federal de Minas Gerais - MG - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Thaís Rangel Bousquet Carrilho

Ciências da Saúde

Nutrição
  • definição de faixas de ganho de peso gestacional baseadas nas novas curvas brasileiras: impacto na política de alimentação e nutrição utilizando dados do sisvan-sinasc
  • Contextualização. Este projeto será desenvolvido a partir de outro projeto financiado no Grand Challenges Exploration (GCE) Brasil de 2018, que criou curvas de ganho de peso gestacional (GPG). As curvas recém-lançadas serão adotadas pelo Ministério da Saúde (MS). Entretanto, recomendações sobre GPG ideal foram feitas de forma provisória, pois, à época da conclusão do GCE, dados de desfechos maternos não estavam disponíveis. Faixas de GPG adequadas devem ser estabelecidas considerando o equilíbrio entre a ocorrência de desfechos maternos e infantis adversos, e faixas provisórias foram definidas com base somente em desfechos neonatais. Ademais, as recomendações foram feitas apenas para gestantes com baixo peso/eutrofia pré-gestacional, porque o tamanho amostral disponível nas categorias sobrepeso e obesidade era insuficiente nos dados utilizados para definição das faixas. Objetivo. Determinar faixas ideais de GPG para todas as quatro categorias de índice de massa corporal (IMC) nas curvas brasileiras de GPG, considerando o menor risco de desfechos maternos e infantis adversos. Métodos. O projeto utilizará dados do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN) e do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC) para o período de 2008 a 2015. O SINASC inclui informações de desfechos maternos e infantis para aproximadamente 45 milhões de nascimentos registrados entre 2001 e 2015. O SISVAN inclui dados de mais de 5 milhões de gestantes e 11 milhões de registros para o período entre 2008 e 2018. O record linkage entre os sistemas está sendo realizado no Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para Saúde (CIDACS). Planeja-se realizar limpeza dos dados com algoritmo desenvolvido como parte do GCE 2018, que inclui rotina para identificação de valores implausíveis em dados antropométricos utilizando métodos que consideram a natureza longitudinal dos dados. Ademais, avaliação de heterogeneidade será realizada para garantir que tanto o GPG quanto os desfechos possuem distribuição semelhante em todos os estados brasileiros. Para definir as faixas de GPG baseadas em percentis ou escores z das curvas brasileiras, planeja-se utilizar o método de margens de não-inferioridade. Para considerar múltiplos desfechos quando da definição destas faixas, um indicador composto incluindo todos os desfechos disponíveis será criado, e, devido ao fato de que cada desfecho apresenta impacto diferente em termos de planejamento em saúde, cada um receberá pesos de acordo com tal impacto. Serão considerados desfechos maternos (tipo de parto, retenção de peso pós-parto – RPP, e sobrepeso/obesidade materna) e desfechos infantis (nascimento de crianças pequenas e grandes para idade gestacional – PIG/GIG, parto pré-termo, crescimento e obesidade até 2 anos de idade). Desfechos maternos incluirão a ocorrência de parto cesáreo não-eletivo, RPP (definida como a diferença entre peso materno aos 6 e 12 meses pós-parto e o peso pré-gestacional) e sobrepeso/obesidade materno dois anos após o parto (definido a partir de IMC ≥ 25 kg/m2). PIG (< P10) e GIG (> P90) serão definidos com base na curva de peso ao nascer de acordo com sexo e idade gestacional do INTERGROWTH-21st. Nascimento pré-termo será considerado quando a idade gestacional for inferior a 37 semanas. O crescimento infantil será avaliado por meio de escores z dos indicadores peso/idade, comprimento/idade, peso/comprimento e IMC/idade das curvas da Organização Mundial da Saúde. Crescimento infantil rápido, isto é, escores z > 0.67 em peso/idade entre duas diferentes idades até os 2 anos também será considerado como desfecho adverso. Sobrepeso e obesidade infantil serão definidos com base em medidas de peso/comprimento e IMC/idade > +2 escores z. Planeja-se combinar os desfechos de duas maneiras: a. criação de indicador composto sem ponderação; b. criação de indicador composto com ponderação. Para definição da lista final de desfechos e o peso que cada um deverá receber, um painel Delphi com especialistas nacionais e internacionais em GPG, gestantes, gestores e membros de organizações não-governamentais será realizado. Este painel também decidirá as margens de não-inferioridade, isto é, o valor (5, 10, 20%) no qual o aumento do risco dos desfechos não pode ser considerado aceitável. Finalmente, para determinação das faixas, o GPG classificado em escores z e percentis das curvas brasileiras será utilizado como exposição em modelos de regressão para cada desfecho e para os indicadores compostos. Para considerar a relação não-linear entre GPG e desfechos, splines cúbicos restritos serão utilizados. Os modelos serão ajustados para cada categoria de IMC pré-gestacional separadamente. Regressão de Poisson com variância robusta e modelos log-binomiais serão considerados. Será utilizada metodologia que identifica faixas de GPG nas quais o risco de desfecho é o menor, considerando as margens de não-inferioridade definidas no painel Delphi. Resultados esperados. Os resultados mais importantes deste projeto são as faixas de GPG recomendadas para as quatro categorias de IMC incluídas nas curvas brasileiras. Também são previstos produtos importantes a serem entregues ao MS: 1. Recomendação de GPG que demonstre o que constitui ganho adequado, insuficiente e excessivo para gestantes adultas, em cada categoria de IMC pré-gestacional; 2. Pacote completo visando capacitar os profissionais da atenção básica e gestores, incluindo vídeos e material instrucional para utilização das curvas e recomendações; 3. Dashboard interativo para a interface de relatórios do SISVAN, a ser hospedado no website do MS, para monitoramento do GPG a nível populacional e dentro de subgrupos; 4. Aplicativo para Android/iOS para acompanhamento individual do GPG tanto pela gestante, quanto pelo profissional de saúde; 5. Algoritmo atualizado para limpeza dos dados do SISVAN-SINASC.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 02/12/2020-31/01/2023
Foto de perfil

