Projetos de Pesquisa

 

Foto de perfil

Wildo Navegantes de Araújo

Ciências da Saúde

Medicina
  • determinação da acurácia de diferentes testes e dinâmica da transmissão e evolução da infecção por sars-cov-2 na população privada de liberdade
  • No Brasil, o encarceramento em massa sem estrutura adequada leva a uma superpopulação carcerária em condições inapropriadas, acarretando problemas de saúde relacionados ao ambiente. Locais de alta densidade populacional são considerados como potenciais disseminadores da COVID-19 por sua elevada transmissibilidade. Avaliar novas tecnologias diagnósticas para o COVID-19 e conhecer a dinâmica da transmissão da doença na população privada de liberdade (PPL) é imprescindível para ações eficazes de controle nesse cenário de alta vulnerabilidade. No sistema prisional, as medidas habitualmente adotadas para a população geral não são aplicáveis. Para a realidade das prisões, as medidas atualmente adotadas visam minimizar o contato com pessoas externas às unidades prisionais, através da suspensão de visitas, limitação das audiências e redução das transferências. Os estudos em PPL podem auxiliar os serviços de saúde a implementar medidas mais eficazes no controle da doença, bem como gerar resultados que colaborem para a prevenção futura de surtos epidêmicos. Por conta da possibilidade de testar pelo menos três técnicas diagnósticas novas para detecção do vírus ou do desenvolvimento de anticorpos (RT-PCR, ELISA, GeneXpert-COVID-19, teste rápido imunocromatográfico), os resultados dessa pesquisa poderão ir além dos resultados diretamente para a população prisional, mas também trazer resultados da acurácia dos testes que poderão ser incorporados no arsenal de medidas para o controle do COVID-19. Na proposta, visamos determinar a acurácia de diferentes testes diagnósticos e a dinâmica da transmissão e evolução da infecção por SARS-COv-2 em presídios no Mato Grosso do Sul (Estabelecimento Penal Jair Ferreira de Carvalho e Instituto Penal de Campo Grande) e Distrito Federal (Complexo da Papuda: Penitenciária do DF I e Penitenciária do DF II). Os objetivos específicos são avaliar a acurácia de novos diagnósticos para coronavírus no cenário local; Medir a prevalência e a taxa de infecção por coronavírus nas prisões; Caracterizar a dinâmica da infecção viral por coronavírus em PPL; Descrever os dados epidemiológicos e clínicos dos casos confirmados de COVID-19; Identificar a cadeia de transmissão do vírus no ambiente prisional. Será conduzido um estudo observacional, descritivo, quantitativo de casos de infecção por SARS-COv-2 em população privada de liberdade associado a uma abordagem analítica relacionada ao estudo de acurácia entre testes laboratoriais. Os participantes serão previamente informados do estudo e terão suas dúvidas esclarecidas. Aqueles participantes que forem considerados elegíveis e aceitarem participar deverão assinar o TCLE, e só então responderão ao questionário com perguntas objetivas, dando início a sua participação na pesquisa. Os dados coletados ficarão sob a guarda e a responsabilidade dos pesquisadores por período de cinco anos. Os resultados decorrentes do estudo, favoráveis ou não, serão organizados e apresentados à sociedade científica na forma de relatórios para os gestores, publicações de artigos científicos e resumos em eventos científicos, prezando sempre pelo sigilo de modo que nenhum participante seja identificado. Reitera-se que a pesquisa não trará riscos imediatos ou futuros aos participantes. Durante a coleta de sangue e swab nasal e orofaríngeo poderá ocorrer desconforto durante os procedimentos e, raramente, hematoma no local da punção venosa. Reitera-se, ainda, que o benefício direto será o diagnóstico laboratorial da doença, seja na fase assintomática como sintomática, reduzindo, por exemplo, surto e óbitos. Além disso, a utilização dos dados/resultados obtidos no desenvolvimento da pesquisa será importante para a reorientação de ações e propostas de vigilância e manejo referentes à transmissão dessa infecção na população estudada. Seguindo as determinações da Resolução no. 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde, a mesma será encaminhada ao Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (CEP/UFMS) e para o Comitê de Ética em Pesquisa da Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília (FM/UnB) para as providências de praxe.
  • Universidade de Brasília - DF - Brasil
  • 27/08/2020-26/09/2022
Foto de perfil

