Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Verli Fátima Petri da Silveira

Lingüística, Letras e Artes

Lingüística
  • observatório de práticas sociais e linguageiras: produção de sentidos em tempos de pandemia
  • Inscrito no quadro teórico e metodológico da análise do discurso francesa em articulação com o campo das discursividades próprias aos estudos antropológicos e enunciativos, o projeto em tela tem como temática os diferentes modos de produção sentidos em tempos de pandemia do novo coronavírus. O objetivo geral é colocar em funcionamento um observatório de práticas sociais (PÊCHEUX, 1995) e linguageiras (ORLANDI, 1996), levando em conta o funcionamento de um observatório como lugar de reflexão crítica e de escuta social (BRAGA, 2015). A pesquisa que procede por meio da observação e da escuta tem se mostrado relevante para a compreensão dos processos de circulação de sentidos e discursos, principalmente em uma sociedade da/em midiatização como a que vivemos. A experiência de construção coletiva do “Vocabulário da pandemia do novo coronarírus” (disponível em https://www.ufsm.br/coronavirus/vocabulario-da-pandemia-do-novo-coronavirus/), que levou em conta a necessidade de divulgação científica dos estudos da linguagem, as noções de “partilha do sensível” (RANCIÈRE, 2015) e de “autoria compartilhada” (BIAZUS, 2019), indicou o nicho de pesquisa que estamos propondo. Para a realização deste projeto vamos contemplar espaços mais institucionalizados (como as escolas) e menos institucionalizados (como as mídias sociais), de acordo com as diferentes condições em que a pandemia afeta realidades também distintas, sempre cotejando com os trabalhos já em desenvolvimento. A proposta de escutar os sentidos que se produzem em tempos de pandemia, pela via de um observatório, permite assim a análise de como esses sentidos se inscrevem nas práticas sociais e linguageiras, pensando-se essa inscrição tanto como inserção quanto como marca, permanência nos/dos discursos em constituição e circulação.
  • Universidade Federal de Santa Maria - RS - Brasil
  • 25/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Veronica Aparecida Pereira

Ciências Humanas

Psicologia
  • a vinculação de crianças em nova família: avaliação e acompanhamento
  • O programa de Acolhimento Familiar foi implementado no Brasil como uma política que visa assegurar os direitos da criança e do adolescente em condição de vulnerabilidade e violação dos direitos fundamentais. Em consonância com o marco legal da primeira infância, crianças até seis anos devem preferencialmente ser acolhidas em família. Estudos sobre os efeitos da privação social reforçam a importância da celeridade do acolhimento e, sobretudo, a necessidade, mesmo em caráter provisório, de que o acolhimento supra as necessidades da criança em seu desenvolvimento biopsicossocial. Após o acolhimento, a equipe técnica emite parecer sobre a viabilidade de retorno a família de origem ou encaminhamento à adoção. No acompanhamento de famílias (acolhedoras ou adotivas) observa-se uma lacuna de instrumentos sistematizados para avaliação das condições de vínculo e acolhimento no Brasil. Nesse contexto, o presente projeto encontra-se estruturado em dois estudos. No Estudo 1 propõe-se o desenvolvimento do Inventário sobre Vínculo e Acolhimento em Nova Família (IVANF), que tem como foco a primeira infância, e a investigação de suas evidências preliminares de validade e fidedignidade, atendendo todas as diretrizes e recomendações metodológicas disponíveis na literatura atual. No estudo 2 pretende-se realizar um estudo descritivo e correlacional para mapear as práticas educativas de cerca de 100 casos de famílias (acolhedoras ou adotivas) e investigar as possíveis associações com a qualidade de vínculo e acolhimento estabelecidos. Os estudos serão desenvolvidos inicialmente em duas regiões do país. Para validação, será recolhida amostra em todo o território nacional, via aplicação online. A disponibilização de um instrumento inédito no Brasil (Estudo 1) poderá contribuir na avaliação diagnóstica de práticas de acolhimento em nosso contexto cultural (Estudo 2), o que favorece o planejamento de intervenções junto às famílias que apresentem práticas incompatíveis com as necessidades
  • Universidade Federal da Grande Dourados - MS - Brasil
  • 03/02/2022-28/02/2025
Foto de perfil