Thaís Ribeiro Santiago

Ciências Agrárias

Agronomia
  • estratégias disruptivas para o controle do nematoide das lesões nas culturas de soja, cana-de-açúcar e milho.
  • Os nematoides das lesões, em especial Pratylenchus brachyurus e P. zeae, estão, atualmente, entre os principais problemas fitossanitários da agricultura brasileira por possuírem ampla gama de hospedeiros (fator que dificulta a rotação de culturas) de alta relevância econômica (p.ex. soja, cana-de-açúcar e milho, apenas para citar as culturas-foco deste projeto); por causarem danos irreversíveis e reduzirem substancialmente a produtividade; e pelo fato de as medidas de controle tradicionalmente estudadas não serem efetivas e sustentáveis. Este projeto foi idealizado para delinear estratégias disruptivas de controle do nematoide das lesões em três culturas de grande importância econômica. Estratégias de base biológica, química-verde e física serão desenvolvidas: 1. Desenvolvimento de plantas transgênicas de cana-de-açúcar expressando RNAs de dupla fita homólogos a dois genes de parasitismo de P. zeae visando ao controle do nematoide por meio de RNA de interferência. 2. Síntese verde de nanopartículas (NP) de cobre com efeito nematicida a P. brachyurus e P. zeae em soja. 3. Desenvolvimento de um tratamento baseado em radiação de baixa frequência (RBF) que é espécie-específica e sítio-direcionado, aplicado por satélite, capaz de reduzir a atividade de P. brachyurus em milho. O projeto contribuirá para a elucidação de questões básicas como a identificação e distribuição das espécies dos fitonematoides, assim como com a disponibilização de soluções inteligentes e inovadoras para reduzir as perdas de produtividade de culturas de alto valor econômico: uma variedade resistente, uma nanopartícula protetora e um tratamento por RBF capaz de reduzir as populações do patógeno. Tais medidas viabilizarão a continuidade de uso das áreas atualmente utilizadas para as culturas em tela, de modo a otimizar os recursos naturais e evitar abertura de novas áreas.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Thais Scotti do Canto-Dorow