Wilfredo Fernando Leiva Maldonado

Ciências Sociais Aplicadas

Economia
  • estudos em: impaciência e aversão ao risco em processos pandêmicos; políticas de coberturas de depósitos em instituições financeiras; e mercado de trabalho e responsabilidades familiares da mulheres urbanas
  • Esta proposta abrange três estudos que serão desenvolvidos por pesquisadores nacionais e internacionais especialistas nos assuntos abordados. O primeiro: análise de características de aversão ao risco e impaciência quando os agentes enfrentam processos pandêmicos que limitam a oferta de mão de obra. Com utilidades recursivas e agregadores estocásticos será feita esta separação. Esperamos que os resultados gerem subsídios de políticas de controle de processos pandêmicos que não prejudiquem fortemente o crescimento econômico. O segundo: análise de políticas de cobertura de depósitos em instituições financeiras. Bancos Centrais ao redor do mundo definem fundos que sobrem eventuais quebras de instituições financeiras, com a finalidade de evitar corridas bancárias e efeitos dominó. Variáveis como o valor das taxas de coberturas e tamanho ótimo de fundos são de grande importância no desenho de provisão de seguros para os depósitos de clientes de estas instituições financeiras. O objetivo é trazer elementos que ajudem à provisão prudencial e equilibrada deste tipo de seguros. O terceiro: determinar se o aumento da disponibilidade de trabalhadores domésticos eleva o desempenho no mercado de trabalho de mulheres com maior escolaridade, porém com responsabilidades domésticas. Vários estudos revelam que, em países desenvolvidos, fluxos migratórios de baixa qualificação ajudam mulheres altamente escolarizadas com esse tipo de responsabilidades, porém, pouco se sabe sobre esse efeito em países em desenvolvimento. Uma das principais contribuições será dar novas explicações para o diferencial de salários por gênero entre os trabalhadores urbanos altamente qualificados, estudando como o trabalho migrante afeta os tipos de firmas em que elas trabalham. O impacto causal será analisado com a abordagem de shift-share e choques de chuva nos municípios de origem (shift) combinados com fluxos migratórios passados (share) como fonte de variação exógena para os migrantes no destino.
  • Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade - USP - SP - Brasil
  • 05/04/2022-30/04/2025
Foto de perfil

