Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Wagner dos Santos

Ciências Humanas

Educação
  • política de avaliação educacional: comparação transcultural entre países sul-americanos no pisa
  • O Programa de Avaliação Internacional de Estudantes (PISA) é um exame estandardizado realizado a cada três anos pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), visando mensurar o nível educacional de jovens de 15 anos em Leitura, Matemática e Ciência. Por meio dele, são levantadas informações sobre o desempenho dos estudantes, utilizadas para subsidiar discussões no âmbito das políticas educacionais. Por outro lado, o ranqueamento produzido a partir dos seus resultados evidencia uma representação deficitária dos sistemas educativos dos países sul-americanos. De fato, são de conhecimento da produção acadêmica os problemas oriundos desse raqueamento. Contudo, essa leitura não deve inviabilizar o uso de seus resultados na definição de uma política orientada pela avaliação educacional. Nessa vertente, esta pesquisa tem por objetivo compreender os fatores que influenciam os resultados do PISA e seus usos no contexto da política educacional em quatro países sul-americanos: Argentina, Brasil, Colômbia e Uruguai. A hipótese assumida é a de que os usos feitos dos resultados do PISA, fundamentados na concepção de accountability e na produção de ranqueamentos têm esvaziado o seu potencial para definir a própria política educacional, pois se limita a produzir um juízo de valor, sem acenar para planejamentos que auxiliem nos processos de tomada de decisões no âmbito educacional. Caracteriza-se como uma pesquisa de Método Misto, estruturada da seguinte maneira: i) revisão sistemática em periódicos das produções de cada país investigado sobre o PISA; ii) análise documental sobre a trajetória de participação, os resultados no PISA e seus desdobramentos para as políticas educacionais; iii) comparação transcultural por meio do questionário contextual aplicado junto ao PISA; e iv) entrevistas semi-estruturadas com os gestores responsáveis pela construção de políticas educacionais fundamentadas nos metadados gerados pelos exames estandardizados, em cada país.
  • Universidade Federal do Espírito Santo - ES - Brasil
  • 04/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Wagner Farid Gattaz