Outra

Multidisciplinar
  • espaço ciência: 4ª edição da mostra de ciências e matemática de santa maria (tema: ciência no desenvolvimento sustentável)
  • A proposta para a edição do “Espaço Ciência: 4ª Mostra de Ciências e Matemática de Santa Maria” está norteada pela temática “Ciência no Desenvolvimento Sustentável”, aproximando os estudantes e professores, da educação básica e superior, da ciência e do fazer científico, bem como das reflexões acerca dos desafios urgentes, pelos quais passam a humanidade e o Planeta. Para firmar o compromisso de todos com esses desafios, decidiu-se trazer a Agenda 2030, com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), como tema mais específico. Nesse sentido, a quarta edição do espaço Ciência apresenta como objetivo geral o de contribuir para o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação, buscando despertar a curiosidade e a vocação científica dos participantes, a partir da percepção social do papel da ciência visando o desenvolvimento humano e sustentável. A partir dos 17 ODS, os estudantes e professores poderão escolher temas para desenvolver seus trabalhos, considerando o nível de escolaridade, seu contexto, seus interesses e possibilidades. Sendo possível que as propostas apresentadas sejam direcionadas para questões locais, do município ou da própria escola, já que esses objetivos abordam situações de relevância em qualquer escala territorial. A participação no evento acontecerá a partir da inscrição gratuita dos estudantes, junto à submissão de resumo do trabalho a ser inserido no site institucional na instituição proponente, em local específico. Com base na avaliação, os trabalhos receberão troféus e medalhas, em todos os níveis de ensino (Educação Infantil, Ensino Fundamental, Médio e Técnico). Para o ensino médio e técnico, serão concedidas bolsas de iniciação científica aos estudantes, e bolsas de Apoio Técnico de Extensão no País aos docentes orientadores, para os três melhores trabalhos.
  • Universidade Franciscana - RS - Brasil
  • 08/12/2021-31/12/2023
Foto de perfil

Thais Suzane Milessi Esteves

Engenharias

Engenharia Química
  • valorização de subprodutos do processamento da cana-de-açúcar utilizando tecnologia enzimática e bioprocessamento consolidado integrados aos processos de downstream para a produção de xilooligossacarídeos, coquetel enzimático e bioetanol.
  • O desenvolvimento de biorrefinarias integradas e a utilização total da biomassa vegetal, como a palha e o bagaço de cana-de-açúcar, são cruciais para o estabelecimento de uma matriz energética global baseada em fontes renováveis. A viabilidade econômica das biorrefinarias depende tanto do aprimoramento de tecnologias emergentes, como o Bioprocessamento Consolidado (BPC), quanto da obtenção de um portfólio de produtos de maior valor agregado, além de commodities (como bioetanol). No BPC, a produção de enzimas, hidrólise da biomassa e fermentação dos açúcares ocorrem em um único reator, tendo a transposição dessa tecnologia para a escala industrial como principal desafio. Já na obtenção de produtos de maior valor agregado, o desafio reside no desenvolvimento de processos de upstream e downstream ambientalmente corretos e acessíveis. Neste sentido, a utilização de enzimas imobilizadas em suportes magnéticos se destaca, pois viabiliza a aplicação destes biocatalisadores em processos industriais devido à facilidade de reutilização. Já as etapas de recuperação de bioprodutos podem ter o custo reduzido pela incorporação de tecnologias inovadoras. Neste projeto propõe-se o desenvolvimento de processo integrado para o aproveitamento de subprodutos do processamento da cana visando à produção de xilooligossarídeos (XOS), utilizando xilanases imobilizadas em micropartículas magnéticas, além de bioetanol 2G e coquetel enzimático por BPC, a partir de cepas recombinantes de Saccharomyces cerevisiae capazes de secretar 7 enzimas hidrolíticas. Além dos estudos abordando a produção de XOS e o BPC, tecnologias inovadoras para a purificação dos XOS e a recuperação do coquetel enzimático utilizando partículas magnéticas serão desenvolvidas, empregando abordagem que combinará a aquisição de dados experimentais com ferramentas computacionais para modelagem, simulação e intensificação desses processos. Será ainda realizada análise técnico-econômica-ambiental dos processos desenvolvidos.
  • Universidade Federal de Itajubá - MG - Brasil
  • 16/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Thaisa Cristina Bueno