William Douglas Gomes Peres

Ciências Humanas

Filosofia
  • science days: conectando as ciências e o estado à região do contestado
  • A relação da Rede Federal de Educação Ciência e Tecnologia pelo IFSC e pelo IFC presentes na região, proponentes destas atividades com a história do Contestado é ampla. Seja pela questão territorial, pois Caçador e as cidades nominadas fazem parte da região e teve em seu território, deflagrada a Guerra do Contestado (1912-1916), evento que modificou não só a cidade, mas como toda a região, como pode ser visto anteriormente. Desde sua emancipação, em 1934, Caçador tem uma preocupação constante com a questão da Guerra do Contestado, e que esse conflito, que tem em seu âmago questões ainda latentes, como a questão de terras, a economia baseada na extração da madeira, a questão ferroviária e o esquecimento e silenciamento de uma identidade regional, a do caboclo. Essa preocupação vem sendo exposta e trabalhada junto às escolas, principalmente, municipais e estaduais, que tem em seu currículo, temas ou matérias relacionadas ao Contestado e tem trabalhado junto aos municípios vizinhos com ações de preservação, conservação e divulgação da questão do Contestado, principalmente, através das atividades da Semana do Contestado. Desde 2010, a Prefeitura Municipal de Caçador tem sob sua manutenção, o Museu Histórico e Antropológico da Região do Contestado, instituição criada para preservar, conservar e comunicar/divulgar a história e memórias da região do Contestado. Para isso, a Prefeitura Municipal vem, a cada ano, buscando aperfeiçoar o seu quadro funcional, com a Coordenação do Museu, sendo feita por um historiador com especialização em História, e a gestão museológica, feita por uma museóloga, com especialização em arquitetura e patrimônio arquitetônico e com mestrado em Patrimônio, Cultura e Sociedade, com a dissertação intitulada: “Quem tem mói, mói; quem não tem, mói também: as representações do “outro” no Museu Histórico e Antropológico da Região do Contestado, Caçador/SC”. Estudo esse de extrema relevância no campo das ciências sociais, por abordar as questões de representações sociais, onde há sempre divergências. De um lado, há, involuntariamente, o empoderamento do “vencedor” (THOMÉ, 1999), visto pelos homens, e, de outro, um lado mais histórico e humanitário, visto pelas mulheres, no quadro e nos bonecos. Tanto homens como mulheres, como visto supra, têm sua representação da Guerra do Contestado como algo muito ruim, que fez vítimas em suas famílias e deixou a região alterada socioeconomicamente até hoje. A Teoria das Representações Sociais serviu para a compreensão da identidade grupal dos visitantes, em menor ou maior grau, com a Guerra do Contestado. E, a partir dela viu-se uma ligação forte entre os visitantes e a etnia cabocla, parcamente tratada pela expografia do Museu, como aferiu-se na amostragem dos questionários da dissertação. O trabalho com as representações em museus auxilia na compreensão dos diferentes públicos que por ali passam, e como cada grupo social pensa, como esses pensamentos foram construídos e como essas representações influenciam sua passagem pelos museus. Os grupos sociais, em suas respostas, falaram muito da ausência do caboclo na exposição do Museu do Contestado. O Museu, aprimora, anualmente, o conhecimento de seu acervo e consequentemente, sobre as exposições, proporcionando aos visitantes um espaço de fruição, mas também de aprendizado, principalmente da história da região. Os funcionários do Museu também, como apoio da Prefeitura Municipal estão em constante aprimoramento, com participação em oficinas de capacitação, simpósios, e cursos. Em todo esse trabalho em prol da memória e da história do Contestado, o Museu recebe, anualmente em torno de 7 a 10 mil visitantes, oriundos das mais diversas cidades do país, e de alguns outros países. Além de toda esse aparato museológico e histórico, o Museu conta, também, com atividades educativas, que vão desde as mediações/monitorias de grupos, exposições (curta, média, longa duração e itinerantes) até palestras, oficinas e seminários sobre o tema da instituição, levando assim a sua missão como museu para várias cidades do Contestado. Além disso, as cidades da região vem num crescente movimento, desde 2015, e demais parceiros, trabalham com a Semana do Contestado. Semana esta que é mais um momento e meio de comunicação das instituições com os cidadãos da comunidade onde estão inseridas. Uma forma de disseminar não só atividades acadêmicas, mas também as memórias e histórias de um povo, de sua própria população. E, assim, as instituições, prefeituras e estruturas públicas, através de seus servidores e órgãos componentes, se coloca como meio, também, de desenvolvimento e socialização de conhecimentos e fomento da feira de ciências Science Days, muito importante para a região do Contestado.
  • Instituto Federal de Santa Catarina - SC - Brasil
  • 28/12/2020-31/12/2022
Foto de perfil