Verônica de Azevedo Mazza

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • resiliência de famílias de crianças com necessidades especiais no contexto da pandemia covid-19
  • O reconhecimento da resiliência familiar pode contribuir para o equilíbrio entre estresse e capacidades. Faz-se necessário refletir sobre as alterações ocasionadas pelas COVID-19. Estas mudanças conturbam a rotina e adicionam novos focos de tensionamento e estresse, em especial nas famílias de crianças autistas. Estes dois fenômenos demandam das famílias um esforço maior para acolher suas necessidades, com vistas ao suporte e promoção de seu potencial de desenvolvimento. Tem-se como questão norteadora: Como ocorreu o processo de resiliência de famílias com necessidades especiais no contexto da pandemia COVID-19? Objetivo: Analisar o processo de resiliência de famílias de crianças com necessidades especiais no contexto da pandemia COVID-19. O projeto está organizado com os subprojetos: A dinâmica das famílias de crianças com Transtorno do Espectro Autista no contexto da pandemia COVID -19; Vivência das famílias de crianças com necessidades especiais em serviços de urgência e emergência: à luz da resiliência familiar; Vivência do irmão de pessoas com Transtorno do Espectro Autista. Método: Estudo de casos múltiplos de natureza qualitativa, descritivo e exploratório, embasado no referencial teórico de Resiliência Familiar. Realizar-se-á entre 2022 a 2024, por meio de entrevistas em ambiente virtual ou presencial, com familiares de crianças com autismo, até 10 anos. A captação nas redes sociais virtuais do Brasil e por bola de neve, com saturação teórica dos dados. Será utilizada a estratégia analítica geral e as técnicas analíticas de combinação de padrão e síntese de casos cruzados, com apoio de software. Pesquisa aprovada no Comitê de Ética em Pesquisa. . Resultados Esperados: Subsidiar o desenvolvimento do cuidado às famílias com crianças com deficiência, promover a melhoria da qualidade da atenção a estas famílias e contribuir para a implementação de políticas públicas para esta população.
  • Universidade Federal do Paraná - PR - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Verônica de Fátima Santana

Ciências Sociais Aplicadas

Administração
  • o efeito dos incentivos de gestores e auditores na manipulação da informação contábil
  • Não há consenso na literatura em Contabilidade e Finanças sobre o papel dos incentivos dos gestores na manipulação das demonstrações financeiras de companhias de capital aberto. Um desafio empírico neste campo de pesquisa é estabelecer explicações causais para esta relação. Este projeto tem como objetivo se aprofundar nesta questão seguindo uma abordagem de um modelo estrutural proposto por Gow et al. (2016) para analisar os incentivos dos gestores para manipular as demonstrações financeiras em conjunto com o risco reputacional dos auditores. O efeito da remuneração da administração na probabilidade de manipulação das demonstrações financeiras é um tema prolífico (Edmans & Gabaix, 2011; Healy, 1985; Jensen & Murphy, 1990a, 1990b), mas ainda controverso (Murphy, 2012) devido aos resultados mistos que têm sido encontrados (Burns & Kedia, 2006; Erickson et al., 2006, Armstrong et al., 2010). A contribuição desta pesquisa para resolver este puzzle consiste em tratar o problema através de uma abordagem estrutural que também considera os incentivos e riscos dos auditores, balanceando os custos e benefícios de ambos no processo de manipulação das demonstrações financeiras. Esta abordagem deve permitir inferir os mecanismos subjacentes que geram os mistos encontrados na literatura, ponderando os incentivos e os riscos de dois agentes. De acordo com Gow et al. (2016), este tipo de abordagem metodológica força a entender o comportamento do problema de interesse, deixando claro que tipo de dado é preciso para identificar os parâmetros, e facilita a análise do contrafactual sob condições não observadas. A pesquisa focará em uma análise de vários países incluindo dados do Brasil e de outros países emergentes, além dos EUA para fins de comparação com a literatura existente. Serão manualmente coletados dados de reapresentações de demonstrações financeiras, incentivos de gestores e opiniões de auditores de modo a estimar os parâmetros de interesse do modelo proposto.
  • Centro Universitário FECAP - SP - Brasil
  • 25/03/2022-31/03/2025
Foto de perfil

Veronica de Medeiros Alves

Ciências da Saúde

Enfermagem
  • construção e validação de tecnologia educacional para identificação, abordagem e manejo de crianças e adolescentes com automutilação nas escolas
  • Introdução: A automutilação é o termo utilizado para designar a pessoa que pratica o ato de se cortar em alguma parte do corpo, para obter um alívio de uma dor psíquica intensa. Este projeto está em consonância com a Política Nacional de Prevenção da Automutilação e do Suicídio, mostrando sua necessidade em realizá-lo frente a sua capacidade de resposta às lacunas de conhecimento sobre automutilação em estudantes. Objetivo: Construir e validar tecnologia educacional voltada para identificação, abordagem e manejo de crianças e adolescentes com automutilação nas escolas. Métodos: Para atingir esse objetivo a metodologia proposta divide-se em 3 fases: a) reuniões com profissionais da saúde, professores e gestores da saúde e da educação para identificação das dificuldades e estratégias de identificação, abordagem e manejo dos casos de automutilação nas escolas; b) realização de revisão de escopo para buscar evidências científicas de identificação, abordagem e manejo efetivos de casos de automutilação em crianças e adolescentes nas escolas; c) criação e validação de aplicativo para orientar os professores na identificação, abordagem e manejo de crianças e adolescentes com automutilação nas escolas e construção e validação da cartilha sobre enfrentamento da automutilação por estudantes. A equipe de pesquisadores é interdisciplinar, sendo composta por enfermeiras, educador físico, fisioterapeuta, psicóloga, bióloga e psiquiatra. As reuniões com profissionais da saúde, professores e gestores da saúde e da educação serão baseadas na Teoria da Mudança. As revisões de escopo seguirão o protocolo conforme o método de revisão proposto pelo Instituto Joanna Briggs. Este método permite identificar lacunas do conhecimento. O aplicativo, a cartilha e o vídeo serão elaborados mediante os resultados obtidos nas discussões com os profissionais da saúde, professores e gestores da saúde e da educação e revisão de escopo.
  • Universidade Federal de Alagoas - AL - Brasil
  • 16/03/2022-31/03/2025