Ciências Sociais Aplicadas

Comunicação
  • assédio a professoras no ensino superior: um estudo sobre a realidade nos programas de p ós-graduação no nordeste
  • O projeto “assédio a professoras no ensino superior brasileiro” tem como principal objetivo “Analisar os aspectos da experiência do assédio sexual e moral vivenciadas por docentes de pós-graduação stricto sensu em Comunicação no Nordeste”. Ao buscar mapear a realidade de trabalho das pesquisadoras mulheres, dos programas de pós-graduação em Comunicação, no Nordeste brasileiro no que tange o assédio moral e sexual, identificaremos como a condição de ser mulher impacta na carreira das pesquisadoras. Nesse sentido, temos a intenção de entender as condições de trabalho das pesquisadoras e como as questões de gênero, mais pontualmente de assédio, interferem no seu desenvolvimento a acadêmico é contribuir não apenas para diagnosticar uma realidade, mas para pensar estratégias de ação no combate à desigualdade e o respeito dentro da academia, um lugar que, em tese, reúne pessoas que pela própria formação estão mais esclarecidas sobre a temática e seus direitos, mas não estão imunes das barreiras estruturais da sociedade em que estão inseridas. Os procedimentos metodológicos da pesquisa serão: aplicação de questionários e realização de entrevistas em profundidade. Atualmente, dos nove estados do Nordeste, apenas Alagoas não oferece curso de pós-graduação neste nível. Os oito demais, juntos, incluindo cursos públicos e privados, somam 12 programas – Sergipe (1), Piauí (1), Rio Grande do Norte (1), Pernambuco (2), Bahia (2), Maranhão (2), Paraíba (2), Ceará (1). Embora não saibamos qual a porcentagem de docentes é mulher nesse universo e essa seja, inclusive, uma pergunta a ser respondida nesta pesquisa, sabe-se, por meio de outros estudos, que as pesquisadoras brasileiras têm ocupado um papel de destaque nas suas áreas de atuação.
  • Universidade Federal do Maranhão - MA - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Thales Nicolau Prímola Gomes

Ciências da Saúde

Educação Física
  • termorregulação comportamental durante o exercício físico em ambientes temperado e quente: efeitos do envelhecimento.
  • Vide projeto anexoO aquecimento global e as frequentes ondas de calor desafiam a sobrevivência e a prática de exercício físico em ambientes cada vez mais quentes, o que tem ganhado atenção da ciência. Dentre as populações expostas às mudanças climáticas, aquelas com idades mais avançadas estão entre as de maior vulnerabilidade às doenças pelo calor, principalmente indivíduos com comorbidades cardiovasculares. Assim, entender como o organismo em processo de envelhecimento adapta-se à realização de exercícios físicos no calor é fundamental para a prática segura e a prevenção de acidentes pelo calor, haja vista as relatadas milhares de mortes durante as ondas de calor nas duas últimas décadas, principalmente relacionadas a complicações cardiovasculares. Esta questão tem importância especial no Brasil, país localizado numa zona climática diretamente afetada pelo aquecimento global e com uma população cada vez maior de indivíduos idosos. Paradoxalmente, esta população está sob ameaça das temperaturas extremas e estimulada a praticar exercícios físicos em função dos benefícios à saúde. Assim, o presente estudo busca compreender os limites entre prescrever exercícios físicos para a saúde e não os prescrever para prevenir das doenças pelo calor os indivíduos idosos. Especificamente, serão verificados os efeitos do envelhecimento na termorregulação comportamental durante o exercício físico em ambientes temperado e quente. Esta questão é plausível, uma vez que o aquecimento global e as ondas de calor veem sendo cada vez mais estudados pela comunidade científica. Serão comparados dois grupos fisicamente ativos: adultos jovens (n=6 homens e 6 mulheres; 18-30 anos) e idosos (n=6 homens e 6 mulheres; 65-70 anos). Será aplicado um exercício autorregulado de 30min em cicloergômetro, em 2 ambientes térmicos (25ºC e 35ºC). Serão mensuradas hidratação; temperaturas; taxa de sudorese; conforto e sensação térmica; frequência cardíaca, pressão arterial e biomarcadores sanguíneos.
  • Universidade Federal de Viçosa - MG - Brasil
  • 25/05/2022-31/05/2025
Foto de perfil