Ciências da Saúde

Medicina
  • instituto nacional de biomarcadores em neuropsiquiatria (inbion)
  • A busca do substrato biológico das doenças neuropsiquiátricas é pré-requisito para o desenvolvimento de terapias mais eficazes e, sobretudo, de estratégias preventivas através do diagnóstico precoce. O insucesso até hoje das tentativas experimentais para identificar marcadores específicos para as diferentes doenças neuropsiquiátricas resulta, ao menos em parte, da falta de especificidade nas alterações globais da biologia cerebral para determinados quadros clínicos. Tal falta de especificidade está relacionada ao fato de que uma base genética comum pode estar ligada a anomalias comuns da estrutura e da função cerebral de doenças como a Esquizofrenia, o Transtorno Bipolar e a Doença de Alzheimer. Através da criação do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Biomarcadores em Doenças Neuropsiquiátricas (INBioN), objetivamos realizar um projeto integrativo reunindo cientistas no Brasil e no exterior de diferentes áreas na busca de uma melhor compreensão destas bases das doenças neuropsiquiátricas. Adotaremos estratégias experimentais considerando tanto as diferenças como as similaridades biológicas entre os diagnósticos destas três doenças, partindo da premissa de que uma base genética confere uma vulnerabilidade comum para distúrbios da maturação, da plasticidade e da função cerebrais, e que a interação desta base genética com fatores não-genéticos determina a patoplastia e as diferenças nas manifestações clínicas. Um grupo nuclear representativo de pacientes das 3 categorias diagnósticas será estudado antes da exposição a qualquer tipo de tratamento simultaneamente em 6 dimensões abrangentes (neuroquímica, neuroimagem, neuromodulação, neurocognição, genômica e proteômica), sendo depois seguido longitudinalmente a médio prazo. Os achados nestes grupos serão comparados com um grupo controle de indivíduos sadios pareados para variáveis demográficas. Através desta estratégia, identificaremos marcadores clínicos e biológicos para: detecção precoce de indivíduos com um risco aumentado para doenças neuropsiquiátricas de maneira geral; discriminação dos diferentes diagnósticos com uma especificidade maior, lançando luz sobre a compreensão dos mecanismos causais de cada uma destas três doenças; e definição de índices preditivos de resposta terapêutica e prognóstico a médio prazo. Além disso, correlacionaremos os achados de alterações em cada uma destas seis abordagens, buscando identificar combinações de marcadores específicos que possam guiar mudanças de conduta clínica. Por fim, exploraremos as seguintes linhas adicionais: investigações de indivíduos da população geral com transtornos subclínicos, que apresentam sintomas psiquiátricos esporádicos, permitindo-nos investigar estádios de transição para esclarecer o continuum entre saúde e doença nas dimensões clínicas e neurodiagnósticas, a fim de fornecer instrumentos confiáveis para o diagnóstico precoce e o desenvolvimento de estratégias preventivas das doenças em questão; estudos clínicos de acompanhamento longitudinal com idosos saudáveis e indivíduos com transtorno cognitivo leve testando a eficácia de tratamentos inovadores; avaliação de alterações moleculares e bioquímicas em cérebros post-mortem de pacientes com esquizofrenia, transtorno bipolar ou doença de Alzheimer e controles sadios, a fim de desvendar vias moleculares e bioquímicas desreguladas comuns e diferenciais em doenças psiquiátricas maiores; e comparações de resultados centrais e periféricos de humanos com os resultados de expressão gênica em modelos animais transgênicos para elucidar os efeitos de genes de risco de desordens psiquiátricas em um nível molecular, numa abordagem translacional. A exequibilidade deste projeto multidimensional exige uma organização sofisticada, com recursos humanos de alto nível e uma rede integrada de laboratórios de altíssima complexidade, compatível com a solidez de estrutura e financiamento proporcionados para os INCTs. Esta estrutura nos dá condições de incrementar o impacto mundial das publicações científicas produzidas ao longo dos próximos anos, fomentar a participação de parceiros internacionais nestas publicações, e gerar produtos com potencial de proteção intelectual e comercialização, como kits diagnósticos ou novas estratégias terapêuticas. Além disso, de forma completamente integrada à geração de novos conhecimentos científicos, a criação do nosso INCT também alavancará fortemente atividades de formação de recursos humanos nos nossos centros no Brasil e no exterior, bem como atividades de transferência de conhecimentos para a sociedade, através da divulgação dos achados de pesquisa sobre biomarcadores de maneira apropriada, por profissionais capacitados e experientes neste tipo de comunicação.
  • Universidade de São Paulo - SP - Brasil
  • 23/11/2016-30/11/2024
Foto de perfil

Wagner Franco Molina

Ciências Biológicas

Genética
  • aspectos evolutivos e diversidade citogenética de peixes do arquipélado de são pedro e são paulo, região meso-atlântica.
  • A ictiofauna do arquipélago de São Pedro e São Paulo, região meso-atlântica, apresenta uma importância evolutiva e econômica significativa. Evolutivamente, essas regiões despertam considerável interesse biológico devido ao seu grau de isolamento geográfico. Levantamentos genéticos preliminares de suas populações e espécies levantaram várias questões sobre sua ictiofauna. Neste projeto são propostas análises conjuntas, utilizando marcadores cromossômicos (convencionais e citogenômicos) e moleculares (sequências mitocondriais e nucleares) e da forma do corpo, por morfometria geométrica (GM). O uso combinado dessas abordagens provou ser eficiente diante da complexidade das situações biológicas identificadas. De fato, abordagens combinadas permitirão caracterizar a evolução cromossômica de diferentes famílias, reconhecendo níveis de variabilidade intra e interespecífica, conectividade genética entre o Arquipélago de São Pedro e São Paulo, regiões costeiras brasileiras e áreas do Caribe, separadas pela barreira do Amazonas/Orinoco barreira e seus padrões de divergência morfológica. A ampliação das análises para um espectro taxonômico e biogeográfico mais amplo, fornecerá informações valiosas sobre o contexto da distribuição espacial da variabilidade genética, envolvendo o arquipélago de São Pedro e São Paulo e ilhas oceânicas adjacentes, que serão úteis na conservação dos recursos marinhos, evolutiva e economicamente importantes, dessas regiões oceânicas.
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte - RN - Brasil
  • 28/11/2019-30/11/2022