William Ernest Magnusson

Ciências Biológicas

Ecologia
  • peld do sudoeste do amazonas (psam)
  • O PELD-PSAM visa consolidar e recuperar infraestrutura de campo (parcelas e transecções de amostragem usados no sistema RAPELD) inicialmente instaladas em 2006. A instalação da infraestrutura de pesquisa padronizado permitiu a inclusão de informações desta região no desenvolvimento de estudos sobre padrões e processos na distribuição de plantas e animais. Estes estudos incluírem vários grupos de plantas lenhosas, aves, morcegos, cobras, anfíbios, lagartos, jacarés e peixes. Somente um estudo avaliou os fatores afetando a distribuição de vários grupos taxonômicos juntos e aqueles autores apontaram a falta de estudos integrados nas áreas longe do rio Amazonas. Um dos maiores impedimentos ao reconhecimento de impactos de longo prazo é o problema de escala. Isto é, como diferenciar mudanças devido aos impactos locais dos efeitos de mudanças globais? Em geral, mudanças locais somente podem ser interpretadas se inseridos num modelo regional ou global. Uma maneira de contornar estes problemas é de usar métodos padrões comparáveis entre sítios, permitindo a integração sobre espaço e tempo. Os métodos usando dentro do sistema RAPELD são compatíveis com os usados em muitos outros sítios de pesquisa no Brasil, sistemas usados em outros países, e idênticos os usados em alguns outros sítios PELD na Amazônia (FORR, IAFA, POPA). Uma das áreas de maior preocupação ambiental está nos redores da estrada BR 319 que atravessa o interflúvio dos rios Purus e Madeira e conecta Manaus e Humaitá. A estrada está em péssima condição e não é adequada para trânsito intensivo. No entanto, os planos para a recuperação da estrada levantaram preocupação entre os ambientalistas porque este pode facilitar acesso à região e resultar em desmatamento extensivo. Simulações do desmatamento previsto para os próximos 20 anos apontam que o cenário “com estrada” reduzirá a cobertura florestal original em pelo menos 16,6%. Áreas fora de unidades de conservação, representam cerca de 44% da região da BR 319 e estão localizadas em sua maioria nas regiões que hoje sofrem o maior grau de ameaça. Vários estudos pontuais tinham sido feitos, mas não existirem estudos integrados que permitiriam a avaliação dos impactos da estrada na fauna e flora. A remedição em módulos fora das unidades de conservação (área tampão) para madeira morta em 2019 mostrou que o corte ilegal de árvores em terras públicas ameaça a floresta na região. Duas de 5 parcelas em uma área de pesquisa foram afetadas por corte ilegal de árvores, e 3 de cinco em outra área. Os estudos feitos até agora e os levantamentos previstos nesta proposta providenciam a linha de base para a avaliação do efeito da estrada dentro e fora das unidades de conservação. As unidades pesquisa (módulos do sistema RAPELD) já instalados estão orientados a 90 graus das estradas, permitindo uma avaliação da distância que efeitos da recuperação da estrada terão na biodiversidade. A avaliação da susceptibilidade da floresta a mudanças é importante porque a região é responsável para a captação de água para as áreas usadas por colônias de pescadores nos rios Madeira e Purus. Até o momento, não foram desenvolvidos estudos experimentais dentro da área proposta para o PELD-PSAM, exceto o experimento “natural” que envolve a BR 319 e o posicionamento das parcelas a várias distâncias da estrada. No entanto, observações durante os levantamentos feitos durante os últimos 10 anos indicam que as interações entre organismos e processes ecológicos podem estar sendo afetados pela disponibilidade de sódio. A floresta amazônica recicla água do Oceano Atlântico e o oestes da Amazônia tem menor deposição de sódio do que em regiões mais perto do mar. Este processo pode ser interrompido pelo desmatamento com fortes implicações para a disponibilidade de sódio na floresta. Sódio tem pouca importância para a maioria de plantas, mas pode ser limitante para animais. Isto fica óbvio no comportamento de abelhas, que são atraídas em massa para qualquer fonte de sal, como suor humano. Não se sabe as diferenças causada pela disponibilidade de sódio na polinização ou decomposição da liteira em áreas naturais, ou quais os efeitos de criação de animais com o provisionamento de sal em áreas perto da floresta ou fontes de sal associados com lixo humano perto da rodovia. Estas perguntas podem ser respondidas com experimentos controlados. A integração de dados sobre ecologia de ecossistemas desta região já foi feita em estudos de grande escala e estes providenciam subsídios para políticas públicas nacionais. No entanto, ainda não foi feito uma integração destes estudos numa escala local (Município de Humaitá) para identificar lacunas e tirar conclusões quando viável. Esta é um dos principais objetivos desta proposta. Todas estas perguntas somente podem ser respondidas com estudos de longo prazo usando métodos comparáveis. Para entender quais processos naturais (fenômenos meteorológicos, tipo de solo, interações entre espécies etc.) e intervenções humanas afetam a biodiversidade é necessário ter dados de longo prazo sobre muitos grupos biológicos.
  • Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - AM - Brasil
  • 05/12/2020-31/12/2024