Thales Renato Ochotorena de Freitas

Ciências Biológicas

Biologia Geral
  • estudo de longa duração dos golfinhos nariz-de-garrafa, tursiops truncatus, do arquipélago de são pedro e são paulo, e avaliação da biodiversidade das águas do entorno através de uma abordagem ecossistêmica (dna ambiental e monitoramento acústico passivo)
  • Mais de 20 anos de pesquisa sendo desenvolvidas no Arquipélago de São Pedro e São Paulo (ASPSP) viabilizou não apenas descobertas sobre a biodiversidade local, mas também informações acerca de suas relações biológicas e do grau de vulnerabilidade de algumas espécies. Uma dessas descobertas, no início do PROARQUIPÉLAGO, foi a existência de uma população de golfinhos nariz-de-garrafa, Tursiops truncatus, nas águas de São Pedro e São Paulo, que desde 2005, e ao longo de três edições do Programa (Editais MCT/CNPq nº 56/2005, 26/2009, 39/2012), vem sendo monitorada pela nossa equipe. Os dados obtidos até o momento são surpreendentes e intrigantes, mas, sobretudo preocupantes. Através do monitoramento inicial dos animais por foto-identificação, descobrimos que a população é residente, composta por indivíduos com altos índices de fidelidade ao local. Mas, ao contrário do esperado para uma população tão pequena e geograficamente isolada, ao analisarmos os dados de biologia molecular, constatamos que essa população não apresentava evidências de endocruzamento e tampouco de ser geneticamente fechada, apresentando haplótipos compartilhados com populações do Atlântico Norte. Já os estudos de bioacústica revelaram o uso de sinais de comunicação específicos, provavelmente devido a adaptações às características do ambiente oceânico e distanciamento geográfico de outros grupos. Todas essas informações são inéditas, instigantes e despertam o interesse em aprofundar as pesquisas. Recentemente, análises de contaminantes trouxeram também uma apreensão – estes animais, apesar da considerável distância da ação direta de atividades antrópicas, exibem altos índices de poluentes orgânicos persistentes. As relações da cadeia trófica, dinâmica dos processos de bioacumulação e biomagnificação, a influência das correntes atmosféricas e oceânicas na dispersão destes compostos, assim como o impacto destes contaminantes a médio e longo prazo na reprodução, sobrevivência e viabilidade dessa população, ainda precisam ser estabelecidas. Com isto, torna-se imperativo o monitoramento dessa população, bem como a reavaliação e aprofundamento dessas informações. Pretendemos, assim, ampliar o número de amostras coletadas para análises genéticas e de contaminantes. O sequenciamento de nova geração, a ser usado pela primeira vez nessa população, é uma análise que permite investigar os parâmetros populacionais, sócio-genéticos e reprodutivos, superando muitas limitações do sequenciamento tradicional. Como possuímos dados prévios dessa população, essa análise ainda permitirá traçar uma comparação demográfica ao longo dos anos. Como complemento às análises de contaminantes serão avaliadas as lesões no DNA através da medida do comprimento telomérico, uma abordagem inovadora que acessa o status de saúde da população. Também será mantido o monitoramento visual, atualizando-se o catálogo de fotoidentificação e ampliando-se a área de estudo ao redor do ASPSP para reavaliar o tamanho e composição da população, o desaparecimento ou surgimento de novos indivíduos e, principalmente, o nascimento de filhotes. Do mesmo modo, dar-se-á sequência ao estudo de monitoramento acústico, determinado padrões de ocupação diária e sazonal e uso do habitat pela população. Mamíferos marinhos são animais de vida longa, e muitos problemas decorrentes das ações antrópicas, como um eventual declínio populacional devido à redução na fertilidade causada por contaminantes, são revelados somente após anos de monitoramento. Apesar disto, podem ser considerados organismos bioindicadores para o ambiente onde se encontram, sinalizando problemas que passariam despercebidos. Salientamos que a presente proposta parte de uma base de dados prévia, com informações coletadas em 18 expedições anteriores, o que permite reavaliá-las, refiná-las e compará-las, expandindo o conhecimento atual sobre essa população. Este é o primeiro estudo de longa-duração de uma população oceânica de golfinhos dessa espécie no Oceano Atlântico Equatorial, e o PROARQUIPÉLAGO, através de um esforço constante de aporte de recursos e capacitação de pesquisadores, vêm permitindo que estudos com tal viés sejam desenvolvidos nas regiões da ZEE Brasileira. Esta é uma oportunidade única para a comunidade científica estudar a ecologia da espécie em ambiente pelágico, contribuindo para seu conhecimento a um nível global. Outras espécies podem revelar preocupações similares quanto ao seu status de conservação. Assim, o presente projeto propõe-se a avaliar a biodiversidade e os níveis de contaminação de cetáceos e peixes nas águas do ASPSP, valendo-se da inovadora e não-invasiva técnica de DNA ambiental. Organismos-chave na cadeia trófica serão avaliados a fim de se estimar os níveis de bioacumulação de poluentes. Será também iniciado o monitoramento acústico passivo, registrando a diversidade das espécies de cetáceos nas adjacências do ASPSP. Com isto, espera-se gerar um quadro representativo da região, permitindo a comparação da biodiversidade e qualidade ambiental com outros ecossistemas, e servindo como banco de dados de referência para trabalhos futuros. Além de tecnologias robustas, reuniu-se uma equipe multidisciplinar, com pesquisadores de diversas áreas do conhecimento, como zoologia, genética, ecologia, oceanologia e bioacústica. O projeto compromete-se ainda com alguns dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU, como o que se refere à conservação dos oceanos, mares e recursos marinhos. As ilhas oceânicas abrangem cerca de 3% da superfície do planeta, e devido ao seu isolamento geográfico são ambientes que abrigam uma biodiversidade única, sendo conhecidos como viveiros da vida marinha. Pesquisas desenvolvidas no âmbito do ASPSP, principalmente as que visam desvendar a complexidade dos ecossistemas, levando em consideração animais sentinelas e processos oceânicos, podem oferecer informações capazes de contribuir substancialmente em tomadas de decisão relativas à conservação.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul - RS - Brasil
  • 28/11/2019-30/11/2022
Foto de perfil

Thárcylla Rebecca Negreiros Clemente

Engenharias

Engenharia de Produção
  • modelo de apoio ao diagnóstico de eficiência operacional das pequenas e médias empresas (pme) do polo industrial do interior de pernambuco
  • No Brasil, o papel que empresas de pequeno e médio portes (PME) assumem é relevante para o progresso econômico e social do país, em especial, por apresentarem uma contribuição significativa na geração de novos empregos para os setores de agropecuária, comércio, construção civil, indústrias e de serviços. De acordo com o Sebrae (2020), 30% do valor adicionado ao PIB do país é representado pelas atividades desses tipos de empresas, que totalizam cerca de 89,94% das empresas brasileiras registradas. Deste percentual, cerca de 55% indicam empresas atuantes nos setores industriais e de serviços, que apresentam sistemas operacionais de impacto socioeconômico para diferentes regiões do país. Em Pernambuco, as PME dos setores industriais e de serviços representam aproximadamente 40% dos empreendimentos registrados e distribuídos no polo industrial e Arranjos Produtivos Locais (APL) do interior do Estado (SEBRAE, 2020). Apesar dessa contribuição econômica, as gestões estratégicas das PME, muitas vezes, apresentam indicadores pouco estruturados e deficientes, o que impacta na eficiência operacional de seus sistemas produtivos. Observações apontam algumas dificuldades enfrentadas pelas PME, tais como falta de conhecimento técnico, falta de recurso financeiro, mão-de-obra qualificada, etc., no processo de implantação de métodos e ferramentas de gestão que ofereçam melhorias para os indicadores operacionais. Por esta perspectiva, este projeto tem o propósito de apresentar um modelo de apoio ao diagnóstico crítico e às metodologias de gestão viáveis ao contexto das PME. Para tanto, a metodologia consiste do mapeamento dos sistemas produtivos locais, coleta de dados, proposição do modelo, validação com estudos de casos e indicação das melhores práticas de gestão. Portanto, a proposta visa contribuir para o fortalecimento do polo industrial do interior de Pernambuco e elaborando produções científicas e tecnológicas para o alcance de melhorias na eficiência de sistemas produtivos.
  • Universidade Federal de Pernambuco - PE - Brasil
  • 08/04/2022-30/04/2025
Foto de perfil

Theo Luiz Ferraz de Souza

Ciências Humanas

Filosofia
  • ii feira de ciência, tecnologia e inovação em saúde
  • Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde (FECTIS) é um projeto de Extensão da UFRJ que promove a integração de Universidade-Escola, em contato com a sociedade, na busca da criação de produtos inovadores para abordar e minimizar problemas atuais de saúde pública. Seu principal objetivo é despertar o interesse de estudantes para a ciência, tecnologia e inovação em temas de Saúde Pública, trazer noções dos seus impactos na sociedade e em políticas públicas, e promover o desenvolvimento do pensamento científico, crítico, argumentativo e criativo. Com intuito de promover formação inicial sobre Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde, além de promover o entendimento, adaptação, motivação e noções desejadas e essenciais para um melhor desenvolvimento dos projetos, assim como para “filtrar” os alunos mais interessados e engajados à proposta de desenvolvimento do projeto, a realização do curso de Extensão “Iniciação à Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde” será pré-requisito para participação em equipes no projeto. O curso será interativo com mesas redondas que envolverá apresentações iniciais para abordar conteúdos e levantar reflexões na área da Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde, seguido por discussões de casos gerais, para os participantes alunos e professores da Educação Básica. Aspectos básicos do método científico e da metodologia ativa design thinking serão bastante explorados e discutidos com exemplos e discussão de casos, de forma a trazer senso crítico e criativo na produção de conhecimento científico e na resolução problemas. A metodologia ativa design thinking vem do encontro com os avanços da ciência e da tecnologia e a necessidade de ir além das fronteiras que visam desenvolvimento de produtos e processos. Adicionalmente, os temas inovação tecnológica, inovação social, tecnologias sociais, tecnologias digitais da informação e comunicação, políticas públicas em saúde, e sustentabilidade serão apresentados e discutidos. Assim, além da integração organizada, interdisciplinar, interprofissional e interinstitucional de Instituições da Educação Básica e de Instituições do Ensino Superior, a formação inicial promoverá o engajamento e empoderamento dos participantes no desenvolvimento dos projetos sendo um grande diferencial. Após a formação das equipes e desenvolvimento dos projetos, o evento II FECTIS visa a apresentação e a divulgação dos produtos desenvolvidos para todos os participantes do projeto e para a Sociedade em geral, de forma a levar a promoção da saúde e do autocuidado. Devido à pandemia COVID-19, todas as etapas na II FECTIS em 2021 serão de forma virtual. Dentre as etapas do projeto temos: 1- Realização do Curso de Extensão “Iniciação à Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde” da Universidade Federal do Rio de Janeiro pelos alunos e professores de Instituições Públicas da Educação Básica; 2- Formação das equipes com os respectivos temas; 3- Encontro em salas virtuais dos professores de ambas as instituições para discutir as atividades e envio de leitura recomenda para os alunos (sobre o tema). Em paralelo cada professor encontra-se os seus respectivos alunos para discussão das atividades; 4- Reunião em sala virtual para conhecimento do laboratório do professor da Instituição de Ensino Superior. Apresentação da linha de pesquisa, problemática, quais são as perguntas, objetivos, os métodos utilizados para responder as perguntas, e exemplos de produção do grupo. Adicionalmente, disponibilização de um vídeo de apresentação do laboratório e linha(s) de pesquisa do professor; 5- Discussão do método científico e design thinking no contexto do tema. Embasamento teórico-prático dos alunos para o exercício das suas criatividades no desenvolvimento dos projetos; 6- Identificação da problemática no tema específico da Saúde. Reuniões das equipes e discussões periódicas para o desenvolvimento das propostas dos projetos para abordar e minimizar a problemática; 7- Inclusão de outros alunos do nível de graduação e ou pós-graduação para o auxílio na elaboração dos produtos; 8- Atividades e reuniões para a elaboração e desenvolvimento dos produtos dos projetos; 9- Submissão dos resumos das propostas de projetos para apresentação na II FECTIS; 10- Submissão dos produtos gerados a serem apresentados a II FECTIS. a) Categoria 1: Produto voltado para promoção da Saúde - Melhoria do ensino em Escolas. b) Categoria 2: Produto voltado pra promoção da Saúde - Sociedade em geral c) Categoria 3: Capítulo de livro “Problemas atuais de Saúde Pública: Vamos minimizar!!”; 11- Apresentação dos produtos dos projetos na “II Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde (II FECTIS)”; 12- Ajustes para finalização de um e-book intitulado “Problemas atuais de Saúde Pública: Como minimizar??”.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - RJ - Brasil
  • 21/01/2021-31/01/2023